Câmara Municipal lança Banco de Recursos Sociais para apoiar pessoas carenciadas

Este projecto, criado no âmbito do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social, visa “constituir um complemento à intervenção social da autarquia, na procura de respostas para as situações de precariedade social”. Em suma, a pretensão do BRSOH é “garantir a articulação entre quem pretende dar e quem precisa de receber, com critério e dignidade”.

Para materializar esta iniciativa, a CM criou já uma Loja Social – instalada na cave do pavilhão gimnodesportivo –, que pretende “suprir as necessidades imediatas das famílias carenciadas, através da recolha e doação de bens que poderão fazer toda a diferença para alguns cidadãos do concelho”. O BRSOH resulta de uma parceria que conta já com a adesão do Centro Distrital de Segurança Social de Coimbra e de dez instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do concelho de Oliveira do Hospital.

Concebido para funcionar numa lógica de voluntariado, o BRSOH vai agora passar a receber dos cidadãos aderentes todo um conjunto de material – vestuário, electrodomésticos, brinquedos, equipamento para bebés, mobiliário, material e manuais escolares, etc – que, posteriormente, será entregue a famílias e pessoas em situação de carência económica, comprovada pelos técnicos sociais da rede de parceiros daquele banco de recursos sociais.

Presidente da Câmara apela ao voluntariado

Na apresentação deste projecto, o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital disse que a iniciativa é “um ponto de partida” de uma política subordinada ao slogan “as pessoas são a nossa prioridade”, já que – conforme sublinhou – o que está em causa é “o apoio aos cidadãos mais desfavorecidos”.

José Carlos Alexandrino enalteceu também “o grande trabalho” que tem vindo a ser desenvolvido pelos técnicos sociais das IPSS concelhias “junto das pessoas que mais precisam”, e destacou a “grande colaboração” existente entre aquelas entidades e o município oliveirense.

Com vista a que o projecto tenha mais sucesso, Alexandrino lançou ainda um desafio, ao apelar ao voluntariado. “Temos que trazer voluntários para trabalharem connosco”, disse o autarca eleito pelo PS, frisando que na sociedade oliveirense há pessoas capazes de dar um pouco do seu tempo na “ajuda a quem mais precisa”.

Para o titular do pelouro da acção social, José Francisco Rolo, o BRSOH é “um espaço de educação cívica para todos” que só funciona “porque há IPSS´s e técnicos sociais no terreno”. Apelando à “generosidade dos cidadãos” e à criação de “um banco de voluntariado”, o vice-presidente da CM salientou ainda que a constituição daquele banco é um importante passo para a dinamização do dispositivo de acção social da autarquia oliveirense.

Presente no lançamento desta iniciativa – seguidamente os jornalistas foram convidados a visitar a loja social, onde já se encontra armazenado muito material destinado a famílias e cidadãos carenciados –, a presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Oliveira do Hospital, Luísa Valles, congratulou-se com o aparecimento deste banco e considerou o projecto como “uma resposta social muito importante para as famílias e crianças em risco”

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …