Câmara substitui-se a herdeiros na recuperação de imóvel degradado

 

… de abandono e degradação, constitui uma séria ameaça à segurança pública.

A destoar numa zona central da cidade que foi objeto de requalificação, o edifício onde há vários anos funciona o Café Portugal e dois outros espaços comerciais constitui hoje uma ameaça à segurança das centenas de pessoas que diariamente ali acorrem e circulam nas imediações.

Trata-se de um “ponto negro” na zona nobre da cidade que com o passar dos anos se tem acentuado, evidenciando sinais de profunda degradação que não foram acompanhados de pontuais trabalhos de restauro.

Uma situação a que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital pretende colocar um ponto final, preparando-se para substituir os herdeiros numa intervenção ao edifício que é por demais urgente.

“Vamos intervir, lançar a obra e pedir o pagamento dos trabalhos”, informa o presidente da autarquia oliveirense que parte para esta tomada de posição devido à falta de resposta dos proprietários às várias notificações enviadas pela autarquia a alertar para a necessidade de intervenção no imóvel.

“São um conjunto de herdeiros e não têm respondido”, refere José Carlos Alexandrino que, preocupado com a segurança de quem por ali passa diariamente, garante já ter em curso a elaboração de um projeto para intervenção no imóvel ao nível do telhado e outros aspetos que configurem ameaça à segurança pública. A conta – insiste o presidente – vai ser apresentada aos herdeiros e em caso de resistência à respetiva liquidação, o caminho a seguir é o do tribunal.

Uma medida que para o presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Hospital peca por tardia. “Já deveria ter havido outra atenção”, entende Nuno Oliveira que considera que o edifício se encontra em estado de degradação “há tempo demasiado” não beneficiando o centro da cidade em “termos estéticos e segurança dos peões”.

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …