Candidato do CDS encara turismo como “trave mestra” no desenvolvimento concelhio

José Vasco Campos rumou ao Monte do Colcurinho para defender políticas de apoio à atividade turística. Para o candidato centrista à Câmara de Oliveira do Hospital “não chega fazer ações pontuais de beneficiação”.

Foi a partir do ponto mais alto do concelho de Oliveira do Hospital que o candidato do CDS-PP à Câmara defendeu uma maior atenção do poder autárquico para com a atividade turística. Um local que não foi escolhido ao acaso, mas antes por que é visto por José Vasco de Campos como um sítio emblemático do concelho, mas que “muitas vezes é esquecido”. “Quisemos vir aqui ao cabeço do Colcurinho para chamar a atenção para esta vista e paisagem magnífica e este património que tem que merecer a atenção do poder autárquico”, afirmou José Vasco de Campos que certo do potencial turístico existente em Oliveira do Hospital, não tem dúvidas de que “o turismo pode ser a grande forma de desenvolver o concelho”. Para o efeito, alerta o candidato, “é necessário que haja conservação e melhoria do património natural e construído”, porque “não chega fazer ações pontuais de beneficiação”.

Para além de defender medidas de conservação, o candidato centrista que elege o turismo como a “trave mestra no desenvolvimento sócio económico concelhio” destaca a necessidade de o poder autárquico sensibilizar os proprietários para a necessidade de conservarem o seu património natural ou construído”. “Nomeadamente para a implementação de espécies florestais autóctones e recuperação das casas tradicionais com materiais originários da região como o xisto e o granito”, registou José Vasco de Campos com o claro propósito de colocar travão à degradação da paisagem.

Verificando as vantagens económicas e também sociais decorrentes da valorização do setor do turismo – “pode gerar muitos postos de trabalho diretos e indiretos” – o centrista destacou igualmente a necessidade de o poder autárquico se aproximar dos promotores turísticos e de empresários que se venham a instalar em Oliveira do Hospital. “É nosso propósito que o poder autárquico os acompanhe, incentive e apoie”, contou o candidato, avisando que “sem esses promotores não há turismo”. Em concreto, José Vasco de Campos destacou os restaurantes, lojas de produtos da terra, hotéis, turismo em espaço rural e parques de campismo que “trazem gente para a região que cá fica e cá gasta dinheiro”.

“Esses promotores têm que ser apoiados”, afirmou, garantindo que no caso de ser eleito, encarará a área de turismo como prioritária.

LEIA TAMBÉM

AVMISP avisa, após reunião Marcelo Rebelo de Sousa, que falta de apoios pode levar empresas afectadas pelos incêndios a encerrar

A Associação das Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal (AVMISP) lamentou hoje, na …

Ano de 2017 foi o melhor de sempre para o turismo no Centro de Portugal

O ano de 2017 foi o melhor de sempre para a atividade turística no Centro …