Candidato do CDS/PP à Câmara de Oliveira quer alargamento da Estrada da Beira

“Não chega piso novo”, constata o candidato do CDS/PP à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital a propósito da tão reclamada requalificação da Estrada da Beira que, nos últimos meses tem dado sinais de profunda degradação, fruto do aumento do tráfego automóvel e pesado devido à introdução de portagens na A25.

O candidato que ainda na última Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital alertou para o estado “miserável” da via e para o perigo das “crateras” que são uma constante na estrada, pretende – numa audiência que já solicitou à Estradas de Portugal – alertar o organismo responsável pela manutenção da via, para a necessidade de se proceder a uma intervenção na EN17 que vá mais além do que a simples repavimentação.

“Deve ser requalificada, alargada e retificada em algumas curvas”, defende José Vasco Campos que, preocupado com a segurança dos condutores e populações servidas por aquela via, vai defender junto da EP a correção da estrada, onde pela sua perigosidade, algumas curvas já são conhecidas por “curvas da morte”.

A proposta do candidato do CDS/PP à Câmara Municipal surge numa altura em que a EP também já deu como certa a realização de um projeto destinado a uma intervenção considerada “prioritária”. “Então que se estude a possibilidade de a estrada ser retificada e alargada a três faixas”, sublinha José Vasco de Campos, referindo-se em particular ao troço entre o final do IC6 e a rotunda da Ponte de Santiago, no concelho de Seia.

Uma medida que o candidato justifica não apenas com o aumento de trânsito, em particular pesado – situação que não tem dúvidas de que se vai manter e até agravar – mas também com o facto de não perspetivar para um futuro próximo a construção do restante troço do IC6.

“Os 16 quilómetros de IC6 que existem demoraram 20 ano a fazer e, mesmo assim, foi no tempo em que havia dinheiro para o país investir e em que se fizeram estradas por todo o lado”, observa José Vasco Campos, certo de que o restante troço demorará talvez o dobro do tempo a construir. Uma realidade que, entende o candidato, não pode continuar a prejudicar os oliveirenses que continuam a não ter direito a estradas “dignas desse nome”. “A Estrada da Beira já não se coaduna e vai precisar de se ser requalificada”, sustenta José Vasco Campos, notando que no caso de vir a ser surpreendido com a construção do IC6, a Estrada da Beira continuará a ser uma via muito utilizada pelo trânsito local.

LEIA TAMBÉM

SONAE (Ai – Ai …) Ou em como o “ouro” de uns é o nosso prejuízo!

CDU vê aprovado na Assembleia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira voto de protesto contra falta de apoio das autoridades às vítimas dos incêndios

O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e …

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …