Candidato do PS promete envolver os jovens e convidar “especialistas” para conceber “um novo modelo de desenvolvimento”

A consideração foi feita pelo candidato do PS às próximas eleições autárquicas, que este sábado participou num debate organizado pela Juventude Socialista (JS), em Oliveira do Hospital, sobre “Políticas de Juventude e Incentivos ao Associativismo Jovem”.

Lembrando o tempo em que também ele foi um jovem com “calças à boca de sino e cabelo à George Best” – o célebre jogador, já falecido, do Manchester United –, José Carlos Alexandrino salientou que sempre teve “uma vida a lidar com jovens” e considerou que a juventude terá um papel fundamental no seu projecto autárquico.

Para o antigo presidente da Escola Básica Integrada da Cordinha, que concorre pelo PS, como independente, à presidência da Câmara de Oliveira do Hospital, um dos objectivos centrais da sua candidatura reside em “fixar os nossos jovens” num concelho que diagnosticou como “doente e deprimido”.

Numa sala com mais adultos do que jovens – “gostava de ver aqui mais jovens”, sublinhou José Carlos –, o candidato do PS prometeu, entretanto, rodear-se de “especialistas” com capacidade para o ajudarem “a construir um modelo de desenvolvimento para o concelho”. “Chamarei diferentes pessoas e especialistas”, afirmou o cabeça-de-lista do PS, sustentando que “ninguém faz uma casa sozinho”, e que a ele estará reservado o papel de “líder” num trabalho de equipa.

José Carlos frisou, ainda, que Oliveira do Hospital precisa de “pessoas com capacidade de rasgar horizontes e antecipar o futuro”, porque se é para “conferir facturas ou 5 quilos de pregos, não vale a pena haver empregados” na câmara municipal.

“Oliveira do Hospital não tem futuro se não houver desenvolvimento económico” 

No dia seguinte à sua apresentação como candidato, o agora número um dos socialistas disse também que a sua candidatura tem “uma linha mestra fundamental”, porque – conforme sublinhou – “o concelho de Oliveira do Hospital não tem futuro se não tiver desenvolvimento económico”.

Por isso, defendeu José Carlos, a receita é apostar na renovação do tecido económico, fomentando-se o aparecimento de novas micro-empresas, e envolver a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) no processo.

O candidato socialista especificou mesmo que a ESTGOH “é de uma importância fundamental nesse desenvolvimento económico”. O “homem do leme” – foi assim que Ricardo Figueiredo, da JS, o apresentou à plateia –, disse também já ter estabelecido alguns contactos com a Universidade de Aveiro, e salientou que se for eleito presidente da câmara vai procurar “fazer protocolos com as universidades”.

De resto, José Carlos mostrou-se preocupado com o futuro da indústria tradicional de Oliveira do Hospital – as confecções –, porque a actual crise mundial poderá ter fortes reflexos ao nível do sector que mais mão-de-obra emprega no concelho.

“Poderemos, a curto prazo, ter muita gente no desemprego”, afirmou o candidato socialista, que na sua qualidade de director da Caixa de Crédito Agrícola (CCA) local referiu que “se não fosse a coragem de algumas pessoas da CCA – isto sem qualquer publicidade, sublinhou -, se calhar, hoje, havia mais 500 pessoas no desemprego”.

LEIA TAMBÉM

SONAE (Ai – Ai …) Ou em como o “ouro” de uns é o nosso prejuízo!

CDU vê aprovado na Assembleia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira voto de protesto contra falta de apoio das autoridades às vítimas dos incêndios

O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e …

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …