Capelas isoladas são alvo fácil para os assaltantes

… a verificar-se nas últimas semanas em Oliveira do Hospital e Arganil. As caixas das esmolas foram sempre as mais apetecíveis, mas segundo a GNR foram “maiores os danos do que os furtos”.

O fenómeno não é novo, mas já não se registava há algum tempo. “Nos últimos 30 dias tem ocorrido com algumas frequência”, referiu ao correiodabeiraserra.com, o sargento-mor Lucénio Martins do Destacamento Territorial da GNR da Lousã, dando o exemplo do passado fim-de-semana em que se registaram vários assaltos, com destaque para os perpetrados no Centro Cultural Dr. Vasco de Campos, em Avô, onde furtaram o sistema de som. Na mesma localidade, ainda se verificou a tentativa de assalto à Igreja matriz. Já em Galizes, os larápios consumaram a entrada no local de culto e furtaram o amplificador de som.

Nos últimos dias, a GNR tem registado alguma acalmia, e Lucénio Martins garante que o patrulhamento também foi reforçado nas zonas consideradas mais críticas. Pela forma como os assaltantes têm vindo a desencadear os furtos, a GNR não descarta a possibilidade de os assaltos terem sido perpetrados pelas mesmas pessoas.

O responsável pelo Destacamento Territorial recorda o caso ocorrido há ano e meio e em que foi identificado um grupo de jovens, alguns ainda menores, que era orientado por um indivíduo na casa dos 30 anos. “Estamos a acompanhar este caso e não perdemos a esperança de identificar os autores”, referiu a este diário digital, adiantando que estão a ser desencadeadas investigações pelo Núcleo de Investigação Criminal e Núcleo de Apoio Técnico.

Segundo Lucénio Martins, os autores sabem à partida que as caixas de esmolas têm pouco dinheiro, pelo que pode concluir que se trata de “malta jovem” que pode ter alguma ligação à toxicodependência e ao álcool. “Acredito que mais dia, menos dia vamos desmontar este caso”, sublinhou.

GNR atenta na quadra natalícia

A precisamente uma semana do Natal, a GNR reforçou o patrulhamento junto das zonas comerciais, ao abrigo do programa Comércio Seguro. Para além disso, Lucénio Martins apela à colaboração das pessoas para que, em caso de deixarem as suas moradias nesta quadra natalícia, avisarem o posto local da GNR para estarem atentos a quaisquer movimentações que possam ocorrer nas proximidades. “Se as pessoas não nos avisarem, não podemos adivinhar”, defendeu.

LEIA TAMBÉM

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …

LMAN promove “peregrinação” ao Santuário de Nossa senhora das Preces em Vale de Maceira

A Liga de Melhoramentos Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira (LMAN) vai realizar no …