Carta Aberta à GNR: O meu direito à indignação

Comandante do Destacamento
de Trânsito de Coimbra
Digníssimo Capitão Santos Rosa

Como V. Exa. sabe, está Oliveira do Hospital privada de qualquer infra-estrutura rodoviária do Plano Rodoviário Nacional.

O Estado privou, até hoje, este concelho de qualquer IC ou IP, que o Plano Rodoviário Nacional de 1985 previa, nomeadamente o IC6 e o IC7.

Para além de sermos discriminados com a falta daqueles IC’s, previstos em 1985 e que agora reduziram a apenas o IC 6, que nunca mais chega, somos agora vítimas da lei, que o Senhor Capitão não fez, mas que nos prejudica gravemente.

Como sabe, a Direcção de Estradas, ou Estradas de Portugal, obriga os habitantes deste concelho a circularem apenas a 50 Km/hora, quando os outros podem andar a 100 ou 120 Km/hora.

Porquê Senhor Capitão?
Não somos habitantes do mesmo país? Ou querem inviabilizar este concelho?

Desculpe Senhor Capitão, mas na era da Internet, da competitividade e do salve-se quem puder, é preciso bom senso e não ofender mais aqueles que também têm direito a chegar mais depressa ou melhor a tempo e horas aos seus compromissos.

Somos vítimas da discriminação do Estado e agora punidos por essa mesma discriminação!

Com os melhores cumprimentos,
Eugénio Borges Gonçalves

LEIA TAMBÉM

“Se quiseres ser bom Juiz ouve o que cada um diz”

Solicito a publicação de uma carta que recentemente foi dirigida ao Sr. Presidente da Assembleia de Freguesia de Meruge.

Carta ao Director

Exmº Senhor Director do CBS: