«Castração» política em Oliveira do Hospital. Autor: João Cruz

Passados 44 anos após o 25 de Abril de 1974, vive-se hoje em Oliveira do Hospital uma «castração» da alegada «oposição» partidária no nosso Concelho, no caso perante a gestão hegemónica do PS.

Já estão passados 9 meses desde as últimas Eleições Autárquicas em que o PS local aproveitou «a onda» e depois de ter manipulado, antidemocraticamente, a acção dos Órgãos Autárquicos onde já estava representado até essas Eleições, renovou a sua maioria absoluta, que se revela autocrática, e em que o PSD teve o seu pior resultado eleitoral de sempre em Autárquicas em Oliveira do Hospital.  Já o CDS/PP andou à boleia do PS e, assim, quase à duplicou os votos enquanto que a CDU sofreu com os atropelos à Democracia praticados pelo PS e não conseguiu eleger um mandato à Assembleia Municipal (AM) embora tivesse mantido, e brilhantemente, o seu bastião autárquico que continua a ser a freguesia de Meruge.

Temos agora uma oposição «castrada» !

 Temos hoje uma oposição «castrada» porquê?  Porque vemos o PSD, afinal o maior partido da possível oposição, com 1 Vereador na Câmara, 4 Deputados Municipais directos na Assembleia Municipal (AM) e 2 Presidentes de Junta, a fazer muito pouco enquanto «oposição» com maiores responsabilidades eleitorais.

Diz-se mesmo por aí que o Vereador desse partido até já faz «co…corruu…co…corruu» no ombro do Presidente pois apareceu em fotografia, tirada na última Feira do Queijo, em Março, todo sorridente, com o braço por cima do ombro do Presidente da Câmara e, isto, após uns tempos em que ambos disseram o piorio um do outro e «juraram» incompatibilidades irredutíveis do ponto de vista político e até pessoal…  A propósito disto, dizem também as más línguas, inspiradas pelas últimas modas do futebol, que, de início, o PS «dava» 6–1 ao PSD para a Câmara mas que, depois, veio o vídeo-árbitro e invalidou o «golo» ao PSD, pelo que o jogo está agora em 7–0 a favor do PS, na Câmara …  E, na Assembleia Municipal, vemos a bancada do PSD sem garra, sem alma, quase sem vida, apesar das «faltas» que, lá, a bancada do PS e o truculento «líder» concelhio deste partido lhe aplicam sempre que os Deputados Municipais do PSD ousam ensaiar um «ataque» político e ainda que tímido…

Depois, vemos o CDS que ficou em segundo lugar na pseudo-oposição (com 2 Deputados Municipais), a fazer uma «bi-oposição» ou uma oposição oportunista ainda que de forma inteligente.  É que, nos últimos 4 anos até 2017, o então eleito pelo CDS/PP na Assembleia Municipal, enquanto «malhava» no PS, dizia sempre que o Presidente da Câmara era «amigo» e um «bom» Presidente…

Claro que também não foi por mero acaso que o Presidente da Câmara PS veio a afirmar, antes das últimas Eleições, que deveria ser o CDS/PP a ficar à frente do PSD na votação para a Câmara, objetivo também colocado pelo CDS/PP…  Ora, sendo assim, para além dos tais «7-0» (com vídeo-árbitro…) no Executivo Camarário, o PSD também ficaria atrás do CDS, o que, porém, não se confirmou no voto.  Mas, de facto com a ajuda do Presidente da Câmara PS, o CDS/PP consegiu o seu melhor resultado eleitoral elegendo dois mandatos à AM. Entretanto, a primeira coisa com impacto que o cabeça de lista do CDS/PP fez como eleito à AM, foi pedir a sua substituição na bancada com «juras» políticas e pessoais várias mas pouco credíveis e que a vida se encarregará de desmistificar…

Com o PCP e a CDU,  a luta continua !

O único partido que nunca será «castrado» é o PCP, afinal como provam os seus 97 anos de vida e de luta sempre ao serviço dos Trabalhadores e do nosso Povo !

É notável que a CDU tenha mantido a maioria absoluta na freguesia de Meruge e Nogueirinha, no meio da pressão antidemocrática exercida pelo PS em que «valeu de tudo» para tentar desalojar a CDU nessa Freguesia.

E nos últimos  4 anos antes de 2017, portanto durante o mandato anterior da AM, a minha pessoa e o João Dinis, Jano, nós os dois, durante o período reservado ao «público» durante as sessões da AM, fizemos lá mais intervenções sobre problemas concretos,  avançando mesmo propostas de solução, do que a grande maioria dos Deputado Municipais eleitos para a mesma AM.

Pois, visivelmente incomodados com a pertinência dos temas que a CDU lá levava, os eleitos do PS e o próprio Presidente da Câmara, refugiavam-se em desculpas de maus pagadores ou recorriam a um argumento menor. Costumavam então dizer que, como a CDU não conseguia eleger eleitos para a AM, ia lá ocupar o período reservado ao «público», afinal como se isso não fosse um direito democrático que, se exercido, merece outro nível de resposta e não apenas especulações desviantes como «eles» faziam…

Além do mais, e isto dizemos nós, há partidos como o PS, por exemplo, que têm muito mais votos do que aqueles que realmente merecem e outros há, como o PCP e a CDU que têm muito menos votos do que aqueles que merecem face àquilo que até fazem… E também não se trata de falta de reconhecimento desse mérito por parte das Populações mas mais devido à forma antidemocrática e manipuladora do voto como outros partidos se comportam no uso e no abuso do poder e, ainda, porque esta Democracia, sendo boa, está longe de ser «perfeita»…

A CDU, chegam «eles» a dizer,  não é importante para Oliveira do Hospital… Mas a vida mostra que a CDU faz falta ao nosso Concelho, às suas Freguesias e à sua População.  A  CDU «joga limpo», respeita as normas democráticas, trabalha e não se vende !

Aliás, caso a CDU estivesse representada nesta AM ou no Executivo Camarário, já o Presidente da Câmara e o PS teriam sido chamados «à pedra», por exemplo, para nos dizerem «coisas» acerca das graves omissões que há no «rescaldo» a fazer aos trágicos incêndios de Outubro passado.  Aliás, são omissões algumas delas escandalosas como o «esquecimento» da recuperação das habitações não permanentes ardidas nessa altura e já lá vão 9 meses…tantos como também já leva o actual mandato autárquico!

Repete-se, antes e durante a última campanha eleitoral para as Autáquicas, o PS e seus principais candidatos usaram e abusaram, antidemocraticamente, das suas posições – e dos recursos – nos Órgãos Autárquicos para obterem votos a seu favor nas eleições.

Outros partidos, como o PSD e o CDS/PP, que tanta «oposição» prometiam fazer ao PS, logo se mancumunaram com este partido e seus principais autarcas a pontos de a prometida «oposição» cedo ter ficado «castrada»…

Afirmamos bem alto e inspirando-nos num poeta talentoso:«podem chamar o PCP ´de nomes´ mas de partido ´castrado´ é que não !». E mesmo António Costa, ainda que o não soubesse já, iria aprender que assim é…se assim tiver que ser !!

Autor: João Cruz

LEIA TAMBÉM

Valorizar os sinais de sofrimento psicológico é o primeiro passo para evitar o suicídio. Autor: Joaquim Cerejeira

Uma pessoa em cada 40 segundos comete suicídio. É esta a estimativa que a Organização …

“Crónicas de Lisboa”: Sinto Saudades do Futuro. Autor: Serafim Marques

Ter saudades do futuro, como assim se a saudade é um sentimento de algo ou …

  • carlos

    Só erros !!

    • Popular

      É verdade…
      Também há “centrão em OH”!
      “Ora, agora, danço eu,
      E, mais logo, danças tu.”
      Seguindo as cíclicas profecias do concelho, o próximo mandato da CM, na vereação e presidência, deveria ser do PPD/PSD…ahahhaha
      Já nem com “bruxas”.

  • João Paulo Albuquerque

    Nunca mais o vi nas Assembleias Municipais, muito menos em reuniões de câmara, agora informa-se “no que ouve por aí”, por “fotografias”, pelo “dizem”…, enfim, fiquei exclarecidissimo sobre a informação que tem das posturas políticas actuais.
    Aconselho-o firmemente a ler as actas de reunião de câmara e as da assembleia municipal, para não dizer tanta asneira junta.
    Em Oliveira do Hospital, só um partido faz oposição, só um partido se prepara politicamente, é o PSD, os outros, desculpe, nem ruído fazem.
    Espero que leia as actas e se retrate afim de não ser motivo de chacota, de gozo da opinião pública e publicada do concelho.
    Saudações políticas
    João Paulo Albuquerque