Caule ajuda à integração de jovens no mercado de trabalho

A integração de um jovem utente da ARCIAL é o mais recente exemplo da “responsabilidade social” que a Caule– Associação Florestal da Beira Serra vem assumindo desde que foi criada em 2001.

Conhecida pelo trabalho que desenvolve na área da floresta e do ambiente na zona da Beira Serra e em vários concelhos dos distritos de Viseu e da Guarda, a Caule assume-se hoje como uma “entidade com responsabilidade social”. Uma realidade que, conforme comunicado enviado ao correiodabeiraserra.com, decorre da preocupação da Associação Florestal, dirigida pelo oliveirense José Vasco de Campos, de proporcionar desde a data da sua criação e até hoje, “a integração no mercado de trabalho de dezenas de jovens com formação em diferentes áreas de conhecimento, designadamente jovens com incapacidades motoras e cognitivas”.

“A Associação acaba de proporcionar ainda recentemente a integração de um jovem utente da ARCIAL – instituição de apoio a pessoas com deficiência – que frequentava o curso de formação profissional de jardinagem, na execução de trabalhos de limpeza da floresta”, informa a Caule em comunicado, reportando-se em concreto, ao jovem Diogo, que se encontra a realizar um estágio profissional, havendo abertura para que outros jovens com semelhante formação sejam admitidos no seio da associação.

Para a Caule, “este é um claro exemplo de como uma associação, com um raio de ação completamente diferente do setor social, pode também promover a solidariedade e a igualdade de oportunidades, denotando preocupações com algumas faixas da população, muitas vezes, discriminadas no mundo do trabalho”. Uma preocupação social que não se esgota no território concelhio, já que semelhante postura também tem sido assumida nos restantes concelhos abrangidos pela intervenção da Caule, onde a Associação “tem vindo a acolher pessoas, com reconhecidas limitações, para a realização de estágios profissionais”. “Entendemos ser importante este nosso contributo para a comunidade onde nos inserimos”, refere o dirigente da Associação Florestal da Beira Serra, para quem a “responsabilidade social” deve fazer parte do “ADN” de todas as organizações, independentemente do seu objecto ou área de actividade.

Para além da aproximação a instituições que prestam apoio a deficientes, a Caule também tem recebido jovens recém-formados das escolas profissionais da região. Recentemente, a Associação integrou o leque de entidades promotoras da Eptoliva (Escola Profissional de Oliveira do Hospital e Tábua), proporcionando aos alunos a realização de estágios profissionais e, assim, uma melhor integração no mercado de emprego.

LEIA TAMBÉM

Bruno Amado ganha recurso e é confirmado como Presidente União de Freguesias de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira

O presidente da União de Freguesias de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira ganhou …

Câmara de Seia investe 750 mil euros na educação

A Câmara Municipal de Seia vai realizar um investimento de 750 mil euros durante este …