CDS apresentou Projecto de Resolução para conclusão do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital

O CDS deu hoje entrada com um Projecto de Resolução na Assembleia da República no qual recomenda ao Governo que complete a ligação do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital. Os centristas defendem que a conclusão daquele troço de seis quilómetros é fundamental e, depois de apresentarem vários argumentos, os deputados do partido liderado no Distrito de Coimbra pelo oliveirense Luís Lagos concluem que “a Assembleia da República, nos termos da alínea b) do artigo 156.º da Constituição da República Portuguesa, delibera recomendar ao Governo: que complete a ligação inacabada do IC6, desde Tábua até Oliveira do Hospital”.

O IC6, explicam os deputados subscritores (Ana Rita Bessa, Hélder Amaral e Pedro Mota Soares) no documento, é um itinerário complementar idealizado para ligar Coimbra à Covilhã, através do interior do distrito de Coimbra e da encosta sul da Serra da Estrela (passando nomeadamente por Tábua, Oliveira do Hospital e Seia), sendo, por isso, uma estrada fundamental de ligação mais directa a Coimbra. “No entanto, nunca foi concluído, fazendo até à data somente a ligação entre o IP3 em Oliveira do Mondego (Penacova) e a EN17 em Candosa (Tábua), faltando apenas cerca de seis quilómetros para completar a ligação inacabada desde Tábua até Oliveira do Hospital”, referem, lamentando as recentes notícias, segundo as quais o Gabinete do Ministro do Planeamento e Infraestruturas de momento não tem “qualquer programação para a construção do IC6”.

Aqueles deputados recordam ainda que a região que abarca a Beira Serra e a Serra da Estrela é um território de grande tradição agro-silvopastoril e industrial, nomeadamente do sector têxtil que tem vindo a sofrer, ao longo das últimas décadas, “um processo de esvaziamento que conduziu ao encerramento de um elevado número de unidades fabris, no referido sector”. Os centristas consideram que do ponto de vista económico e empresarial a melhoria das acessibilidades representa a solução para viabilizar mais investimento e empreendedorismo a nível local. “Podendo vir a permitir o pleno aproveitamento de todas as potencialidades ambientais, industriais e turísticas da região e, assim, contribuir para a inversão do ciclo socioeconómico regressivo”, alegam os deputados.

O grupo de deputados do CDS aproveita ainda para elogiar os empresários locais que, apesar, de todas as adversidades têm apostado em novas empresas estratégicas ligadas aos produtos endógenos, nomeadamente dos sectores dos lacticínios (fileira do queijo), têxtil, floresta e, também do sector do turismo, sendo este último, asseguram, muito prejudicado pelos maus acessos. “O turismo tem vindo a demonstrar enormes potencialidades para a região, mas enfrenta graves dificuldades de afirmação resultantes, em larga medida, das deficiências na rede de acessibilidades”, sublinham, frisando que os itinerários complementares IC6 (Tábua/Oliveira do Hospital/Seia/Covilhã), IC7 (Seia/Gouveia/Celorico da Beira) e IC37 (Viseu/Seia) “são fundamentais ao desenvolvimento da região Centro do país e na ligação entre as duas partes da Serra da Estrela, podendo aproximar as distâncias entre as várias localidades e ainda facilitar a mobilidade de pessoas e o transporte de mercadorias”.

LEIA TAMBÉM

Nelo Silva é o candidato da coligação liderada pelo CDS à Bobadela

A coligação “Construir o Futuro”, liderada pelo CDS, e que integra o MPT e o …

Cooperativa Capital dos Frutos Silvestres, criada em Oliveira do Hospital, prevê produzir já este ano 100 toneladas de mirtilo e framboesa

Uma cooperativa de produtores de frutos silvestres prevê produzir este ano 100 toneladas de mirtilo …

  • António Lopes

    Doutor Luís Lagos….Não me diga que também tenho que o incluir na “politica Politiqueira”.Tanta coisa para fazer e corrigir, que é da nossa responsabilidade e vamos entrar nesta.Se fosse para fazer o CDS saiu do Governo há meia dúzia de dias…Eu continuo na minha.Se querem tanto o IC6 porque não está ele feito..? Ou será que PS,PSD e CDS só acham o IC6 uma necessidade quando estão na oposição..? O grave é que o nosso Povo até gosta que o enganem.Veja lá que até vota maioritariamente nos três..! Acho que é por isso que vai demorar, esse bendito IC.

  • António Lopes

    É mais ou menos público que não morro, nem nunca morri, de amores pelo PS.Quem tiver dúvidas que leia a acta de 26 de Abril de 2012 da AM. Já aqui comentei, algumas vezes, que quem teve melhores condições para Fazer os ICS, além de Cavaco Silva que iniciou os projectos, foi António Guterres , que fez o primeiro troço..Ao tempo a dívida pública era de 50% do PIB e não havia troika nem controlo tão apertado de Bruxelas.Guterres fez a A8, que está às moscas.Fez a A6 que , nem moscas, tem Fez a A23 toda do outro lado da serra.Não fez os ICs porquê?
    Porém estou muito surpreendido com o Sr.Dr Luís Lagos, cujo partido deixou de ser governo no dia 25 de Novembro do ano passado, vir agora, reivindicar o IC6 Foi porque foi eleito líder Distrital e tem que dizer alguma coisa, ou entrou na “política Politiqueira”,,? Explique lá para a gente Senhor Doutor..O Senhor costuma ser moderado e comedido..! “Qui” passsa..? Se o CDS está assim tão interessado não fez porquê? Foi por falta de lembrança..?

  • Teófilo

    Muito bem!
    Paulo Portas, agora – cheio de grana! – bem colocado numa empresa de petróleo do México, patrocinará, sem dúvida e sem submarinos,este Projecto de Resolução para aconclusão do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital- petróleo, alcatrão, etc,etc…
    Assim anda esta bacoquice em Portugal…
    Votem no CDS, que a Assunção, a de Crista, agradece.
    E assim, com estas panaceias, a família se mantém.
    Primeiro, queremos votos.
    Depois, queremos empresas.
    Viva o regabofe.