CDS oliveirense ausente da cerimónia de comemoração do feriado municipal como protesto pela condecoração a Ana Abrunhosa

O CDS oliveirense vai estar ausente da cerimónia de comemoração do feriado municipal que vai decorrer no domingo nos Paços do Município, enquanto o PSD reforça críticas à entrega da medalha de Ouro a presidente da CCDR Centro. Os centristas justificam esta atitude com o facto de a comemoração culminar com a entrega da mais alta distinção municipal passível de ser atribuída, medalha de ouro, a Ana Abrunhosa, acto que classificam como uma “ofensa à dignidade dos Oliveirenses” e que “ não pode merecer outra resposta que não o boicote a tal ode à inoperância e incompetência”.

“Como tal o CDS-Partido Popular em coerência com os seus princípios, e em solidariedade com os ainda desalojados, entende que não pode estar presente em tão despropositada homenagem. Somos gente nova, com ideias novas que querem inaugurar um tempo novo no concelho, é isso que podem esperar do CDS-Partido Popular”, sublinham.

Os responsáveis do CDS-PP lembram ainda que a posição do partido quanto a esta atribuição foi demonstrada na última Assembleia Municipal, na qual o eleito Rafael Dias manifestou “a rejeição incondicional à atribuição deste título” a Ana Abrunhosa. “É do conhecimento público a mácula com que está marcado o processo de reconstrução anómalo liderado pela CCDR-C dada a redundância grotesca dos seus resultados práticos: ZERO casas reconstruídas”, referem os centristas que acusam ainda a líder da CCDR e o presidente da autarquia José Carlos Alexandrino, de não ter consideração pelas empresas oliveirenses.

“Pautando-se pela exclusão das empresas de construção Oliveirenses do processo que viram ser-lhes passado um autêntico atestado de incompetência, e que ainda ganham o epíteto de ignorantes pelo Presidente do Município, como se pode pois renascer se importamos serviços de empresas longínquas que agora acabam a subcontratar os serviços das nossas empresas, ao invés de auxiliar os nossos empresários injectando dinheiro na economia local, criando postos de trabalho”, frisam, ao mesmo tempo que não poupam criticas a José Carlos Alexandrino que acusam de defender mais o Partido Socialista que os oliveirenses que o elegeram.

“Esperava-se mais do Sr. Presidente da Câmara, no sentido de reivindicar estas adjudicações para as nossas empresas, não podia ter aceitado menos, pois menos é lesar o interesse oliveirense”, explica a estrutura liderada por Nuno Alves. “Não houve qualquer tipo de pressão pública, não houve nenhum processo reivindicativo, nem um simples comunicado escrito de condenação e discordância e, sobretudo, demarcação dos actos incompetentes perpetrados por esta CCDR-C que tem ZERO casas reconstruídas a seu cargo no nosso concelho. Pelo contrário, parece haver uma cumplicidade imaculada entre o Sr. Presidente do Município e a Sra. Presidente daquela instituição que culminam, pasme-se, numa atribuição da medalha de ouro do nosso concelho à referida senhora, o que nos leva a concluir que o Sr. Presidente do Município prefere a defesa do interesse do Partido Socialista, que é como quem diz da presidente da CCDR-C, bem como do governo socialista em detrimento dos oliveirenses que o elegeram!”, acusam, rematando que José Carlos Alexandrino também não tem falado verdade.

“Reconstrução total não é reabilitação ou requalificação, reconstrução total implica a destruição total de determinada habitação, tendo portanto valores sempre superiores a 25.000. Podemos portanto constatar que até data, e volvido quase um ano, não houve efectivamente qualquer tipo de obra concluída, ao contrário das 48 casas requalificadas apontadas pelo Sr. Presidente da Câmara, tendo inclusive publicamente reconhecido, que não há possibilidade de cumprimento do prazo de 31 de Dezembro de 2018 avançado pela CCDR-C”, concluem.

PSD reforça criticas

O PSD reforça as criticas à condecoração de Ana Abrunhosa referindo que não reconhece excepcionalidade ao trabalho realizado por Ana Abrunhosa. “É uma figura que nada representa de significativo para o nosso concelho, uma vez que num contexto tão negativo como o pós 15 de Outubro e perante tamanha calamidade, a ineficácia da actuação da CCDRC tem sido dramática”, explica a estrutura liderada por João Brito.

Considerando que a actual Presidente da CCDRC se tem limitado a executar tarefas para as quais é remunerada, os sociais-democratas acusam ainda Ana Abrunhosa de ter “demonstrado inércia na adjudicação das obras em ajuste directo, estando grande parte das mesmas por iniciar e nenhuma concluída”. Esclarecendo que não coloca em causa o seu currículo ou conhecimento académico, o PSD prefere questiona a sua competência e eficácia. “Principalmente no que se refere à reconstrução de casas de primeira habitação, das quais a CCDRC é dona de obra. Assim, o PSD questiona o que terá feito a presidente da CCDRC, além das suas competências, por este concelho e o que terá levado o executivo municipal a propor esta personalidade para tal distinção.

E terminam relembrando, que no seu entender, este galardão deverá ser atribuído “a personalidades que pelo seu prestígio, cargo, acção ou relacionamento com Oliveira do Hospital sejam dignas dessa relevância, tal como evidenciaram as restantes individualidades, postas à votação na passada assembleia e recolheram o voto unânime da mesma”.

 

LEIA TAMBÉM

Sociedade Recreativa Penalvense recebe XV Encontro de Tunas

A Sociedade Recreativa Penalvense recebe, este domingo, o XV Encontro de Tunas, em Penalva de …

Oliveira do Hospital vai contar com sistema de optimização de deposição de resíduos

O concelho de Oliveira do Hospital é um dos 16 municípios do Planalto Beirão que …