CDU reclama transporte público até Ervedal da Beira e acusa Câmara de se esquecer de obras importantes

Os elementos da CDU representados na União das Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca da Beira pretendem que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e a Junta coloquem transportes de serviço público, pelo menos uma vez por semana, entre Ervedal da Beira e as restantes localidades daquela União de Freguesias. Os eleitos daquela força partidária defendem a necessidade daquele serviço para os utentes de Vila Franca da Beira, Fiais da Beira e Póvoa de S. Cosme tenham a possibilidade de aceder facilmente à extensão de saúde, mas também à farmácia e serviços bancários.

Os responsáveis da CDU acusam a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal de falta de vontade política para resolver o problema. “Os principais eleitos PS na Junta e na Assembleia de Freguesia teimam em não reconhecer essa necessidade, sobretudo sentida pelos mais idosos os quais têm que se deslocar com frequência, por exemplo, até à Extensão de Saúde, em Ervedal. Trata-se de um comportamento lamentável”, explicam, culpando igualmente o executivo liderado por José Carlos Alexandrino. “A Câmara Municipal – que desde início está conhecedora de toda a situação – mantém-se passiva e não resolve o problema dos Transportes como também lhe compete. Entretanto, diariamente, a Câmara até tem autocarros disponíveis na Cordinha…”, acusam.

Sublinhando que está para breve a inauguração das novas instalações da Extensão de Saúde em Ervedal da Beira, os elementos da CDU referem que se trata de uma obra importante que “peca por tardia” e que se arrasta desnecessariamente desde, pelo menos, desde 2014. “A obra andou mas foi um processo que (apesar dos avisos da CDU) se arrastou pelo menos desde 2014. Tiveram mesmo que recorrer ao expediente da ‘usucapião’ para a Junta legalizar os terrenos e os ‘vender’ simbolicamente à Câmara… Foi por um triz que a Câmara não comprometeu o prazo da candidatura que conseguiu junto do Ministério da Saúde que financia a 85 por cento a Obra – custa na ordem dos 300 mil Euros – sendo que a Câmara paga 45 mil”, frisam, deixando no ar a ideia que esta estrutura poderá ser utilizada como arma de campanha eleitoral.

“É agora provável que esta obra seja inaugurada antes de 1 de Outubro, data das próximas Eleições Autárquicas, pois claro…”, escrevem, lembrando de seguida que mais importante que a inauguração é dotar aquela extensão dos meios necessários. “É preciso garantir que haja médicos, enfermeiros e administrativos para que a ‘nova’ Extensão de Saúde funcione bem melhor do que está a funcionar agora”, explicam.

As acusações de incapacidade da Junta em repor os limites históricos da Freguesia na margem esquerda do Rio Seia e as obras que a Câmara se tem esquecido

Os elementos da CDU acusam ainda os eleitos do PS de serem incapazes de reporem os limites históricos da freguesia de Ervedal da Beira. “Chega a ser lastimosa a falta de competência ou, pior ainda, a falta de interesse dos principais eleitos do PS quanto a este importante assunto. Trata-se da devolução – justa – de muitos terrenos, afinal, de toda aquela parte na margem esquerda do Rio Seia, praticamente entre a Ponte do Salto, as Olas e o Pisão. São terrenos que, em 2002, a Direcção Geral do Território fez passar, arbitrariamente, para a freguesia de Lagares da Beira. Ora, na altura, ninguém foi tido ou achado na mudança o que nos dá ainda mais razão para reclamar a correcção deste abuso”.

Referindo que, em meados de 2015, na Assembleia de Freguesia, os eleitos CDU fizeram aprovar uma moção à Junta de Freguesia para que esta fizesse tudo para repor os limites históricos da Freguesia de Ervedal e, por consequência, também os da freguesia de Lagares, os elementos daquela força política garantem que “no início deste ano, a Junta de Freguesia (PS) confessou que ainda não tinha arranjado elementos para contestar a mudança dos limites da Freguesia, o que chega a espantar pelo alto grau da incapacidade revelada!”.

“Então, a CDU apresentou uma proposta, em Março 2017, para a constituição de uma comissão, composta pelo Presidente da Junta e por representantes das forças políticas com assento na Assembleia de Freguesia – PS – CDU – PSD – para trabalharmos em conjunto com esse objectivo. Porém, os principais eleitos PS na Assembleia de Freguesia aplicaram a sua ditadura da maioria e votaram contra a proposta. Ou seja, nesta matéria, aliás como noutras, o PS local nem faz nem deixa fazer! É lamentável!”, acusam, sublinhando que “ainda em 2015, esta Junta de Freguesia (PS) até já fora informada pela Direcção Geral do Território acerca do processo, só que a Junta ou não percebeu ou fez-se desentendida…”.

A CDU espera que a Câmara tome em mãos esta causa e que resolva outros problemas da sua competência que afectam a população e que há muito deveriam ter sido resolvidos. “A solução para a fossa com esgotos a céu aberto, ali, junto aos tanques próximos ao cemitério de Ervedal, a construção de uma ETAR em Póvoa de S. Cosme, o arranjo do piso da estrada entre Ervedal e Póvoa de S. Cosme, a pavimentação do estradão que passa ao campo de futebol e às ‘Palheiras’, em Fiais da Beira, o arranjo faseado do estradão do Vale do Mondego, a recuperação dos edifícios das ‘velhas’ escolas primárias para as colocar ao serviço das populações e a melhor promoção das boas potencialidades da nossa Cordinha”, descrevem, antes de, em forma de conclusão, voltarem a acusar a Junta de Freguesia de falta de iniciativa, esperando por isso que a Câmara resolva o arranjo da ruína na parte de trás do largo Professor César de Oliveira, em Fiais da Beira, que estimule o arranjo dos parques infantis em Fiais da Beira e em Póvoa de S. Cosme e que recupere as principais Fontes Tradicionais em toda a Freguesia, incluindo em Vale do Ferro.

LEIA TAMBÉM

Chuva regressa no próximo domingo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para domingo nebulosidade e períodos …

GNR deteve suspeito de atear fogo florestal em Viseu

A GNR anunciou hoje a detenção de um homem, de 56 anos, suspeito de atear …

  • António Lopes

    Jano; “tu não és de tempo”. Como diz um habitual comentador, e com a devida vénia, “oculiza”. Então, marcaram a Assembleia para dia nove para ficarem com o tempo todo disponível para os Santos Populares.Agora o tempo e o dinheiro disponível é para subsídios ramboias sardinhadas e entremeadas.Vens com um rol desses..? Nem tempo têm para ler.Agora,estão fixados é na festança..