Centro de Recreio e Convívio de Alvôco de Várzeas já tem viatura adaptada

… subsidiada pela Segurança Social. Na ocasião, o presidente da direcção do CERCAV lançou desafios ao governo e o governador civil não se poupou a críticas face à ausência do director do Centro Distrital da Segurança Social de Coimbra na cerimónia desta manhã.

Sem deixar de agradecer o contributo de 25 mil Euros do Centro Distrital da Segurança Social para a aquisição da carrinha – no valor de 33. 500 Euros – hoje entregue à instituição, o presidente da direcção do CERCAV, António Fontes revelou-se preocupado com a redução das consultas no posto médico da localidade – passou de três para uma vez por semana – e desafiou o governador civil de Coimbra, Henrique Fernandes a travar esta situação que obriga a população a dirigir-se para o posto médico às cinco da manhã para conseguir marcar uma consulta.

Ao representante do governo, Fontes transmitiu ainda a intenção da instituição que dirige em querer aderir à Rede de Cuidados Continuados, bem como de tentar encontrar um possível acordo para o transporte dos utentes do posto médico para o Centro de Saúde e serviços do hospital. A revisão dos acordos de cooperação, com o objectivo de alargar os relativos ao Serviço de Apoio Domiciliário foi outra das pretensões transmitidas, justificada com o argumento de que tal será sinónimo de mais postos de trabalho, bem como do prolongamento da estadia dos idosos em ambiente familiar.

Em matéria de Cuidados Continuados, António Fontes referiu-se a um projecto que integra a energia solar termodinâmica e fotovoltaica com garantias de auto-suficiência a médio prazo. António Fontes não deixou ainda de destacar o apoio prestado por parte do presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, cujo montante já ultrapassa – como disse – os 90 mil euros.

“Tivemos contributos que merecem para sempre ser recordados”, considerou, sem que na cerimónia desta manhã tivesse contado com a presença de qualquer elemento do executivo camarário, mas apenas do presidente da Junta de Freguesia local.

Governador Civil criticou ausência de Mário Ruivo

Presente numa cerimónia que se justificou pelo contributo da Segurança Social, o Governador Civil de Coimbra não viu com bons olhos a ausência do director do Centro Distrital da Segurança Social de Coimbra, Mário Ruivo, que apenas se fez representar. “É bom que as pessoas apareçam, quem não aparece esquece”, chegou a afirmar Henrique Fernandes, numa altura em que dava conta da importância do Estado Social como forma de apoiar quem mais precisa.

“Há 60 anos atrás não estaríamos aqui com certeza”, referiu o representante do Governo, notando que naquela altura “a solidariedade social era feita com base na caridade e nas misericórdias”. Embora dando conta das vantagens da “invenção do Estado Social” em benefício dos mais novos e dos idosos, Henrique Fernandes apelou à responsabilização das famílias no que respeita à vertente social.

“As verbas da Segurança Social são de todos nós, mas é preciso que as famílias, que têm meios e condições, não se omitam das suas responsabilidades”, acrescentou o responsável, falando de uma solidariedade intergeracional que passa de pais para filhos.

Não deixou ainda de alertar para a boa utilização das verbas disponibilizadas pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), com vista a tornar sustentável a economia nacional.

LEIA TAMBÉM

Candidato do PSD a Travanca promete “um presidente para todos os dias e não apenas para o fim-de-semana”

O PSD apresentou ontem publicamente a lista candidata à Assembleia de Freguesia de Travanca de …

Festival “Origens” de Travanca de Lagos agendado para o próximo fim-de-semana

Os Jovens da Liga de Travanca de Lagos apresentam, de sexta-feira a domingo, mais uma …