Centro Educativo de Nogueira do Cravo sem condições para abrir portas em setembro

 

… para o arranque do próximo ano letivo, também não deverá abrir portas em setembro.

Os alunos do 1º Ciclo de Ensino Básico (CEB) da freguesia de Nogueira do Cravo deverão iniciar mais um ano letivo nas instalações provisórias criadas, na primavera de 2011, na Casa do Povo da localidade.

O Tribunal de Contas ainda não emitiu visto favorável às obras do futuro Centro Educativo de Nogueira do Cravo que pelo segundo ano consecutivo vê a sua abertura e inauguração adiadas.

A obra que representa um investimento de cerca de um milhão de Euros, financiado em cerca de 80 por cento pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional teve previsão inicial de abertura no arranque do ano letivo que agora findou. Uma intenção que acabou por ser adiada, decorrente do chumbo do Tribunal de Contas dado o carácter urgente do concurso público, que colocou a empresa Irmãos Peres em primeiro lugar.

Devido ao chumbo do Tribunal de Contas, a obra já foi sujeita a um segundo concurso público, que voltou a ser ganho pela empresa responsável pelo arranque dos trabalhos.

A pouco mais de dois meses do início do novo ano letivo, a obra continua parada, não se perspetivando por isso a conclusão atempada dos trabalhos, no sentido de permitir ao município ao oliveirense cumprir com o segundo timing avançado para abertura do espaço.

Uma responsabilidade que o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital atribui ao governo que “congelou o QREN e não deixa fazer a reprogramação dos fundos comunitários”.

José Carlos Alexandrino falava assim na última reunião da Assembleia Municipal, numa altura em que dava resposta ao deputado do PSD, Rui Abrantes, a propósito do impasse em torno daquela obra e informava do atraso do Tribunal de Contas na emissão de visto favorável, necessário à boa prossecução dos trabalhos.

“A culpa é do governo”, insistiu José Carlos Alexandrino, notando que o problema não é de dinheiro, mas antes de reprogramação do QREN. Ainda que sem visto favorável do Tribunal de Contas, José Carlos Alexandrino disse já ter dado ordem para a retoma dos trabalho. “Espero é que o governo abra o QREN porque há muita gente nesta fila”, continuou o presidente da Câmara que vê no estado adiantado da obra – “ já fizemos mais de metade do Centro Escolar”, informou – uma vantagem para que o futuro Centro Educativo continue a ter financiamento assegurado, e para que o Tribunal de Contas emita visto favorável.

“Foi uma situação que nasceu torta e dificilmente se vai endireitar”

O impasse em torno do Centro Educativo de Nogueira do Cravo foi objeto de reparo por parte do deputado municipal do PSD, Rui Abrantes, que na última reunião da Assembleia Municipal lamentou que a obra esteja “mais uma vez parada”.

“Vai ser mais um ano letivo sem aulas lá”, constatou o social-democrata, referindo-se ao Centro Educativo de Nogueira do Cravo como “uma situação que nasceu torta e dificilmente se vai endireitar num período curto”.

Rui Abrantes disse lamentar o estado atual dos trabalhos, deixando contudo votos para que os trabalhos sejam retomados “o mais rapidamente possível para minimizar impacto na comunidade nogueirense”.

Uma postura que o presidente da autarquia oliveirense não deixou de considerar “estranha” tendo em conta as recentes declarações proferidas por “pessoas do concelho”, para quem “o Centro Educativo de Nogueira do Cravo é inútil”.

Mas é “uma questão de perspetiva”, clarificou José Carlos Alexandrino que certo da importância daquela obra para a freguesia e para o concelho, já tinha convidado pessoalmente o presidente da República, Cavaco Silva, para a inauguração do edifício prevista para o dia 7 de outubro, feriado municipal em Oliveira do Hospital.

Fruto da ampliação da antiga EB1 de Nogueira do Cravo, o futuro Centro Educativo da freguesia, que vai acolher os alunos da sede da freguesia e absorver os alunos de Galizes, Senhor das Almas e Santa Ovaia, não tem por enquanto data prevista para a sua conclusão. Um impasse que não deixa de causar insatisfação entre a comunidade local, em particular, junto dos pais cujos filhos frequentam as instalações provisórias. Uma situação que, este ano, se agrava com o encerramento previsto da EB1 de Senhor das Almas que vai saturar o espaço improvisado na Casa do Povo local.

Os trabalhos estão parados, mas este diário digital sabe  que o município oliveirense espera ter a obra concluída até ao final deste ano, podendo a abertura do Centro Educativo vir a acontecer no arranque do segundo período letivo.

O futuro espaço vai ter capacidade para 120 alunos e irá dispor de 10 salas de aula, seis delas destinadas ao 1º ciclo e quatro ao ensino pré-escolar. Contará ainda com duas salas para atividades diversificadas, um salão polivalente que também servirá de refeitório e uma biblioteca. A prática de Educação Física decorrerá no Pavilhão Desportivo de Nogueira do Cravo localizado na proximidade, distando apenas cerca de 50 metros do novo Centro Educativo.

LEIA TAMBÉM

Cemitério de Nogueira do Cravo vai ser ampliado

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital aprovou na sexta-feira o alargamento do cemitério de …

LMAN promove “peregrinação” ao Santuário de Nossa senhora das Preces em Vale de Maceira

A Liga de Melhoramentos Desporto e Cultura de Aldeia de Nogueira (LMAN) vai realizar no …