Cerca de 200 trabalhadores fazem vigília em Seia para reclamar mais de três milhões de euros

Mais de 200 antigos trabalhadores da empresa Beiralã, de Seia, começaram hoje uma vigília à porta da empresa para reclamar o pagamento de uma dívida global de salários e indemnizações superior a três milhões de euros. A notícia avançada na edição online do JN, refere que esta poderá vir a ser uma vigília por tempo indeterminado.

” Só saímos daqui quando a administração der uma resposta”, explicou ao JN o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis da Beira Alta, Carlos João, adiantando que não temem a forte presença da GNR no local. ” Voltamos a estar aqui amanhã para reclamar os direitos destas pessoas”, acrescentou o sindicalista.

A Beiralã com dezena e meia de pessoas ao serviço, recorde-se, entrou em processo de insolvência há sete anos. Na altura, a pretexto de reintegrar 150 operários, acordou com os restantes o pagamento de salários em atraso e indemnizações ao longo de seis anos. Mas, segundo os trabalhadores, a administração da têxtil não só não readmitiu o número de pessoas que prometeu, como também não pagou o que havido acordado.

LEIA TAMBÉM

Investigadores da Universidade de Coimbra desenvolvem nova forma de combater o estigma na obesidade e excesso de peso

Investigadores do Centro de Investigação do Núcleo de Estudos e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade …

Moléculas da cerveja desvendadas na Universidade de Aveiro

Fragrâncias frutadas, vegetais e aromas tostados ou a caramelo provenientes do lúpulo ou do malte. …