Cerca de 200 trabalhadores fazem vigília em Seia para reclamar mais de três milhões de euros

Mais de 200 antigos trabalhadores da empresa Beiralã, de Seia, começaram hoje uma vigília à porta da empresa para reclamar o pagamento de uma dívida global de salários e indemnizações superior a três milhões de euros. A notícia avançada na edição online do JN, refere que esta poderá vir a ser uma vigília por tempo indeterminado.

” Só saímos daqui quando a administração der uma resposta”, explicou ao JN o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis da Beira Alta, Carlos João, adiantando que não temem a forte presença da GNR no local. ” Voltamos a estar aqui amanhã para reclamar os direitos destas pessoas”, acrescentou o sindicalista.

A Beiralã com dezena e meia de pessoas ao serviço, recorde-se, entrou em processo de insolvência há sete anos. Na altura, a pretexto de reintegrar 150 operários, acordou com os restantes o pagamento de salários em atraso e indemnizações ao longo de seis anos. Mas, segundo os trabalhadores, a administração da têxtil não só não readmitiu o número de pessoas que prometeu, como também não pagou o que havido acordado.

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …

Elon Musk defende rendimento universal para compensar “roubo de empregos pela” automação

Com muitos relatórios a apontar para uma redução significativa do número de empregos disponíveis no futuro, podendo …