Cerca de 30 por cento da mão-de-obra de multinacional espanhola instalada em Nelas é do concelho de Oliveira do Hospital e vai continuar a contratar

A multinacional Covercars, uma empresa que fabrica componentes automóveis, que ontem inaugurou as novas instalações, num investimento a rondar os 4 milhões de euros, é liderada em Portugal pelo oliveirense António Cardoso e cerca de 30 por cento dos actuais funcionários foi recrutado no norte do concelho de Oliveira do Hospital, particularmente nas freguesias do Seixo e Ervedal da Beira. A empresa, que trabalha fundamentalmente para o grupo Volkswagen, em particular para a Autoeuropa, conta actualmente com 70 colaboradores e vai continuar a contratar, esperando chegar ao final deste ano com cerca de 150 trabalhadores.

A unidade sediada em Nelas ganhou este investimento a outras empresas do grupo, designadamente à fábrica instalada Marrocos, Tanger, e teve o apoio da autarquia local que realizou um investimento num novo espaço, a Zona Industrial da Ribeirinha. “Isto não está aqui por acaso. Está aqui porque a Câmara comprou sete hectares de terreno, infra-estruturou tudo isto e o presidente da Câmara contactou os empresários para lhes dar conta que tinha oferta empresarial em Canas de Senhorim”, explicou o presidente do município de Nelas, José Borges da Silva, que quando foi contactado pelo responsável da Covercar para encontrar um terreno para ampliação das instalações de imediato lhe indicou aquele local. As antigas instalações da empresa espanhola vão agora ser ocupadas pela firma “DS SMITH DISPLAYS PORTUGAL” que se dedica à produção de embalagens de cartão e mostruário comercial e prevê a criação de, pelo menos, 76 postos de trabalho.

O presidente da Câmara Municipal de Nelas aproveitou ainda o dia de ontem, durante o 4º Seminário de Empreendedorismo que decorreu naquela localidade, para assinar um outro protocolo de investimento com o empresário italiano Guido Socchi. Este investidor pretende instalar uma unidade industrial de “produção de componentes de capacetes tecnologicamente inovadora, sendo que o investimento em maquinaria de alta tecnologia ascende ao montante global de mais de 800 mil euros”. O empresário pretende, numa primeira fase, apostar na construção de um ou dois pavilhões modulares com pelo menos 432 metros quadrados cada, criando 40 postos de trabalho, prevendo duplicar o número de funcionários numa segunda etapa. Como contrapartida, o município vai ceder um terreno de 10 mil metros quadrados na Zona Industrial da Ribeirinha, em Canas de Senhorim.

Também a empresa Purever Industrial Solutions, instalada em Nelas desde 1991, antes com a designação de Dagard Ibérica e mais tarde ColdKit, segundo a autarquia, tem um projecto de investimento em curso, que prevê a ampliação das instalações e a criação de mais 30 postos de trabalho (a juntar aos actuais mais de 150 funcionários), apoiado por fundos comunitários PT2020. Esta empresa é líder na produção de equipamentos para quatro áreas de negócio em todo o mundo: equipamentos para Hotelaria e Restauração, comercio alimentar, construção modular, isolamento para a indústria agro-alimentar e salas limpas.

Confrontado com esta dinâmica, o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, logo na inauguração das instalações da Covercar elogiou o trabalho desenvolvido pelo presidente da Câmara Municipal de Nelas. “Juntou-se aqui a vontade de um investidor e de uma autarquia. Esse é talvez o referencial mais importante que nós temos hoje do que são aquilo que em chamo de autarcas do século XXI. Os autarcas do século 21 compreendem que as infra-estrutura das águas e outras infra-estruturas básicas estão ultrapassadas na maior parte do nosso território. O novo autarca é aquele que pugna pelo desenvolvimento económico e pelo emprego no seu território. E essa foi a luta que ocorreu aqui nos últimos anos e que redundou na criação de emprego para 100 famílias”, referiu.

O governante mostrou-se ainda convencido que este é “um tempo bom” para o nosso país. “É um tempo em que se junta esta vontade de investir e a capacitação dos nossos autarcas para melhores condições económicas e mais condições de confiança para que depois dos 100 postos de trabalho previstos para o final do ano outros mais virão também aqui em Canas, também aqui em Nelas”, sublinhou, para concluir que estava “numa terra do interior, numa terra dinâmica, com tradição industrial”.

 

LEIA TAMBÉM

Alexandrino acusa alguns médicos de “boicote” ao SAP “numa tentativa de ele fechar” e coloca em causa qualificação de um clínico

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital teceu hoje duras críticas a “alguns …

Saúde em Oliveira do Hospital continua envolta em crise, utentes queixam-se e presidente da Câmara reconhece que solução não está nas mãos da autarquia

Uma utente não conseguia disfarçar a sua indignação por não ter, mais uma vez, conseguido a …

  • Ele & Ela

    Tal e qual como a Zona Industrial de Oliveira! São só empresas novas a serem criadas todos os dias! nelas não tem a maior Festa do Queijo do Mundo, não tem a maior abóbora nem o maior requeijão do mundo, mas tem empresas que criam postos de trabalho, coisa que não acontece em Oliveira. Uns dizem que trabalham, mas há outros que mostram trabalho a sério! Aprende Alexandrino, a vida não são só festas!

  • António Lopes

    Se não visse , não acreditava. Então o Rui Moreira diz que não quer “más companhias” (PS) e, o PS a “má companhia”, cede e diz que fica de fora , na segunda maior cidade do País,embora a quarta eleitoralmente falando..? Será isto normal, no partido que governa o País, ou será o medo de um resultado à europeia..? 7 a 10%?

    • António Lopes

      Andam mesmo para me contrariar.Mal fiz o reparo anunciaram logo o candidato..!
      Lá vão ter os 7 a 10%..!

      • rui moreira

        Temos empresários de louvar em OHP tudo tentam para crescer e evoluir investindo no concelho o António Lopes nunca vi nada, ninguém sabe quem é esse senhor .Para minha é mais um papagaio raro vindo de cabo verde.

        Ainda por cima não sabe ouvir nem ler as noticias que comenta. DELET

        • António Lopes

          Olhe que o maior edifício de Oliveira do Hospital fui eu o promotor.Se não vê, o problema é mais de não querer ver.É esse em frente ao parque do Mandanelho. Onde mora o Senhor presidente da Câmara, da Junta, da Assembleia(eleito) etc etc…
          Veja se treina que para esse novo nome não está com grande saída…! Explicaram-lhe mal a lição ou deram-lhe uma cábula errada…! Veja lá isso. Olhe e ainda tem mais umas coisas por aí…Também quer que lhe mande as cadernetas.Já não seria o primeiro…

  • rui moreira

    Este jornal é uma nódoa todos comentário feitos contra opinião do sr. Lopes e contra ao PSD são eliminados … Isto sim, pode chamar comunicação censurada é uma VERGONHA,aliás são todos uma cambada de cobardes…. vem para aqui fazer campanha suja e criticar tudo e todos , já que não fazem em publico ando ás escondidas a picar estes e aqueles como ratos de esgoto. sejam honestos !!!

    Sabem criticar mas onde estão as ideias inovadoras onde está a transparência politica , único meio de comunicação que se usam é deste blog falsificado já foi pedida uma auditoria a entidade reguladora para acabar com este blog. acho muito bem que o façam.

    • António Lopes

      “Rui Moreira” é? …??? O maior cego é o que não quer ver.dê lá uma voltinha que logo encontra as propostas.Uma das últimas que fiz, que até é barata, foi para porem umas placazinhas a indicar o novo Hotel das Caldas de S.Paulo.Nem isso são capazes de fazer..! Eu costumo assinar com um nome que toda a gente conhece…Cobardes é capaz de haver…Essa de me perguntar a mim, por transparência política tem uma certa piada..? o Senhor é de cá? Eu sei que é e até sei que anda debaixo do telhado da Casa Branca..! Anda preocupado? Razões não lhe faltam…!