Cerca de seis toneladas de queijo apreendidas em Meruge, Oliveira do Hospital

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu 5.900 quilos de queijo de leite de cabra produzido numa unidade da freguesia de Meruge, concelho de Oliveira do Hospital, cuja respectiva autorização de fabrico já lhe tinha sido suspensa. Do lote apreendido 5.177 quilos de queijo curado e de 723 quilos de queijo fresco.

A apreensão foi feita no âmbito de uma acção de fiscalização da Unidade Regional do Centro da ASAE àquela pequena unidade fabril, ligada à Quinta da Rigueira, localizada na freguesia de Meruge, por “suspeita de se encontrar a laborar sem a necessária autorização”. O valor global “superior a 47 mil euros”, anunciou aquele órgão de polícia criminal. A empresa Queijos Lagos, por seu lado, já fez saber que não tem nada a ver com esta acção. “Nós tivemos uma unidade em Meruge, mas já está desactivada. Agora a nossa produção industrial já está estabelecida em Seia há muito tempo e não queremos qualquer tipo de confusão”, sublinha o gerente da empresa Queijos Lagos, Luís Lagos.

No decurso das diligências, desencadeada em colaboração com a Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, a ASAE apurou que a queijaria “continuava a produzir queijos, apesar de já lhe ter sido suspensa a sua autorização de laboração”, afirma uma nota da autoridade administrativa nacional, hoje divulgada.

LEIA TAMBÉM

Faleceu a romancista Ermelinda da Silva

A romancista Ermelinda da Silva natural de Vila Franca da Beira faleceu ontem e funeral …

Um ferido grave e outro ligeiro num despiste em Tábua

Um despiste esta tarde (18h04) na Estrada Municipal 1304, na freguesia de Vila Nova de …

  • Desqueijado

    Alguém deu com ” o queijo nos dentes”?
    É que a concorrência é feroz, e o “espertismo” também

  • politicalex

    Com o sucesso da feira do queijo não há queijo que resista.Vai daí é muita a procura e muita a concorrência.Essa do “espertismo” estou cá com uma curiosidade…podia levantar uma pontinha do véu? Só para ver se é o que estou a pensar…

  • Sérgio Correia

    Não sou jornalista nem pretendo ser, mas como leitor julgo ter o direito de contestar alguma da informação aqui publicada. Assim sendo acho que esta fica só por meia notícia. Afinal a apreensão foi de queijo da serra ou de queijo de cabra? Afinal qual o nome da queijaria? Afinal se a mesma está ligada à Quinta da Rigueira como é possível a mesma ter estado a fazer uma degustação no supermercado da Cooperativa Agrícola (ver página do facebook da quinta)? Isto de colocar uma foto de um queijo da serra? e fazer copy e paste de outras fontes não será jornalismo. Digo eu …

    • António Lopes

      Caro Sérgio Correia:
      Também não sou jornalista, não sei o que ele pensa, sequer se te vai responder.
      Dentro da responsabilidade que tenho e pela consideração que me mereces, começo por agradecer a crítica.Não quer dizer que concorde mas, da discussão nasce a luz. Pessoalmente não vejo o porquê nem o interesse em se discutir se o queijo é de cabra de ovelha ou vaca.Do que deduzo da notícia, nem está em causa a qualidade do queijo.Deduzo ser uma questão de licenciamento a que não estará alheio, algum excesso de zelo da ASAE, useira e vezeira nesses comportamentos . A que não percebo mesmo, é a causa e efeito da degustação no Supermercado da Cooperativa Agrícola.Não estou a dizer que não tenhas razão.Eu, talvez por desconhecimento meu, não atinjo. A notícia é, foi feita uma apreensão de queijo. Bem ou mal feita, sendo pela autoridade competente, tem que presumir-se bem feita, Não é citado qualquer caso de saúde pública, tão só de licenciamento pelo que me parece muito bem, não ser citado o nome, pois até prova em contrário, todos tem direito a ele, bom nome.Dada a minha opinião, continua a expressar a tua.És sempre bem vindo, mesmo que seja para “puxar as orelhas”. Por aqui desenvolvemos salutares hábitos de cultura democrática, pelo que convivemos bem com a crítica.Pena que os que criticamos não cultivem os mesmos valores.
      Abraço..

  • Sérgio Correia

    Caro António Lopes

    Sem querer estar aqui a alimentar qualquer polémica, até porque não sou profissional comentarista (a minha guerra é outra), só comentei a meia notícia porque colocar uma foto de queijo da serra num artigo sobre apreensão de queijo de cabra, continuo a considerar que não é informar, mas talvez intoxicar, seja lá ela qual for a intenção. Deve ter reparado nos outros comentários … os do costume …. se nós, de alguma forma e dentro das nossas possibilidades, não defende-mos o que nos é querido, por certeza não serão os outros a fazê-lo. Saudações Vilafranquenses.
    Sérgio Correia

    • cbserra

      Caro Sérgio Correia, a foto é de queijo de cabra. Se lhe parece queijo da serra, lamento. A fonte de informação foi um comunicado da própria ASAE. Só para que fique esclarecido, a ASAE não especifica exactamente qual a queijaria. Se reparar o CBS foi o primeiro a colocar os “Queijos Lagos” fora da equação, dado que é uma marca conhecida e fundada em Meruge. Se considera isto é intoxicar… É a sua opinião que vale o que vale, mas que respeitamos. Cumprimentos.

    • António Lopes

      Sérgio:Estou a gostar do “papo”. Como sabes , fui pastor aí em Vila Franca.Fartei-me de pisar cardo, abanar o leite para coalhar e para o requeijão, bater a “coalhada”(nata) para fazer manteiga.É por isso que nunca conheci o desemprego.Viro-me em vários ramos.Mas, assim na foto, ver que é queijo de cabra, a minha vista não alcança.Talvez da idade.E porque tenho uma sobrinha que faz queijo de cabra e duas que fazem de ovelha, há sempre dos dois, cá em casa.E são bem diferentes, até no aspecto.Mas como te digo, não vislumbro.O que conta, e sem querer convencer-te de nada, cá o “paskim”

      como uma vez apelidaste e justificaste, ainda é o que vai dando alguma novidade e fazendo algum contraponto, e o único que não recebe avença, perdão, publicidade e, como tal, cumprindo as melhores regras, o único que vai escrutinando o poder, como qualquer jornal que se preze…Também não tens que concordar comigo…Abraço e manda sempre…

  • Sérgio Correia

    Só para colmatar uma falha minha, …. se a ASAE aprende num dia, porque não no outro local … eu também não atinjo … mas também não acredito em coincidências. Reitero as saudações.
    Sérgio Correia

    • Desqueijado

      Perdão:
      – “…a ASAE aprende”, ou apreende?
      Desde a sua fundação, não me parece que a ASAE tenha aprendido lá grande coisa…
      A ASAE não se fundou para aprender o que quer que seja…
      Seja sobre queijo, ou seja lá o que for: a ASAE é uma espécie de “braço armado” para outro tipo de guerrilha…
      E, em questões de queijo, e doutros derivados de leite, a guerrilha é enorme.