Clínica Médica e Paramédica na vanguarda da “mente sã em corpo são”

Com um histórico de17 anos marcado pela fidelização de muitos oliveirenses, a Clínica Médica e Paramédica de Oliveira do Hospital (CMPOH) deu o salto. A funcionar em modernas instalações, o espaço ultrapassou o tradicional conceito de clínica, passando a ser encarado com um local de promoção do bem estar do corpo e da mente.

Desde há sensivelmente um ano a esta parte, falar de relaxamento e bem estar, terapia e yoga do riso, alimentação adequada e estilo de vida saudável, é falar em Clínica Médica e Paramédica de Oliveira do Hospital. Uma mensagem que tem passado de boca em boca com a ajuda da preciosa rede social facebook e que tem possibilitado à clínica localizada na cidade de Oliveira do Hospital granjear um cada vez maior número de adeptos que, habitualmente, excede as vagas previstas. Falamos em particular dos vários workshops que a clínica, nascida em 1996 para prestar consultas da área da medicina geral e familiar pela mão do conhecido clínico Fernando Morais, tem vindo a dinamizar e que, de sessão em sessão, regista um crescendo de inscrições.

É um novo conceito de saúde que dá passos positivos em Oliveira do Hospital com o propósito claro de “promover a saúde, prevenindo a doença e evitando a farmacologia” e que, no concelho, tem a assinatura de Rita Morais, a jovem nutricionista clínica que, desde 2011, preencheu em Oliveira do Hospital uma lacuna no que aos bons hábitos alimentares diz respeito. A preparar aquela que é, até ao momento, a iniciativa maior e sem limite de inscrições – “a Caminhada pela sua …saúde” realiza-se na manhã de 7 de julho – Rita Morais explica que, desta forma, a CMPOH pretende mostrar que se preocupa com a saúde das pessoas. “Temos as nossas consultas, mas queremos que os nossos clientes/utentes sintam que nos preocupamos com eles fora daqui”, especifica a jovem formada em Ciências da Nutrição, inscrita na Ordem dos Nutricionistas, que do mesmo modo tem a registar a boa adesão dos oliveirenses às ações já realizadas. Rita Morais fala de “expectativas mais do que superadas” e que são prova de que também os oliveirenses se preocupam com a sua saúde e bem estar e só não o demonstravam por falta de oportunidades, como as que a CMPOH tem vindo a disponibilizar.

Um sucesso que não se esgota nos workshops que têm atraído gente de todas as idades e que é transversal à consulta de que Rita Morais é responsável. “Temos conseguido muito bons resultados”, refere a nutricionista clínica, aludindo a casos de perda de 10, 20 e 30 quilos, sem recurso a qualquer tipo de fármaco. Na base dos bons resultados obtidos está um processo de reeducação alimentar e adoção de um estilo de vida saudável e que – como nota Rita Morais – não se devia resumir às pessoas com excesso de peso, porque outras doenças como hipertensão e diabetes, por exemplo, decorrem de maus hábitos alimentares e podem não ter associado excesso de peso.

Uma opinião de que comunga o conhecido clínico de medicina geral e familiar, Fernando Morais, para quem a consulta de nutrição deveria andar lado a lado com outras especialidades médicas. “Isso não acontece”, lamenta o responsável pela CMPOH, regozijando-se pelo facto de estar em condições de ali disponibilizar consulta de nutrição. De acordo com Fernando Morais esta era uma “necessidade” há muito tempo sentida em Oliveira d Hospital, onde há registo de elevados índices de obesidade, especialmente infantil e onde o Serviço Nacional de Saúde não disponibiliza qualquer resposta na área da nutrição. Uma necessidade que o clínico também sente no acompanhamento médico que faz aos idosos das IPSS e onde é urgente o contributo de um especialista em nutrição clínica.

“Come-se muito mal”, constata Rita Morais que recentemente, numa ação que teve lugar na Biblioteca Municipal, alertou para os cuidados a ter com os que, tal como ela, são doentes celíacos. “A alimentação sem glúten é a única terapêutica existente”, alerta a jovem especialista que ao lado do pai, Fernando Morais, no novo desafio da CMPOH se orgulha de fazer parte de uma equipa multidisciplinar que também integra uma psicóloga, uma terapeuta da fala, uma especialista em fisioterapia e o profissionalismo da técnica administrativa. A par da consulta de nutrição, Rita Morais é ainda responsável pela dinamização de sessões nutricoaching destinadas à otimização dos resultados do acompanhamento da nutrição clínica.

Publireportagem

LEIA TAMBÉM

Dois mortos e quatro feridos em acidente no IP3 em Santa Comba Dão

Um acidente no IP3 provocou duas vítimas mortais e quatro feridos, dois em estado grave. …

Comissão Europeia apoia promoção dos produtos agrícolas europeus. Autor: Sofia Colares Alves

Nos últimos anos, a União Europeia mostrou ser líder mundial do comércio de produtos agroalimentares …

  • Bernardo

    Parabéns.