CM de Oliveira do Hospital devolve IMI a associações e colectividades concelhias

CM de Oliveira do Hospital avança com candidatura para intervenções no meio urbano

O Município de Oliveira do Hospital apresentou, em parceria com a ADIBER, uma candidatura ao programa de Desenvolvimento Local de Base Comunitária, vertente Urbano (DLBC Urbano) que, no entender do vice-presidente da autarquia oliveirense, a ser aprovado, irá abrir uma potencial fonte complementar de financiamento para investimentos no espaço urbano de Oliveira do Hospital. José Francisco Rolo fez questão ainda de sublinha que esta candidatura abrange o território da União de Freguesias de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços.

A candidatura, que permitirá a intervenção em meio urbano, nos núcleos com mais de cinco mil habitantes, já tem uma estratégia aprovada pelo Conselho de Parceiros do DLBC Urbano de Oliveira do Hospital, que é constituído por 22 entidades da cidade de Oliveira do Hospital – seis públicas e 16 privadas – representativas da diversidade económica e social do território, entre autarquias locais, organismos estatais, associações recreativas, culturais e desportivas, e estabelecimentos de ensino. Na reunião destas entidades, que decorreu nos Paços do Concelho, foi apresentado o diagnóstico do território e foi proposta, como explicou o vereador José Francisco Rolo, “uma estratégia para que a tutela credencie uma parceria para gerir este programa na unidade territorial de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços”.

Os objectivos estratégicos passam por promover uma cidade inclusiva; aumentar o grau de empregabilidade e diversificar competências; promover a redução da pobreza e combater a exclusão social; qualificar e integrar as áreas urbanas vulneráveis, promovendo a inclusão social e a coesão territorial.

Miguel Ventura, presidente da ADIBER, salientou que na Beira Serra, Oliveira do Hospital é o único território que pode candidatar-se ao DLBC Urbano e que no distrito de Coimbra há apenas mais três cidades nestas condições. “O que hoje está a ser discutido é a macroestratégia” cuja candidatura foi entregue no final da semana passada e “depois temos de criar as linhas de acção”. O dirigente sublinhou que com esta possibilidade “é a própria região que também fica a ganhar”.

“Não podemos perder esta oportunidade” afirmou o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino que não deixou de desafiar as entidades que se encontravam na reunião a prepararem-se “porque haverá outros programas temáticos a que podemos aceder”. O autarca adiantou ainda que o Município e a CIM Região de Coimbra irão disponibilizar meios de apoio às diversas entidades para elaboração e apresentação de candidaturas aos novos fundos comunitários.

LEIA TAMBÉM

Caça praticamente proibida no concelho de Oliveira do Hospital até Maio de 2018

A caça está proibida até 31 de Maio de 2018 nas zonas consumidas pelos fogos, …

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

  • Politicalex

    Bem espremido, além de um chorrilho de adjectivos, que são os do costume, estamos a falar do quê e de quanto..? Isto de falar, falar e não dizer nada, é mesmo arte de político.. mau…Lendo a notícia pode criar-se a expectativa de dar para tudo, ou para nada…Depende de quem lê e como lê…Clareza senhores?

    • Que meninos

      Penso que isto dá é para o Presidente Camelo ter vindo ver o que é que a BLC anda a fazer com este programa, pois ao candidatar-se a estes e aos Rurais sem passar cartão aos presidentes das câmara envolvidas, e são muitos, devem querer salvar os propósitos da plataforma.
      Vamos ver o que isto dá, da maneira que os campos se movem por Bruxelas, vai dar asneira.

  • Burro sou eu

    Então o Sr Rolo e o Sr Alexandrino juntam-se com a Adiber e o Sr Ventura para um programa destes, e depois na BLC vão fazer concorrência à própria Adiber que os tem ajudado a pagar os foguetes das festas???
    Ainda vai acabar mal isto para alguém… (digo eu… que não entendo nada do caso)

    • Nem tu nem eu

      Não é burro não, parece que o filho do pai está por horas, se vai ser o 45 ainda não se sabe.
      O casarão de 3 assoalhadas na capital onde se faziam as festas da Madame Blanch com o 44 como principal consumidor é que não se sabe como a compraram. Aos poucos vão todos dentro, até o nosso mais que tudo.