CNO de Oliveira do Hospital reconheceu competências a 70 adultos

 

O Centro de Novas Oportunidades  (CNO) de Oliveira do Hospital deu, ontem, por concluído o processo RVCC por que passaram cerca de sete dezenas de adultos.

Na cerimónia de entrega de diplomas, a subdiretora da Escola Secundária de Oliveira do Hospital apreciou a decisão tomada pelos formandos de “irem mais além e melhorarem de alguma maneira”. “Sois a prova de que vale a pena o esforço, o trabalho e o empenho”, referiu Cristina Borges, constatando que os 70 adultos são “a prova de que afinal se consegue ir mais longe”.

Identificando o “comodismo instalado” como o principal obstáculo que o CNO de Oliveira do Hospital tem que enfrentar, Cristina Borges alertou para o “erro fatal” de se dar o emprego como adquirido. “A mudança pode estar ao virar da esquina e não estamos preparados”, avisou a responsável, revelando-se ainda preocupada com o facto de no concelho existir “algum défice de formação e habilitação literária”.

Para promover a adesão da população ao CNO, Cristina Borges defende uma maior proximidade entre o centro e os oliveirenses. Para o efeito, apelou aos recém diplomados para que passem a palavra porque “o objetivo é elevar as qualificações da sociedade”. “Há uma valorização pessoal e social”, constatou a subdiretora da Secundária, lembrando que o centro está aberto a pessoas de todas as ideias.

Segundo, contou, o CNO é frequentado por uma octogenária e um septuagenário. “São a prova de que se pode aprender alguma coisa, basta estar vivo”, frisou.

Garantida ficou ainda a exigência que caracteriza o CNO de Oliveira do hospital. “É para continuar, é um pressuposto de que não abdicamos”, assegurou Cristina Borges.

A participação dos oliveirenses em processos de RVCC mereceu ainda a apreciação do presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. “O facto de as pessoas se valorizarem é que leva a que o concelho tenha um desenvolvimento sustentado”, referiu José Carlos Alexandrino, criticando aqueles que pensam que “quando se muda é sempre para pior”.

LEIA TAMBÉM

Alunos da ESTGOH consideram “Oliveira do Hospital uma cidade acolhedora”

ESTGOH atrai 110 alunos na primeira fase de acesso ao ensino superior, curso de Gestão das Bioindústrias sem grande adesão

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) preencheu 110 das …

Amianto vai ser retirado da Escola Secundária de Oliveira do Hospital, oposição critica “timing”

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital anunciou ontem que assinou um contrato de adjudicação …