António Mateus Dias

Com 400 euros gastos em campanha, conseguimos 12 mil votos. Autor: António Mateus Dias.

Para uma pessoa como eu que, juntamente com uma vintena de amigos, sem qualquer experiência politica, todos desconhecidos do publico em geral, pessoas das mais variadas profissões e dos mais variados extractos sociais, maioritariamente reformados/pensionistas, sem qualquer meio físico ou material, com apenas cerca de 400 euros gastos em materiais (papel, toner e pouco mais) do nosso bolso, concorrer a umas eleições legislativas não é fácil.

Fizemo-lo por estarmos fartos destes partidos do sistema (PSD, PS, CDS, PCP, BE), que só governam bem com a austeridade, mas que não cortam onde devem, nos privilégios e mordomias e serviços desnecessários do estado. É o que têm feito estes governos, de direita e esquerda, instalados ao longo dos anos. Por isso, partirmos para a construção de um partido diferente Partido Unido dos Reformados e Pensionistas (PURP) que ainda estamos a implementar, embora com dificuldades.

Concorremos às últimas eleições legislativas com este partido novo, sem meios e desconhecido. Mesmo assim, conseguimos perto de 14 mil votos. Apenas com a força e a experiencia de muitos anos de trabalho. Não procuramos carreiras politicas. Por isso, não temos necessidade de termos ideologias, por sabermos os resultados delas, que foi o destruição do país. Defendemos, causas, pessoas e o bem comum.

O PURP será no futuro o partido com politicas e modos de actuar diferente dos do sistema. Será um defensor de toda sociedade desde os reformados/pensionistas, ex-combatentes, os jovens que tiveram um papel muito importante na legalização do partido, contribuindo com a sua assinatura, nas universidades e outros estabelecimentos de ensino. Será o partido que os portugueses quiserem.

António Mateus DiasAutor: António Mateus Dias, fundador do PURP

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino sofre nova derrota no confronto na Justiça no caso do empreendimento turístico das Caldas de S. Paulo

José Carlos Alexandrino mostrou-se indisponível para a entrevista agendada para as 12 horas de hoje na Rádio Boa Nova

O ainda presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, mostrou-se indisponível …

Itinerário Complementar “meia dúzia” e “discursos” – 22 de Maio… Autor: João Dinis, Jano.

Era uma vez um município à beira-serra plantado. Bonito. Todos os dias feito por suas …