Assembleia Municipal pretende ratificar destituição António Lopes que considera este acto mais uma ilegalidade

Com a saúde não se brinca…Autor: António Lopes

Princípio de Peter: Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência.

Lendo as notícias recentes, sobre as posições do senhor Presidente da Câmara acerca dos problemas da saúde e da água, ocorreu-me o princípio de Peter.
Todos os dias vamos sendo informados dos sucessos dos concelhos vizinhos no combate ao desemprego. Por todo o lado, salvo esporádicas excepções, nota-se um apoio efectivo das autarquias na resolução dos problemas mais sensíveis que afectam as populações. Por cá, com a saída de três dos mais experimentados autarcas que o concelho teve (Mário Alves, Paulo Rocha e José Carlos Mendes), o nível de discussão dos problemas diminuiu quantitativamente e qualitativamente. A resolução dos mesmos seguiu o mesmo sentido.

Sem falsa modéstia, contribui, até onde pude, para alguma moderação das situações, sem grande êxito, reconheço. Basta analisar as actas das reuniões de Câmara, ultimamente transformadas num autêntico “circo”, para se aquilatar do que acabo de afirmar. Para desencanto meu e prejuízo de todo o Concelho, privilegia-se uma irresponsável gestão, onde a festa, a diversão saloia e o desporto de competição são as grandes prioridades da governação.

Pessoalmente não vislumbro, nem auguro, nada que se possa comparar com as expectativas que pessoalmente criei quando os oliveirenses, de forma tão expressiva, nos deram uma esmagadora confiança para a resolução dos seus problemas.

São conhecidas as pretensões dos sucessivos governos em transmitirem e sobrecarregarem as autarquias, com responsabilidades e despesas, operando a transferência de obrigações sem os respectivos meios financeiros que as possam suportar. Vivi na Ilha da Madeira, onde assisti a fenómenos idênticos. Na sede de mandar e de tudo controlar, o Governo Regional, chamou a si os portos, aeroportos e outros serviços do Estado. Estruturas que só lhe davam problemas e despesas. Sabemos todos quais as verbas que o Governo transfere para o sistema de ensino e sabemos, todos, a fatia importante suportada pelas autarquias. O comum do dia-a-dia, são os senhores presidente de Câmara queixarem-se destas realidades que acabo de enumerar.

Descontando a infelicidade do dislate, sobre a forma como se anunciou a vinda de dois novos médicos, vem agora o Senhor Presidente reclamar a transferência de competências na área da saúde. Sabendo-se da exiguidade de meios financeiros, os cortes que foram operados, alguém cônscio das suas responsabilidades e da especificidade deste sector se mete numa aventura destas? Diz o Povo que: “com a saúde não se brinca”. Será que os responsáveis não têm consciência disso? Se dúvidas houvesse, a experiência da unidade móvel é bem elucidativa. Já quanto ao problema da água, bem clamo, bem apresento as contas, bem provo que não dizem duas vezes o mesmo número, bem provo que nos foram ao bolso.

A grande preocupação do senhor Presidente é anunciar como uma vitória um problema que anda a ser debatido, há anos, criando um sistema de solidariedade Nacional, que harmonize o custo da água, sabendo-se que a baixa densidade populacional do interior e a dispersão da mesma, comportam custos, cada vez menos compatíveis com as depauperadas economias familiares. O senhor presidente, enfermando de um narcisismo confrangedor, não perde uma para se por em bicos e nos tornar alvo de chacota. Ele foi a “guerrilha, a dor e o sangue” pelo IC6, ele é o maior requeijão, desconhecendo que no seu concelho há quem produza diariamente três mil requeijões, num total de seiscentos quilos, ele é a maior abóbora, ele é a maior feira do queijo, ao mesmo que tempo que desaparecem os rebanhos. Acompanhado de um conjunto de “altifalantes e megafones”, cada vez mais, de diversas formas subsidiados pela câmara, ele é um sempre em festa permanente, e permanentemente propagandeada, qual D. Quixote, anunciando vitórias que só ele vê.

Em simultâneo, vai-se “empurrando com a barriga”, os verdadeiros problemas e “acalmando” consciências. Á custa do erário público, quase sempre em prejuízo das regras de transparência e das famílias mais carenciadas. Que estruturas e pessoal qualificado tem a Câmara para se meter no sector da saúde? Como dizia Peter, tem pessoas com pretensões de promoção até ao limite da incompetência… Para se fazerem notadas, tudo é pretexto. Espero que não tenham que vir, de novo, os presidentes das CIMs desdizer o nosso presidente, como tiveram que fazer com a “guerrilha”. É que, não estou a ver os Municípios a meterem-se numa destas. Idoneidade e responsabilidade precisam-se…

Assembleia Municipal pretende ratificar destituição António Lopes que considera este acto mais uma ilegalidadeAutor: António Lopes

LEIA TAMBÉM

Marcelo Rebelo de Sousa visita Zona Industrial de Oliveira do Hospital devastada pelos incêndios

O Presidente da República já está em Oliveira do Hospital e visitou a zona industrial que …

Presidente da República a caminho de Oliveira do Hospital e António Costa reunido com presidentes de Câmara naquela cidade

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, está a caminho de Oliveira do Hospital …

  • João Paulo Albuquerque

    Sr Lopes;

    Não se pode tirar onde não há. O Sr Presidente e a vereação, são pura e simplesmente incompetentes, incapazes de cumprir os desígnios dos respectivos lugares que ocupam. Os eleitos à Assembleia também ajudam à festa, e a oposição afina pelo mesmo diapasão. Se Mário, Rocha e Mendes eram fracos, estes nem aos calcanhares lhes chegam.
    Esta declaração de JCA sobre a saúde passar para a autarquia prova bem a limitação daquele cérebro e dos que aplaudem. Daqui, como tenho afirmado, só pode esperar uma governação 3F’s – Festas, Feiras e Futebol, com a agravante de tornarem as reuniões em autenticas palhaçadas.
    Estive e Vila Verde – Braga, onde conheci o euro deputado José Manuel Fernandes, antigo Presidente daquela autarquia que lançou recentemente em Bruxelas, para 2016, a Politica dos 3E’s – Emprego, Empresas e Empreendedorismo. Deixo este alerta, na expectativa que nosso edil leia este tema de JMF, tome conhecimento do que ele envolve e compare com a sua governação.

    João Paulo Albuquerque

  • Politicalex

    “Saúde de Ponta”, na ponta, ou sem ponta…por onde se lhe pegue..? São responsáveis pelas Fundações, deixam-nas ao abandono.São responsáveis pelo apoio social, cortam tudo e aumentaram a água, Nomeiam o presidente da FAAD, o que é que lhes falta para poderem desenvolver a assistência médica..? Compraram uma unidade móvel, gastaram-se cento e ta mil, já tem mais de 2 anos está na garagem. O AL diz bem.”Com a saúde não se brinca”..Mas que são uns “brincalhões” lá isso são…

  • Saúde na ponta

    Nesta religião municipal que ganhou com maioria absolutíssima, é mais fácil um “camelo” chegar a presidente da câmara do que um “falido” manter-se em presidente da assembleia.
    E agora vem com saúde de ponta! Um processo revolucionário! Já começou com a apresentação por parte de um jornalista do problema do alzheimer (que lhe faz muito jeito), deve seguir com o problema de síndrome de Wallace ( que ainda mais jeito lhe faz).

  • PontiAgudo

    Saude na ponta está provado faz bem à saude.Grande Alex.Finalmente uma ideia de génio.. Com a saude na ponta e com a ponta com saude,o pesoal fca feliz, resolve o problema da natalidade,desaparecem um monte de doenças ..Mas quem é que se vai lembrar mais de Stress? “Revolucionário”. É sim senhor..! É “muito presidente” para tão pouco Concelho…Como é que não entendem o “génio” deste homem? Até parecem o Vitor Batista. Esse também nunca percebeu este “génio”…

  • Delirando

    O Senhor Lopes devia vergar-se a este monstro da política. Temos um presidente que é um verdadeiro visionário… O resto é só más línguas. Está a transformar a BLC3 no Silicon Valley português e Oliveira do Hospital depois deste projecto (ele nem explica do que se trata, reparem neste pormenor de génio, não vão os espiões descobrir) revolucionário que será o Silicon Valley da medicina mundial. Em frente grande Alex, sempre a abrir… É claro que com a saúde não se brinca… Mas alguém acredita que o visionário do nosso presidente, que já tem a maior Feira do Queijo, o maior requeijão, a maior abóbora, o maior número de festas por metro quadrado, o maior aconchego de bandeirinhas, o melhor centro de inovação tecnológico (BLC3, onde está encubado um conjunto de empresas com o objectivo de gerar inovações científicas e tecnológicas, com excepção de uma que estava só à experiência e os proprietários estão envolvidos no processo Vistos Gold), não iria apresentar uma ideia revolucionária para acabar com essa flagelo que é a saúde nacional? Claro que está preocupado. Aí está a ideia “revolucionária”. Sr. Lopes faça o favor de se vergar a este monstro da política. Já não apenas do concelho, mas do país e, quiçá, com mais uns anos, do mundo. Já estou a ver: presidente da ONU é de Oliveira do Hospital. Nada pára este génio. Este cantinho à beira-mar plantado é demasiado pequeno para tamanho cérebro. Rendam-se pobres criaturas. Temos um revolucionário na Câmara Municipal. Hoje aparece apenas na Centro TV e no Bom Dia Portugal e programas do género, mas em breve abrirá as notícias da CNN, BBC, RTL e FOX News. Verguem-se, más línguas, cantem louvores ao nosso líder: AlEXANDRINO, O GRANDE.

    • António Lopes

      Sou capaz de reflectir e aceitar a sugestão…Corro o risco de ainda ficar na história, pelos mesmos motivos de um dos Marqueses de Cascais.

      Explico: O Marquês de Cascais, contemporâneo de Camões, pediu-lhe um soneto, prometendo-lhe meia duzia de galinhas.Camões, que a história nos diz que acabou como eu ando agora,”falido”, aceitou o encargo para aconchegar o estomâgo. E como para ele, fazer sonetos era como eu comentários,dali a um pouco lá trouxe a “encomenda”.que a fome apertava. O Marquês, leu e retorquiu: “bem… não está mau”..! Grita para o criado e diz-lhe: Olha, mata lá um galinha e dá metade, aqui ao Camões. Camões, ficou assim pró “lixado” mas como já lhe tinham acontecido tantas… ficou calado… mas não se coibiu de fazer uma quadra:

      Das seis galinhas que me prometeu,
      deu-me, o Castro, meia
      mas sobrou-me o apetite
      para as outras 5 e meia.

      Para dizer que e«a fama deste Castro, Marquês de Cascais, lhe ficou por enganar o Camões.Parece que nada mais fez, de relevante.

      Ficarei eu conhecido, só por dizer mal dos presidentes? Vou reflectir..!Perante tão forte premonição…

  • Venha lá

    Venha lá esse projeto revolucionário, sr. presidente… mas veja lá se ainda acaba com os poucos médicos que temos… É que as suas ideias, normalmente… pois, já me entendeu…

  • Só saúde

    Se acabam com os doentes em OH, para onde vai o Alex?

    • África

      Vai para África, com o seu projecto revolucionário… Tem tudo planeado….

  • Isabel Nunes

    BLC3!!! A empresa que serve de fachada para a empregabilidade dos boys e compra de vitórias políticas em nome desse oásis do emprego. Cada um vê aquilo que quer. Para mim, inequivocamente, é um elefante branco criado para os fins já atrás explicitados… Delirando, pelo que vejo, também tens proveitos da BLC3. Olha sabes!: se todos trabalhassem mazé!!! Este concelho seria outro