Com críticas aos críticos presidente da Câmara inaugura Largo Ribeiro do Amaral

Numa cerimónia onde apareceram mais autarcas e candidatos às eleições autárquicas do que propriamente oliveirenses, o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital inaugurou este sábado o requalificado largo do Ribeiro do Amaral e o jardim Dr. João de Oliveira Mano, onde foi descerrado um busto de homenagem ao antigo presidente da Câmara.

Trata-se de um investimento – financiado em um milhão de euros pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) – que custou cerca de 2,4 milhões de euros, e que contempla um parque de estacionamento subterrâneo com capacidade para 74 automóveis.

Num longo discurso, o presidente da Assembleia Municipal (AM) teceu rasgados elogios à obra que Mário Alves vem fazendo no concelho, e considerou a inauguração da requalificada sala de visitas de Oliveira do Hospital como “um momento histórico”.

Para António Simões Saraiva, que depois de ter desempenhado o cargo de presidente da Câmara durante treze anos e de estar investido na presidência da Assembleia Municipal há dezasseis, anunciou ali a sua retirada da cena política, aquele investimento municipal constitui “uma obra de grande alcance”.

Quanto às críticas que o projecto tem vindo a gerar nalguns sectores da opinião pública local, Simões Saraiva chegou a equipará-las às que em tempos idos se observaram sobre o Centro Cultural de Belém ou o recente Túnel das Amoreiras. “Quem gostar gostou; quem não gostou tenho a certeza que, em breve, irá gostar”, referiu o presidente da AM.

Recordando a obra de César Oliveira e Carlos Portugal, Saraiva surpreendeu entretanto a plateia – e causou até algum mau estar junto dos apoiantes de Mário Alves –, quando decidiu enviar um “piropo” ao seu “grande amigo” José Carlos Mendes, ao  elogiar a obra que o ex-presidente do PSD, que agora concorre à presidência da Câmara numa lista de independentes, fez – enquanto vice-presidente da Câmara – na zona do Vale do Alva.

Num discurso essencialmente concebido contra “alguns” críticos da obra, Mário Alves começou por referir que “há 60 anos” o então presidente da Câmara, João de Oliveira Mano, também teve “com certeza muita gente a criticá-lo”, nomeadamente quando aquele autarca teve “a coragem de fazer aquilo que há época seria impensável para a maioria dos oliveirenses”, e que consistiu na retirada da feira daquele espaço.

Visivelmente preocupado em rebater as críticas ao projecto, o presidente candidato do PSD disse que é típico dos portugueses “criticar antes de ver”, e salientou que aquela obra foi feita “contra a vontade de muitos”. “(…) mas esses vão como nós, que gostamos do projecto, fruir desse espaço. E aí é que está a verdadeira essência da democracia… (…) imaginem o que seria se agora aqueles que tanto criticaram fossem impedidos de entrar naquele espaço”, disse Alves.

Salientando que este projecto “procurou combinar o antigo com aquilo que é moderno hoje”, Alves realçou o facto de esta requalificação manter “parte do que existia, criando novos espaços, com novas funcionalidades”.

“Nós cá estamos para dar resposta, para fazer o que é preciso; para dar nome e qualidade de vida à cidade e ao Concelho de Oliveira do Hospital”, sublinhou ainda o autarca do PSD que, de seguida, se dirigiu com os convidados para a zona central do largo Ribeiro do Amaral, onde se encontra a decorrer, até 30 de Agosto, a III Mostra de Sabores e Artesanato.

E foi precisamente na Praça dos Antigos Combatentes da Grande Guerra, que se continuaram a ouvir algumas críticas ao projecto. Sobretudo ao nível da inexistência de sombras naquele espaço, onde – em dias de muito calor – a cobertura de granito e a aridez do local geram algum desconforto.

O piso de alguns dos espaços pedonais implantados no largo e no jardim, também mereceu críticas dos visitantes, já que – no primeiro dia de utilização – notavam-se diversos sinais de degradação, com o material a “esfarelar”.

Com Carolina Henriques (Estagiária)

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …