Imagem vazia padrãoÉ uma decisão consertada em cima da hora a saída do actual vice-presidente do PSD do segundo lugar da lista encabeçada por José Carlos Mendes. Algumas fontes falam em pressões e nos efeitos “secundários” da entrevista de Francisco Martins ao Correio da Beira Serra, mas o líder do PSD garante que Duarte sai pelo seu próprio pé e contra a sua vontade .

Com um pé dentro…e o outro fora

O actual vice-presidente do PSD, António Duarte, não vai integrar a lista de José Carlos Mendes nas próximas eleições do partido, que deverão ocorrer no dia 12 de Abril. A informação foi inicialmente avançada ao Correio da Beira Serra por várias fontes ligadas à comissão política do PSD e, posteriormente confirmada pelo próprio presidente do partido, José Carlos Mendes.

“Ele não foi arredado de nada, porque foi ele próprio que entendeu que deveria sair e comunicou isso ao presidente do partido”, referiu ao CBS uma fonte do PSD, que não quis ser identificada. De acordo com a mesma fonte, o antigo chefe de gabinete de Mário Alves – e também seu ex-vice presidente na comissão política concelhia do partido –, este novo facto político terá sido desencadeado por “algumas vozes críticas do PSD” que se vinham insurgindo contra a continuidade de Duarte na lista encabeçada por José Carlos Mendes.

Segundo o CBS também apurou, Mendes terá auscultado vários militantes do partido, que também partilharam da opinião de que António Duarte “devia sair da lista” e até a própria entrevista que Francisco Martins recentemente concedeu ao Correio da Beira, “acabou por pesar”. Na última reunião do partido, a decisão acabou por ser tomada de “forma pacífica" – ressalva a fonte do CBS online –, tendo o PSD optado por colocar o autarca de Seixo da Beira, António Inácio, no segundo lugar da lista de José Carlos Mendes.

Porém, a saída de Duarte do aparelho partidário do PSD, não significa que aquele destacado militante social-democrata se abstenha de continuar “a trabalhar nos bastidores e a apoiar o partido”, por forma a encontrar a “solução política para derrubar Mário Alves do poder”.

Saída de António Duarte já estava a ser analisada “há muito tempo”

Contactado pelo Correio da Beira Serra, o ainda presidente da estrutura local do partido desmente as “pressões” e revela que António Duarte já o tinha abordado várias vezes sobre a sua vontade de não o acompanhar na lista com que se vai apresentar na corrida pela liderança do PSD de Oliveira do Hospital.

“Falámos muito sobre a questão e chegámos a um consenso”, contou José Carlos Mendes garantindo que “não se trata de uma situação nova”, mas que tentou evitar. Ao CBS, o líder social-democrata referiu que “por várias vezes” tentou dissuadir Duarte dessa pretensão, mas sem que tivesse conseguido mudar a sua opinião. “Teria muito gosto em levá-lo comigo”, confessou José Carlos Mendes, revelando-se contudo satisfeito por o seu ainda vice-presidente continuar – ainda que na rectaguarda – a apoiá-lo na corrida pela liderança do partido.

“Continua connosco”

“Não integra a lista, mas continua connosco”, reforçou, ao mesmo tempo que se mostrou confiante num bom resultado para a lista que continua a liderar. “Não acho que a saída de António Duarte tenha fragilizado a lista”, vincou Mendes, notando contudo que está em causa “um bom elemento”. Porém, na opinião do líder social-democrata “cada um tem a sua própria maneira de ser” e a lista com que se pretende candidatar às eleições internas do partido – dia 12 de Abril – já está constituída com “outros bons elementos”.

Questionado por este jornal sobre os “anti-corpos” que algumas vozes reconhecem em António Duarte, José Carlos Mendes também admitiu que o seu vice reúna à sua volta alguns anti-corpos, mas entende como normais por “ninguém reunir consensos”. “É lógico que há anti-corpos. Eu próprio também os tenho, mas não podemos ver um elemento isolado na lista”, considerou, vincando mais uma vez que não tinha “problemas” em levar Duarte na sua lista.

Mendes assegura também que nenhum outro militante o pressionou a retirar Duarte da lista com que se recandidata. “Não perguntei a ninguém se o deveria levar ou não. Se ele quisesse ir na lista, com certeza que lá estaria”, garantiu, considerando que “não há nenhum drama”. “Temos outras pessoas na lista que também são de qualidade”, referiu.

Duarte garante apoio à lista de Mendes

Também contactado por este jornal, António Duarte confirmou que a saída resultou de um pedido seu, mas escusou-se a revelar os motivos que o levaram a tal decisão. Remeteu para “o momento certo” todas as explicações inerentes a esta “saída de cena”, porque entende que “não é com uma resposta directa” que dá conta dos seus verdadeiros motivos. Garantiu, contudo, apoio incondicional à lista liderada pelo seu companheiro José Carlos Mendes. “Quem leu o meu último artigo de opinião já percebeu isso”, referiu António Duarte.

Recorde-se que António Duarte foi um dos protagonistas da novela que marcou a história do PSD de Oliveira do Hospital na Primavera de 2006. Dois anos depois, a novela volta a antever-se, mas Duarte prefere sair de cena e ficar nos bastidores. Bem vivos na memória permanecem os episódios que levaram à demissão do ex-chefe de gabinete de Mário Alves, a existência de uma carta anónima de estímulo ao voto na lista de Mendes, as suspeitas de coisas na câmara que deixariam o “presidente mal na fotografia” e os insultos verbais à porta da sede da Comissão Política Concelhia no decorrer das eleições. Das cenas dos próximos capítulos resultaram ainda três casos em tribunal, mas que culminaram num acordo entre os protagonistas da novela laranja, no dia 19 de Outubro, em nome da “paz social”.

Lusitana Fonseca na lista de José Carlos Mendes

Uma outra figura que entretanto também já aceitou o convite para integrar a lista de José Carlos Mendes foi a polémica cronista do Correio da Beira Serra, Lusitana Fonseca, que comunicou à direcção deste jornal a sua nova condição na sociedade política oliveirense. O anúncio da lista adversária de Paulo Rocha, vai ser feito numa conferência de imprensa inicialmente agendada para o próximo sábado, mas o CBS sabe que essa data poderá entretanto ser alterada.

Henrique Barreto/Liliana Lopes

LEIA TAMBÉM

Viva o 25 de Abril! Sempre! Autor: João Dinis, Jano

Ao 25 de Abril de 1974 e à nossa magnífica “Revolução dos Cravos” se colou …

António Lopes

António Lopes junta acórdão do TCANorte para reforçar acusação no processo contra o município de Oliveira do Hospital

O ex-presidente da Assembleia Municipal (AM) de Oliveira do Hospital António Lopes pediu ao Tribunal Administrativo …