Comenius leva alunos da Cordinha a Itália

 

… no âmbito do programa Comenius, com o objetivo de promover o intercâmbio cultural entre comunidades.

Depois da Turquia e da Polónia, a Itália é o país que, durante esta semana, serve de acolhimento a uma delegação de alunos e professores do Agrupamento de Escolas da Cordinha.

A deslocação resulta do projeto de parcerias entre escolas Comenius que tem potenciado a troca de saberes e de culturas de cada país envolvido “O objetivo é dar a conhecer novas realidades e visões”, explica o diretor do Agrupamento de Escolas da Cordinha, valorizando este intercâmbio que encaixa na perfeição naquele que é projeto educativo da escola com sede em Ervedal da Beira.

“Somos uns privilegiados por termos esta possibilidade de levar os alunos para fora do país”, sublinha Carlos Carvalheira, contando que o Agrupamento de Escola há muito que lutava por conseguir ver aceite uma candidatura a um projeto de intercâmbio. É que, em causa, explica, está a possibilidade de proporcionar aos alunos da Cordinha o conhecimento de outras realidades, que alguns nunca pensariam poder vir a conhecer.

“O entusiasmo é contagiante”, refere o responsável, contando que todos os alunos manifestam interesse em conhecer outro país e outras vivências.

A chegada de alunos e professores à Itália, concretamente a Bari, aconteceu na passada segunda-feira, devendo o regresso acontecer na próxima sexta- feira. Para além das visitas a locais de passagem obrigatória, como o Coliseu de Roma por exemplo, a delegação participa no 4º encontro do projeto Comenius, em Santeramo in Colle, uma pequena cidade rural do Sul de Itália.

Além de poderem tomar contacto com a realidade educativa italina, os alunos podem também experienciar a vida em comunidade, já que a estadia acontece em casa de alunos daquele país. Uma oportunidade que, Carlos Carvalheira, considera única para que os alunos, ainda de tenra idade, fiquem com outra perspetiva da realidade.

Para o diretor da escola, a altura em que o Agrupamento de Escolas da Cordinha beneficia deste intercâmbio não poderia ser mais acertada. “No mundo global, hoje estamos aqui e amanhã estamos ali”, verifica, lembrando que até o próprio governo desafia os jovens à emigração.

“Com o intercâmbio, os alunos ficam com outra visão e disponibilidade para a vida”, refere o diretor da Escola, notando que o projeto Comenius também tem sido fundamental no domínio da linguagem. “Os alunos dizem que aprendem mais lá numa semana, do que aqui o ano inteiro”, refere, verificando o crescente interesse dos alunos na aprendizagem de línguas, nomeadamente do Inglês.

Holanda e Catalunha serão os próximos destinos de alunos e professores da Cordinha, ainda no presente ano letivo.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …