Deputados comunistas questionam Paulo Macedo sobre Hospital de Seia

O Partido Comunista Português (PCP) entregou hoje na Assembleia da República um conjunto de perguntas ao Ministro da Saúde sobre a eventual perda de valências do Hospital Nª Sra. da Assunção, em Seia. Entre as perguntas, os deputados David Costa e Carla Cruz, questionam o Governo se é mesmo uma realidade a saída daquela instituição de dois médicos oftalmologistas, dois médicos Psiquiatras, um endocrinologista e um dermatologista e qual a razão para a saída destes profissionais.

Na missiva dirigida a Paulo Macedo, os deputados comunistas começam por referir que é “evidente para todos os utentes do Hospital Nª Sra. da Assunção em Seia, que, há vários anos que andam a ser criadas condições objectivas de degradação do serviço ali prestado, sendo, no entanto, mais notórias e acentuadas de há uns tempos para cá”. Os deputados chamam ainda a atenção de Paulo Macedo para o facto de se estar a falar “de um concelho como o de Seia – com uma população envelhecida e com poucas e complicadas acessibilidades”, ao mesmo tempo que classificam “como desumano acabar com valências Hospitalares”.

Eis, as cinco questões dos comunistas a Paulo Macedo: Confirma o Governo a supressão do número de médicos no Hospital Nª Sra. da Assunção em Seia? Confirma o Governo a saída de dois médicos oftalmologistas, dois médicos Psiquiatras, um endocrinologista e um dermatologista do Hospital de Seia? Se sim, qual a razão para a saída destes profissionais? Pretende o Governo encerrar valências no Hospital Nossa Senhora da Assunção em Seia? Se sim quais? E qual o fundamento para tal decisão? Reconhece o Governo que o encerramento de valências e serviços no hospital de Seia, tendo em conta as características da população que ali é atendida e as condições orográficas do concelho, traz sérias dificuldades de acessibilidade aos cuidados de saúde e acarreta mais custos para as populações? O Governo prevê a abertura de procedimentos concursais para a contratação dos profissionais em falta, nomeadamente de médicos para suprimir as saídas e para o preenchimento de vagas existentes no quadro de pessoal?

 

 

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …

  • Politicalex

    Na altura de votar, votam em quem lhes complica a vida em vez de votarem em quem lha tenta defender,,! Onde estão os deputados do Distrito da Guarda? O PCP não elegeu nenhum mas, é ele que vem em defesa das populações…