Contra os “canhões” marchar, marchar!

A decisão foi anunciada esta segunda-feira na reunião semanal da concelhia social-democrata, e de acordo com o que o Correio da Beira Serra conseguiu apurar junto de uma fonte ligada ao partido, o líder dos sociais-democratas prepara-se agora para formalizar – numa conferência de imprensa – a sua candidatura à presidência da Câmara de Oliveira do Hospital, por uma lista de independentes.

Eleito por duas vezes consecutivas para a liderança do partido, Mendes vem travando uma luta inglória desde a Primavera de 2006, e vê-se forçado a bater com a porta, em consequência de os órgãos distritais e nacionais do PSD terem contrariado a decisão da CPC relativamente à recandidatura de Mário Alves a um terceiro mandato.

A concelhia oliveirense, que nos últimos anos se transformou numa das maiores secções eleitorais do PSD em todo o país, havia decidido apostar em José Carlos Mendes como cabeça-de-lista dos sociais-democratas às eleições autárquicas de 11 de Outubro. Porém – através de uma decisão que o PSD local entendeu como um acto que viola os estatutos do partido – a distrital laranja optou por reconduzir o actual presidente da Câmara.

A concelhia de Oliveira do Hospital ainda tentou impugnar a decisão junto do Conselho Jurisdicional do PSD, só que aquele órgão hierárquico do partido pronunciou-se desfavoravelmente.

Perante esta situação, a CPC avançou com um processo no Tribunal Constitucional (TC), onde reclama justiça pela violação dos estatutos do PSD. Todavia – e numa altura em que a sensivelmente três meses das eleições autárquicas ainda não se conhece qualquer decisão –, José Carlos Mendes entendeu candidatar-se como independente.

De acordo com uma informação obtida por este jornal junto da mesma fonte, a demissão de Mendes da liderança do PSD, poderá no entanto não significar que a comissão política caia em bloco, já que existe a possibilidade de o seu lugar ser assegurado por um dos vice-presidentes do partido até que o TC se pronuncie sobre a alegada violação dos estatutos.

CDS/PP não dá aval a apoio do partido a José Carlos Mendes

Pouco pacífica está também a ser a questão relacionada com o apoio informal que o CDS/PP de Oliveira do Hospital pretende dar à candidatura de José Carlos Mendes, através da colocação de destacados militantes naquela candidatura independente.

O CBS apurou que a estrutura nacional do partido de Paulo Portas não deverá dar o aval a esta coligação, uma vez que a “linha nacional” dos populares é no sentido de não aprovar coligações com candidaturas independentes “em nenhum sítio do país”.

Porém – e conforme referiu a este quinzenário uma fonte partidária – “na prática o CDS/PP já está coligado com José Carlos Mendes”, dado que as negociações se vêm arrastando desde há algum tempo.

Mas este processo pode também ter algumas consequências políticas ao nível da concelhia liderada por Maria José Falcão de Brito, já que se a líder do partido e o seu vice-presidente, Luís Lagos, declararem apoio a Mendes – como é previsível –, o gesto político poderá precipitar as suas demissões do CDS/PP.

LEIA TAMBÉM

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …

Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital garante verba ainda desconhecida para reconstrução das segundas habitações depois de questionado pelo vereador do PSD

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, disse hoje que …