Corte salarial mais do que duplica para 165 mil funcionários públicos

Pela primeira vez, em 2014, mais de 260 mil funcionários públicos serão confrontados com um corte salarial e cerca de 165 mil verão a redução mais do que duplicar face à situação que enfrentam desde 2011.

O novo plano de cortes salariais, confirmado na terça-feira pelo Governo, afectará mais de 90% dos trabalhadores do Estado, quando até aqui apenas 50% estavam abrangidos.

E 2014 poderá não ser o último ano de cortes salariais. O aviso foi deixado pela ministra das Finanças: as reduções salariais no Estado serão mantidas “até que existam condições para aumentar os salários”. “O ajustamento é transitório, mas não anual”, fez questão de sublinhar Maria Luís Albuquerque, durante a conferência de imprensa para apresentar o Orçamento do Estado (OE) para 2014.

A proposta prevê uma redução remuneratória de 2,5% a 12% para os salários brutos (antes de qualquer desconto) entre 600 e 2000 euros e, a partir deste valor, o corte que se aplica à totalidade do salário fixa-se em 12%. Isto significa que, em relação ao corte em vigor –

No caso dos funcionários que ganham entre 1500 e 2500 euros, o corte aplicado mais do que duplica. Por exemplo, para um salário bruto de 2000 euros, este ano o corte remuneratório é de 3,5%, correspondente a 70 euros. Em 2014, salta para 12%, ou seja, 240 euros.

O alargamento do universo de trabalhadores abrangidos terá como resultado uma poupança, no final do próximo ano, de 643 milhões de euros. Um valor bastante superior aos 499 milhões avançados na semana passada pelo primeiro-ministro.

publico.pt

LEIA TAMBÉM

Um morto e dois feridos em acidente em Viseu

Uma colisão entre dois veículos ligeiros hoje de manhã, em Sátão, distrito de Viseu, provocou …

ANCOSE ajuda a salvar queijo Serra da Estrela com reforço dos rebanhos

A Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela (ANCOSE) reforçou os rebanhos dos …