Crianças e jovens encantaram em desfile de Carnaval que percorreu as principais ruas da cidade

Crianças e jovens do Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas, Escola Secundária, Fundação Aurélio Amaro Diniz, Obra D. Josefina da Fonseca e Casa da Primeira Infância fizeram as delícias da multidão, que esta, manhã se concentrou nas principais artérias de Oliveira do Hospital.

Assim foi, porque o desfile de Carnaval saiu à rua e atraiu as atenções de familiares das crianças e jovens envolvidos, bem como da população em geral que não hesitou em enfrentar as baixas temperaturas que hoje se fazem sentir.

Numa iniciativa do Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas, o desfile de Carnaval contou com a participação de – segundo números avançados pela organização – 1400 crianças e jovens e de cerca de uma centena de professores e funcionários.

 

“Um Carnaval que ganhou raízes em Oliveira do Hospital”

 

No final do desfile, que também mereceu a atenção do executivo oliveirense, o director do Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas fez um balanço “extremamente positivo” da iniciativa, cuja preparação mobilizou toda a comunidade educativa e os pais dos alunos.


Sublinhando que o tema inerente ao desfile foi a “biodiversidade”, Luís Ângelo referiu a este diário digital que foi alcançado o objectivo de passar a mensagem através dos trajes, que para além de serem alusivos ao tema, foram muitos deles produzidos com recurso a materiais reciclados.


Tendo em conta a receptividade a esta iniciativa – “as pessoas acarinham-nos e dão-nos os parabéns”, referiu Luís Ângelo – o director do Agrupamento disse não ter dúvidas de que se trata de “um Carnaval que ganhou raízes em Oliveira do Hospital, quer pela dimensão, quer pela qualidade”.

“Todos os anos as pessoas continuam a esperar mais de nós”, observou o responsável, garantindo que a iniciativa terá continuidade em próximos anos.

Apesar de verificar que uma iniciativa desta natureza tem custos significativos para o Agrupamento, Luís Ângelo desvaloriza o caso, por entender que o resultado final é compensador.

Neste domínio o director enaltece a colaboração dos pais na preparação do desfile. “Todo o esforço deve ser louvado”, notou.

 

 

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Uma estória do “Reizinho” que era (muito) maior que a própria sombra… Ou a estória do aprendiz de Deus que se queimou no delírio da arrogância… Autor: João Dinis

– “O Município sou eu !  A oposição sou eu !  As eleições sou eu …

E o Debate de Ontem! Autor: Luís Lagos.

Ontem, confesso, sai do debate entre os candidatos à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital …