Críticas à Câmara Municipal e aos jornalistas surgiram em ‘catadupa’

 

… “socialista/comunista” e aos “jornais do regime”.

Em dia de anúncio formal da candidatura de Cristina Oliveira à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, os holofotes da Comissão Política de Secção do PSD oliveirense centraram-se sobretudo na equipa que, desde novembro de 2009, gere os destinos do concelho.

Um executivo “socialista/comunista”, liderado por um “presidente que já desistiu há muito de lutar pelos desígnios do seu concelho” e se “entrega completamente a uma causa partidária e esquece-se da responsabilidade inerente ao cargo de ocupa”.

O líder do PSD oliveirense referia-se, naqueles termos, a José Carlos Alexandrino que acusa de “demagogia, irresponsabilidade e de clientelismo” que “não podem subsistir por mais tempo”. Em concreto, António Duarte criticou a atuação de um executivo que “fecha os olhos à descrença que existe no concelho”, que “procura camuflar o desespero dos jovens, a desmotivação dos menos jovens, a emigração, a aposta de empresários em concelhos vizinhos…” às custas da “realização dos mais diversos eventos, festas e gastos supérfluos”.

“Urge pôr fim a este ciclo despesista”, entende o líder do PSD concelhio que entre as várias críticas que dirige à atuação do executivo e à forma como decorrem as Assembleias Municipais – “altamente politizadas e mal conduzidas” que têm levado à “participação cada vez menor de deputados municipais”, frisou – tem ainda a desapreciar o caminho seguido pelo presidente da Câmara numa altura em que prevê “uma inevitável derrota”. “Aliciamento e compra” de autarcas são algumas acusações que António Duarte dirige ao atual presidente de Câmara e candidato pelo PS àquele órgão autárquico. “Oferta de empregos para familiares, contrapartidas económicas, obras avulso com o dinheiro de todos nós…tudo serve para que os mais fracos se vendam e mudem de camisola”, sustenta António Duarte que chega mesmo a falar em “chantagem, aliciamento e perseguição”.

“Uma vergonha”, entende o presidente dos social democratas que até se questiona sobre o que é mais repugnante: “se quem se vende e renega o passado, se quem compra e explora as fraquezas alheias”. Constatações que levam a equipa de Duarte a questionar sobre a posição que em setembro vai ser seguida por militantes e oliveirenses. “A CPS do PSD está convicta de que a resposta adequada a estes seres menores acontecerá em setembro próximo”, antecipa António Duarte, na certeza de que “a população oliveirense saberá penalizar “estes vendilhões sem escrúpulos”.

É que – como lembra o PSD- em causa está também o incumprimento de promessas, de “um mandato caracterizado pelo deixa andar, pelo mais do mesmo, pelo facilitismo irresponsável” e de um presidente que “acordou agora para as acessibilidades” e cuja “demagogia e populismo” fez com que Oliveira do Hospital perdesse cinco freguesias, ao invés de três” e fosse confrotado com a criação de um mega agrupamento.

PSD declara guerra aberta a “jornais e jornalistas do regime”

Numa conferência de imprensa que, tendo em conta o prometido, surge com um atraso de perto de quatro meses, o presidente do PSD oliveirense não poupou os jornalistas que acusou de “engendrar manobras na tentativa frustrada da imposição de barreiras à estrutura interna do partido”.

“Aqui temos nós a candidata do PSD à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital”, disse António Duarte, satisfeito por a estrutura que lidera conseguir cumprir o objetivo de apresentar a cabeça de lista à Câmara Municipal, pese embora “o mau jornalismo existente em alguns órgãos de comunicação social local que tudo têm feito para criar dificuldades ao PSD de Oliveira do Hospital”.

Em concreto, o líder concelhio acusa “determinados profissionais da Comunicação Social” de vilipendiarem, menorizarem e ostracizarem a candidata. Profissionais que – entende Duarte – “sobrevivem às custas de subsídios, publicidade ou avenças oferecidas pelo presidente da Câmara e pagos com o dinheiro de todos nós”.

Recuperando uma postura que o caracterizou por ocasião do anúncio da sua candidatura à estrutura concelhia partidária, António Duarte perpetrou ontem um ataque cerrado a “algum do jornalismo vigente” que “através de uma atitude eticamente condenável, tudo tem feito para levar a colo o atual executivo socialista e o presidente da Câmara”. “Jornais e jornalistas do regime”, classifica António Duarte.

LEIA TAMBÉM

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …

«Castração» política em Oliveira do Hospital. Autor: João Cruz

Passados 44 anos após o 25 de Abril de 1974, vive-se hoje em Oliveira do …