Atletas com deficiência intelectual disputam Corta Mato e Taça Nacional de Portugal em Oliveira do Hospital

Mais de meia centena de atletas com deficiência intelectual são esperados no próximo sábado no Parque dos Marmelos em Oliveira do Hospital, onde vai ter lugar a 24ª edição do Corta Mato da Arcial e a 16ª Taça Nacional de Portugal, numa organização conjunta entre a ANDDI e a associação oliveirense.

A APPACDM de Coimbra, a Casa do Povo de Mangualde, o Clube Gaia e a Casa Santa Isabel são as instituições que, na manhã do próximo dia 12 de outubro se farão representar na dupla iniciativa desportiva que sob organização da Associação Nacional de Desporto para Deficientes Intelectuais (ANDDI) e a Associação de Recuperação de Crianças Inadaptadas (ARCIAL) de Oliveira do Hospital, tem vindo a acontecer, ano após ano em Oliveira do Hospital. A atleta individual Cláudia Santos também vai participar.

Em causa está a 24ª edição do Corta Mato da Arcial e a 16ª edição da Taça Nacional de Portugal que vão contar com a participação de 57 atletas com deficiência intelectual. O duplo evento desportivo vai ter lugar no Parque dos Marmelos, a partir das 11h00 e reveste-se de importância acrescida pelo facto de possibilitar aos atletas o desenvolvimento da sua auto estima e a valorização pessoal.

“Apesar de os atletas terem dificuldades em certas áreas, há outras em que são muito bons”, referiu ao correiodabeiraserra.com, Carla Pinto, técnica superior de Educação Especial e Reabilitação e coordenadora do Centro de Atividades Ocupacionais da Arcial que do conjunto de vantagens que encontra na participação dos jovens naquelas provas desportivas, destaca sobretudo o “estímulo à independência e à autonomia”, bem como a “socialização com outros grupos e integração social”.

“Há o convívio entre atletas e a partilha de conhecimentos”, realça Carla Pinto que, do mesmo modo sublinha a importância da prática de desporto que, garante, é preocuparão constante na Arcial. Desporto “adaptado” que, segundo Carla Pinto, é trabalhado no ginásio da instituição e com a realização habitual de caminhadas.

Momento de convívio privilegiado para atletas e instituições, a dupla prova possibilita ainda a “promoção de atletas”. “Estes campeonatos também surgem com o intuito de a ANDDI captar atletas com capacidade para os jogos paraolímpicos”, referiu Carla Pinto.

Motivo de forte empenho de toda a equipa técnica da instituição oliveirense que ao longo do ano desenvolve esforços na angariação de apoios junto do comércio local e autarquia para a aquisição dos troféus, o duplo evento desportivo enche de satisfação a direção da ARCIAL pelo facto de possibilitar a valorização pessoal dos seus utentes.

“Todos temos que correr na nossa vida consoante as nossas possibilidades”, afirmou Rosa Neto a este diário digital, notando que pese embora as limitações a que estão sujeitos, os cidadãos portadores de deficiência têm direito ainda que “devagar, devagarinho” a participar em atividades desta natureza e a ter a “visibilidade” merecida.

LEIA TAMBÉM

Dois jovens detidos em Seia enquanto assaltavam uma viatura

A GNR deteve ontem dois homens de 18 e 21 anos, em flagrante delito, por …

GNR deteve traficante de droga em Celorico da Beira

O Núcleo de Investigação Criminal da Guarda da GNR deteve um homem com 54 anos …