Deputado Rafael Costa contra a falta de respostas de José Carlos Alexandrino e as intervenções aceleradas

O deputado à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital eleito pelo PPD/PSD, Rafael Costa colocou no passado sábado oito questões, sobre vários assuntos, ao Presidente do Município, mas não obteve algumas das respostas. José Carlos Alexandrino esqueceu-se de esclarecer qual o ponto da situação do pedido de licenciamento de dois hipermercados, como não respondeu sobre o diferendo que o Município mantém com o empreendedor turístico das Caldas São Paulo. Sem qualquer explicação, apesar dos fundamentos do deputado da oposição.

Na primeira pergunta, o deputado fez saber que existe um aumento de preocupação em alguns dos comerciantes do comercio local. Na segunda aludiu ao facto do caso continuar nos jornais (tendo a autarquia sofrido recentemente mais um revés neste caso nas instâncias judiciais). Mas o Presidente não tocou numa, nem na outra.
Rafael Costa confessou ao CBS que estes tipos de situações não são novidade. “Já estamos habituados a que não responda a questões para as quais ou não tem resposta ou que não são do seu interesse em responder. Já não é a primeira vez nem será a última”, sublinhou Rafael Costa.

O deputado do PSD também estranhou a forma como decorreu a Assembleia Municipal. Marcada por discursos em “contra-relógio”. Com o presidente em exercício, Rodrigues Gonçalves, atento ao relógio para não permitir mais que cinco minutos. “É uma forma hábil e pouco democrática de condicionar a oposição. Até aqui esta questão nunca se colocou.Seria mais útil procurar evitar na AM questões de politica nacional e optar por questões que realmente interessam aos Oliveirenses”, rematou.

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …