Carlos Peixoto

Deputados do PSD eleitos pela Guarda questionam Governo sobre IC6, IC7 e IC37

Depois das questões levantadas pela deputada do PSD Fátima Ramos, eleita por Coimbra, sobre o ponto “de situação do processo de construção do IC6”, foi hoje a vez dos sociais-democratas eleitos pelo círculo eleitoral da Guarda, Carlos Peixoto e Ângela Guerra, questionarem o Governo sobre a construção de três Itinerários Complementares (IC) na Serra da Estrela, considerados “fundamentais” para o desenvolvimento da região. Entre estas vias de comunicação está o IC6, o mais reclamado pela população de Oliveira do Hospital.

Para os deputados, o IC7 (Oliveira do Hospital/Seia/Gouveia/Fornos de Algodres ou Celorico da Beira), o IC37 (Seia/Viseu) e o IC6 (Oliveira do Hospital/Seia/Covilhã) são “determinantes para o desenvolvimento da região Centro do país e na ligação entre as duas partes da Serra da Estrela e os distritos de Coimbra, Guarda, Viseu e Castelo Branco”.

“Estas acessibilidades têm sido consensualmente apontadas como fundamentais ao desenvolvimento da região Centro do país e à ligação entre as duas partes da Serra da Estrela, que tem o PIB (Produto Interno Bruto) mais baixo do país”, justificam, adiantando que a sua concretização “é justa do ponto de vista da coesão territorial, por tratar de forma diferenciada regiões mais desfavorecidas” e “é inteligente do ponto de vista económico e empresarial, por perspectivar a criação de condições que viabilizam mais investimento, mais empreendedorismo local, mais riqueza e mais emprego”.

No requerimento enviado ao ministro do Planeamento e Infra-estruturas através da Assembleia da República, os deputados perguntam se o Governo reconhece a importância destes IC e se tem previsto “iniciar, continuar a execução ou concluir algum destes itinerários, mais concretamente o IC7 até à A25 (auto-estrada Aveiro/Vilar Formoso), aquele que apresenta custos mais reduzidos”.

“Em caso afirmativo, que planeamento e calendarização tem previstos para a retoma da construção dessa estrada”, é também questionado. Os dois deputados do PSD que representam o distrito da Guarda na Assembleia da República lembram que “não há nenhum partido político com representação parlamentar que, de uma forma ou de outra, uns mais que outros, na oposição ou no Governo, não tenha já defendido a construção dos denominados IC7, IC6 e IC37”.

“Todas estas vias são estruturantes para ligar condignamente os distritos de Coimbra, Guarda, Viseu e Castelo Branco, aumentando a competitividade de quem neles pretende apostar”, assinalam. Carlos Peixoto e Ângela Guerra apontam ainda que, não havendo fundos comunitários disponíveis para a comparticipação do custo destas estruturas, “é compreensível que o Governo priorize e calendarize as suas opções, caso tenha vontade política de as prosseguir para valorizar e potenciar o seu território, como tem apregoado”.

LEIA TAMBÉM

Nelo Silva é o candidato da coligação liderada pelo CDS à Bobadela

A coligação “Construir o Futuro”, liderada pelo CDS, e que integra o MPT e o …

Cooperativa Capital dos Frutos Silvestres, criada em Oliveira do Hospital, prevê produzir já este ano 100 toneladas de mirtilo e framboesa

Uma cooperativa de produtores de frutos silvestres prevê produzir este ano 100 toneladas de mirtilo …