Deputados do PSD questionam ministro sobre conclusão do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital

A deputada do PSD Fátima Ramos, eleita por Coimbra, que lidera o conjunto de deputados do PSD que pretende saber “qual o ponto de situação do processo de construção do IC6”, perguntou ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas se “o Governo pretende dar continuidade ao processo de Construção do IC6 de Tábua até à Covilhã e, em caso afirmativo, quando”. Querem saber especialmente para quando a conclusão do troço do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital. Esta, recorde-se, é uma infraestrura, há muito reclamada pela população oliveirense.

Os deputados social-democratas, que detiveram o poder juntamente com o CDS/PP, lembram que, durante o tempo em que foram Governo, Portugal passou por um período muito difícil, fruto da “situação de pré-bancarrota iminente”. Mas, sublinham, agora que esse período parece ultrapassado pretendem saber se o Governo vai dar continuidade ao processo de construção daquela via.

Juntamente com Fátima Ramos, os deputados António Costa e Silva, Álvaro Batista, José Silvano, Emília Cerqueira, António Ventura, Manuel Rodrigues, Margarida Mano e Maurício Marques recordam ainda o anúncio feito por parte do Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital em Dezembro de 2015, onde afirmava ter chegado a acordo com o Presidente das Infraestruturas de Portugal para a construção de um pequeno troço do IC6, entre o Poço do Gato e a Zona Industrial de Oliveira do Hospital. Os deputados do PSD justificam ainda a sua interpelação pela dimensão e importância do concelho de Oliveira do Hospital no distrito de Coimbra, bem como a sua tradição em vários sectores empresariais.

Os sociais democratas, onde também se insere Maurício Marques, Margarida Mano e Manuel Rodrigues, lembram que “apesar de prometida há bastantes anos e muito reivindicada pelas pessoas destes concelhos, o prolongamento do IC6 entre Tábua e a Covilhã continua por fazer” e que “em 2009 chegou a ser anunciado o ano de 2013 para data de conclusão das obras”.

Os deputados do PSD recordam que “o IC6 é um itinerário complementar que está pensado para ligar Coimbra à Covilhã através do itinerário do interior do distrito de Coimbra. Actualmente faz a ligação entre o IP3 junto a Oliveira do Mondego e a N 17, Estrada da Beira, junto à Candosa, em Tábua. Esta estrada tem uma grande importância na medida em que permite uma ligação mais directa do alto do distrito a Coimbra”.

João Galamba já tinha dito que não há dinheiro para o IC6

O deputado João Galamba, no entanto, em Março, afastou qualquer possibilidade do IC6 e IC7 avançarem nos próximos tempos. O membro do Partido Socialista, que falava numa sessão de apresentação do Orçamento de Estado para 2016 realizada em Oliveira do Hospital, esclareceu que neste momento não existe um “dinheiro para obras rodoviárias”.

João Galamba disse mesmo que, antes de se deslocar a Oliveira do Hospital, teve o cuidado de perguntar ao Ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, o que poderia dizer às pessoas sobre as infra-estruturas rodoviárias da região. “A resposta foi nada”, sublinhou.

O deputado socialista esclareceu ainda que o anterior Governo não deixou um cêntimo de fundos europeus para este tipo de obras. “Quando fez a preparação do Programa 2020 não deixou verbas para obras rodoviárias”, rematou o deputado socialista.

LEIA TAMBÉM

PSD e CDS/PP de Oliveira do Hospital solidários com vítimas da tragédia de Pedrogão Grande

O Partido Social Democrata de Oliveira do Hospital e o CDS/PP manifestaram–se ontem solidários com …

Nelo Silva é o candidato da coligação liderada pelo CDS à Bobadela

A coligação “Construir o Futuro”, liderada pelo CDS, e que integra o MPT e o …

  • Vermelhão

    E qual foi a resposta? Perguntem ao Alex?

    • Fofixo

      Fofo
      Para não andares sempre vermelhão e inchado, pede os comprimidos ao Tóino rasgador de senhas.

      • Vermelhão

        Sabes dizer alguma coisa de jeito? Ou o teu patrono não te ensina nada? Deixa o Lopes em paz, que eu também. E não vás para a cama a pensar nele, que ao que me consta, não gosta de homens.

        • Fofixo

          Ficas logo nervoso, não te consegues conter quando te dizem que és adorado lá na tua terra e tu bem sabes, tens que tomar os comprimidos, acalma-te homem.

      • Não me toquem que me desafinam

        Arranja mas é advogados como deve ser, que a coisa vai deixar de estar vermelha para ficar negra.

        • Fofixo

          Sim, tens razão, descreveste bem a coisa, vermelha e negra, é como tens andado, descansa que isto ainda não é nada.

          • Não me toquem que me desafinam

            Claro que não.
            A ver vamos como dizem os cegos.

  • joao dinis

    Ai que queriducha !
    Então senhora Deputada e senhores Deputados do PSD e do CDS/PP ? Então e que se passou, para já, desde 2011 a 2014, enquanto os vossos partidos (des)governaram Portugal e mantiveram o IC 6 no meio da mata, ainda no concelho de Tábua, mas praticamente à porta daquela empresa grande ?? Então para onde foi o dinheiro dos nossos impostos que não chegou para continuarem o IC 6 pelo menos até Oliveira do Hospital ?
    Ah! o nosso dinheirinho foi para pagarmos as vigarices dos vossos “patrões”, os vígaros banqueiros e seus “executivos” nas cadeiras do poder público…
    Mas, o problema agora é que o dinheiro corre o risco de não chegar outra vez para o IC 6 …pois continuam a pagar as vigarices de vígaros congéneres…
    NÃO PODE SER !
    Vamos a ver o que faz o Presidente da Câmara. Ele assumiu compromissos publicamente e, agora, há que os honrar…
    João Dinis, Jano

    • Queriducho

      Estás muito “aLulado”, já é a segunda ou terceira vez que te sais com as “queridas” à laia do “sim querida Dilma”.
      Estás então a convidar o Alex a demitir-se? Foi o que ele disse.
      Deserto para isso está ele, então agora que o Lopes o desafiou na cara. Na cara mesmo, não foi por papaias. Mas a geringonça da BLC3 vai leva-lo para outras paragens, quiçá, alentejanas, e para aí não precisa do IC6.
      Não há dinheiro para médicos, não há dinheiro para escolas, não há dinheiro para tribunais e querem o IC6. Só foi feito para chegar aos “Aquinos” que só em Tábua já receberam em “proder’s” mais de 13 milhões de euros. É tudo muito bonito mas acaba quando o dinheiro e a possibilidade de endividamento acabar.
      Não te excites, isto dura pouco. Se alguém fizer o IC6, vai ser o Pedro Passos Coelho.

      • Fofixo

        Fofo, em vez de andares a ajudar o rasgador das senhas a fazer a lista maravilha, vens para aqui verborrear, vai mas é ajudar o home, senão ele ainda se rasga todo, ah, mas tu também não o consegues ajudar porque toda a gente gosta de ti e lá na tua terra, adoram-te.

        • Não me toquem que me desafinam

          Ui, para onde vens de carrinho. Ajudar? Meu menino põe-te na fila.
          Mas onde estão os outros? Não me digam que vão deixar o Lopes ir sem oposição? Estão assim tão mal?
          Quando ele chegar à presidência, deve mandar logo fazer uma inspecção de cima abaixo, para se saber tudo.

  • Toino

    Ó Jano essa conversa já mete nojo do que fez o que e quando. O que lá vai, lá vai, diz e muito bem o povo. Agora o teu partido, o BE e o PS é que têm que fazer o que lhes compete que é trazer o IC6 pelo menos até Oliveira, mas depois bem podiam fazer o resto até à A25. A verdade é que o Paulinho Campos do PS só o trouxe até ali e o PSD/CDS mantiveram-nos lá. O resto é treta e trata mas é de por a geringonça a trabalhar em vez de andar sempre com essa conversa da treta.

  • António Lopes

    Mais uma da”Política Politiqueira”.Ainda agora saíram do governo e já estão com esta conversa…Depois, não tenho amigos..! Como é que posso ter..?

    • João Albuquerque

      Nem todos foram deputados na anterior legislatura, mas ouviram como eu ouvi que podiam contar com a construção do IC6 se o PS fosse governo:
      Então, não estão a fazer o seu dever? Zelar pelo o que nos prometeram:
      A “geringonça” vai durar pouco tempo, e prevejo que só mesmo o Passos leva isto a bom porto. Tenho para mim, que será um governo dele a acabar com aquela situação.

      João Albuquerque

  • António Lopes

    Para os que andam preocupados comigo e com o meu isolamento, mas não me largam…com medo de me verem isolado e já não me apanharem, ai vai esta que aconteceu hoje.Por volta das três daí, e da uma daqui, recebi um telefonema.Avisei que estava em Cabo Verde para não gastarem muito.Lá me foram dizendo que podiam pagar a chamada e que, eu, ainda merecia o preço da mesma.Obrigado..! Generosidade do interlocutor. Diz me ele: Estamos aqui um grupo de amigos a discutir a sua candidatura e um deles saiu-se com esta.”O senhor Lopes é como os americanos.Formaram os Talibâs e agora, andam a combatê-los..! Gostei.Há gente com sentido critico e de humor…

    Ó “AL falso”: percebeste, o meu isolamento e o que as pessoas pensam do “rasga senhas”?

    • João Albuquerque

      E os Bin Laden´s andam agora apavorados.
      Eles falam, falam , desafiam-no e depois não se apresentam para os confrontos.
      Vamos ver muita coragem. Vamos, vamos.

      João Albuquerque

  • Al Falso

    O Sr tem-se em muito boa conta, o que é ótimo, o pior cego é aquele que não quer ver, já que ninguém o gaba, gaba-se o Sr sozinho, pois então, continue assim cheio de força e de garra e vá a meças que depois conversamos.
    Pelo que tenho ouvido dizer, os não candidatos têm a barriga dorida de tanto rir à sua custa e de um certo cavalheiro especialista da política (aqui) lá da Cordinha.
    Bom Cabo Verde para o Sr.

    • Não me toquem que me desafinam

      Andas nervoso.
      Como diria Churchil: “Vão de gargalhada em gargalhada até ao choro final.”

    • António Lopes

      Tenho que anunciar outra vez? Já o fiz no local próprio, pese o que andam a fazer ao local…Olha e recebi agora mesmo uma chamada ainda mais estimulante.Mas não vos posso dizer tudo..Mas o que é que se passa.? Ainda há pouco tempo era insubstituível.quer para presidente de Câmara quer de Assembleia.De Câmara não quis .Agarraram-se à “Xuxa” agora, não a querem largar de maneira nenhuma.Ao menos cumpram as leis e respeitem o erário público.Eu só vou porque não posso deixar o Concelho entregue a quem tão mal o trata…Com a agravante que fui eu que os sentei lá.Logo, tenho que corrigir o erro.
      Dou-te um conselho.SE continuas a dar-me troco não fico isolado.Aí o chefe pode não gostar da coisa.Vê lá se és posto na rua como ameaçaram o outro rapaz…

      • Al Falso

        Continuo a dizer que só ganha a reboque daqueles que ganham,
        há centenas de pessoas pelo concelho que não sabem quem é,
        nem que funções ocupou ou ocupa e os que o conhecem não têm
        por si nenhum tipo de simpatia, acham que é convencido, prepotente,
        arrogante e com a mania da superioridade, continue, juntamente com
        o seu pequeno grupo de fans, também eles gente adorada nas suas terras e faça listas. Não rasgue é senhas, não é uma atitude correta e não lhe fica bem.

        • És um lulu

          Onde é que estão os outros candidato?
          Tu és candidato? Se és assume-te.
          O Lopes já disse na carinha do Alex que estava aqui para o sufrágio, e ele meteu o rabinho entre as pernas, e foi-se sentar no cantinho dele. Só rosna, não morde. É como tu.

        • Vermelhão

          Não te preocupes. Os que não conhecem, vão ter tempo de conhecer. Ainda falta mais de uma ano. Estás sempre com a conversa do rasgar senhas: em que é que isso te incomoda? tens alguma coisa com isso? Ou vives de algum tipo de senhas?

          • António Lopes

            Então não incomoda.Quem vive à pala do erário fica incomodado quando alguém não é igual a eles.Se não acabei a Assembleia ia receber porquê?

  • joão dinis, jano

    Olha o “queriducho”…

    Ó “Toinito” com que então querias que deixássemos esquecer as responsabilidades, desastrosas aliás, dos (des)governos e do PPD/PSD e do CDS/PP que estoiraram o nosso dinheirinho todo a pagar as vígarices dos seus “patrões”, banqueiros e outros vígaros ?!

    Tem lá paciência mas, pelo menos, a responsabilização política essa têm que a gramar (que vergonha e honra são coisas que não conhecem…).

    Actualmente, há um governo PS, nem mais nem menos. Entretanto, aprendam – com o PCP – quando diz que em Portugal não há eleições para Primeiro-Ministro, topam ?

    O compromisso que o PCP efectivamente tem, em primeiro lugar, é para com os Trabalhadores e o Povo Português !! Mas, isto não consegues tu compreender, ó “Toinito” e sejas lá tu quem de facto fores, ó cobardolazito que tu também demonstras ser.

    João Dinis, Jano

    • Guerra Junqueiro

      Caro Profesor João Dinis;

      Estes senhores nem todos foram deputados na anterior legislatura, mas na campanha, ouviram como eu ouvi, e aqui em Oliveira, os socialistas a prometerem a conclusão dos IC’s entre eles o IC6. Como tal, têm que fazer o que lhes compete e perguntar porque é que “palavra dada, não é palavra honrada?”.
      São os IC´s, são as barragens, são as escolas, são os hospitais, são os tribunais.
      Vai ser um desatino.
      Estou em crer, que para mal dos seus pecados, ainda vai ver o Passos a fazer estas obras, mesmo sem as prometer. Esperemos com a calma que nos é merecida.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

  • Cavaquisfoi-se

    “Deputados do PSD questionam ministro sobre conclusão do IC6 entre Tábua e Oliveira do Hospital”
    Ah,ah,ah,ah,ah…
    Então, já em pleno maio. depois de eleições, esta “gente” anda a miar em relação a quê?
    Invejáveis!
    Magníficos!
    Extraordinários!
    Mas…incompletos….
    – 4 anos, de passortas, para quê?
    Propõe-se que, aqui.sejam colocados , em futuro – coisa que já deveria ser feita há 30 anos, se internet houvesse…- em absoluto discurso e voto, em casa de Assembleia da República, aquilo que os imbecis dos deputedos votaram…do PPD, CDS e PS..para quem os elegeu…sobre o concelho de Oliveira do Hospital – consultem-se as actas da AR
    Ah, ah, ah, ah…
    O PPD, em Oliveira do Hospital, ainda ganha as eleições legislativas, presidenciais, europeias…e arredores.
    O PPD e o PS , com o CDS, demonstraram que estão, assim, conformados, confinados, esgotados:já deram.
    Mamaram 40 anos, todos juntos, mais a metade….
    Agora, se calhar, convém levantar a cerviz , aos eleitores: JÁ NÃO SÃO OS MESMOS.
    OS ELEITORES, AGORA, JÁ NÃO SÃO AQUELES EM QUE O CAVAQUISTÃO SE INSTALOU, HÁ 30 ANOS ATRÁS, COM AS REMESSAS DA CEE..e os dinheiros que, todos, ganharam…e arrecadaram…e ainda andam, todos, por aí, a esboçar imbecilidades que demonstram a origem da sua riqueza….(novos-ricos)
    OS ELEITORES, TAMBÉM JÁ NÃO ACREDITAM EM PSSSSSSSSSSSSSSSS
    Depois destes últimos 30 anos de gestão PPD, PS , mais PPD, CDS; PS…provou-se que, quem mais ganhou, não foram os oliveirenses: foram os desempresários, os despolíticos, – milhares de euros em presidentes, vereadores e assessores…foram os pseudodemocratas …
    O PPD, o CDS e o PS esgotaram os recursos, em OH. Apenas sobrou a BLC 3.
    Anda tudo, ainda, em tribunal!
    É que foram décadas.
    Vergonha.
    Atenção: andam muitos milhares, no ar.
    ou centenas de milhar, por aí, a ver em paraísos…
    Até nisto, não fora o tabu, tudo se esgotava.
    PPD; CDS E PS, em Oliveira do Hospital, estão esgotados…
    Definharam.
    Contudo, o município, ainda, não morreu.
    Morreram os que acharam que, com atitude autárcica, se convenceram que era território deles:
    – Mário Alves e Alexandrino: diferentes, mas iguais.

  • Autarcia

    “Tenho que anunciar outra vez? “…
    Sr António Lopes:
    – Parece que , no anterior “reinado” de Mário Alves, o sr considerou, vulgo senso, aquele reinado como uma gestão de “mixórdia”;
    – A esse tempo, empolgado, anunciou candidaturas , vaticinou derrotas e, com gasto – muito gasto – sorriu, passados anos, com uma vitória;
    Saboreando essa efémera festança, o sr passeou-se intocável, homenageável, rotundável, esculultável em qualquer situação….levando, em seus ombros – e conta bancária! – todos aqueles que, em si, se montaram.
    Mas fê-lo.
    E derrotou a autárcica gestão de Mário Alves.
    Acredito que, na sua boa intenção, em princípio, afastados todos os “males” por si classificados, o futuro seria risonho.
    Creio que sim.
    Feliz, o sr passeou-se, durante algum tempo, gozando desses louros.
    (Já, a esse tempo, quem o vigiava, nas costas, sabia que era importante, por algum tempo, deixar-lhe gozar essas coisas…)
    E, o senhor, aceitou. Aplaudiu.
    E tanto aplaudiu que, em segunda volta, totalmente, alinhou.
    Passado o tempo necessário a nova fase, depois de se terem montado em si – poderia ter sido em dó, em ré, ….ou sol…- colocaram-lhe uns patins, perdoe, e deram-lhe corda para ….desaparecer…
    O sr não desapareceu e considerou a gestão autárquica de Alexandrino e do PS como, em anteriores momentos, de autárcica gestão….de mixórdia …e muito mais….tendo, até – e muito bem, chamado a polícia
    Ora, prestando alguma atenção…
    Sempre que o sr entende ser de AUTÁRCICA, UMA GESTÃO, o sr resolve arranjar uma nova – autárcica. gestão.
    Não andará, ou estará o sr, mesmo involuntariamente, a contribuir, sempre que se envolve nestas coisas, a contribuir para maiores AUTÀRCICAS GESTÕES?

    • António Lopes

      É uma questão que tem toda a pertinência equacionar.Não vou questionar a análise,cada um de nós vê o Mundo à sua maneira.Mas, reconheço, já vi escritos com muito menos conteúdo e substância.Apenas três reparos.Se verificar os registos, faltei a mais de dois terços dos colunáveis acontecimentos, tais como visitas de deputados , secretários de Estado etc.para lhe dizer que aplaudi,ou “gozei os louros” (não faz o meu género),durante dois anos.Se procurar bem, a meio do primeiro mandato, erradamente, reconheço,.disse que a minha missão estava cumprida e que podia partir para outra.Em abono da verdade e do rigor histórico,foi o tempo em que alguma democracia existiu.Ao tempo não havia maioria absoluta.Se quiser ter o cuidado de ir ler as actas da Câmara Municipal isso é patente.Dou-lhe até um exemplo,para os que agora acham que ando em “guerras pessoais”.No espaço de seis meses, Março-Outubro,Mário Aves ou Paulo Rocha, mais este,perguntaram treze (13) vezes pela situação do Senhor Henrique Barreto.Já então, o nosso presidente não sabia de quase nada.Mas sabia, pois, eu sei muito bem o que ele me dizia acerca do desempenho da personagem.Foi neste contexto que, um dia, tive honras de visita do Senhor presidente, na Covilhã, pois andava a ver o futuro curto.Na minha boa fé. e pelo Concelho, acedi a que se criasse uma maioria na Câmara. Na Assembleia, há muito que estava conquistada.
      A partir daí começou a prepotência das maiorias.Começou o meu desencanto e veio a minha oposição.Podia não se notar tanto mas, não era menos profícua nem menos contundente.Era o que eu chamava a “magistratura de influência, que não influenciou nada, pois andava toda a gente sôfrega por…(emprego e não só).

      A sua análise peca por uma questão basilar, que não desconheço.Fazer uma democracia leva cem anos.Temos 40.E dê-lhe eu a volta que der, deixe “montar” quem deixe,gaste o que gastar,é assim e não há volta a dar.Mas é preciso ir construindo.Razão porque não desisto.Aliás, se reparar a composição profissional e social, a Câmara nada mudou.Antes era um professor e director de agrupamento, e agora também.Os vereadores eram professores e advogados, agora também…E, nestas coisas,dificilmente se muda quando os interesses são os mesmos.Afinal é a mesma classe social, são os mesmos interesses.Não é o discurso mais para aqui ou mais para ali.Veja a vergonhosa e despudorada discussão dos ICs. Os que saíram há dias já estão a reclamar.Os que reclamaram estes anos todos não fazem. Iden para os médicos.Para dizer, o erro foi dar-lhes a maioria.Mais tarde e contrariamente ao que diz, já foi mais a responsabilidade que me levou a aceitar a reeleição.É publica a minha resistência.E quando em maioria absoluta houve a explosão dos interesses.Sim a grande questão foi o comportamento perante a maioria absoluta. Logo me pus de lado.Veja as actas.nomeadamente a de 28 de Dezembro de 2013, em que, logo a seguir às leituras regimentais, acta, correspondência etc, desvinculei-me do PS.E não tinha que o fazer, pois fui eleito como independente.E lá ouvi: “ou é fiel ao partido que o elegeu ou já sabe qual é o caminho”..! Estranho conceito de independência.Portanto ninguém me meteu patins.Gosto de andar pelos meus pés.Também não me deslumbrei.Se o tivesse feito, fazia como o meu sucessor.Colocava-me na primeira fila, ia a todas e fazia. de guarda do templo como ele faz.Enganou-se pois devia e pagam-lhe é para guardar o “sacerdote”.

      Terceiro reparo. “As AUTÁRCICAS GESTÕES”.Há sempre esse risco, aliás já acima assumido.Só que, o caminho, faz-se andando.Participei em dois actos eleitorais e sei o que custa fazer listas e os compromissos que são exigidos para… Comigo dificilmente haverá promessas e, se calhar, sem elas, a coisa complica-se.Veja as presidenciais. Um homem que tem lutado como o Dr.Paulo Morrais o tem feito, conta a corrupção, teve dois por cento e ficou atrás do Tino..! Quer que lhe diga mais alguma coisa? O pessoal fala e contesta mas, lá no fundo gosta do pequeno interesse.Não viu a votação da Moção de Censura? Eu sei ler e sei com quem lido.
      Só que, há uma grande diferença entre ser revoltado e fazer uma revolução.Essas sempre foram lentas e sempre consumiram os seus melhores filhos.Sei de tudo isto e tenho isto sempre presente.É por isso que aceito com naturalidade os reveses, se quiser as derrotas.
      Em suma sou um revolucionário.E a sua análise peca porque não considerar esta forma de estar, à luz da qual as coisas mudam um bocadinho…! GRANDE..!

    • Guerra Junqueiro

      Caro Autarcia;

      Peço desculpa por me intrometer, pois a questão é colocada directamente ao Sr António Lopes, e ele já respondeu de modo muito elevado, responsável e profundo, tal como a questão o impunha.
      No entanto como a criação deste personagem serviu para combater entre outras coisas também aquilo que referiu, e teve como principal opositor, o visado António Lopes. Aliás, António Lopes protegia como uma muralha a gestão, a afirmação e a posição autárquica, levando-os à maioria que sufragaram. Portanto, não seria possível que “Guerra Junqueiro” o principal opositor do sistema, fosse agora sem qualquer razão apoiar António Lopes. Não, tal apoio deve-se a ter a certeza da genuinidade dos motivos que levam António Lopes a tomar estas atitudes, e sei, que a génese está em mostrar aos oliveirenses a capacidade que eles e o concelho têm de ser um exemplo de bem estar e bem viver.
      É difícil? Sem dúvida, mas temos uma localização privilegiada e gente de excelência, é preciso é mostrar o caminho.
      Termino, para dizer, que o concelho tem muita sorte em ter a possibilidade de eleger António Lopes, pois podem crer que Oliveira não será estará no mapa, como será um “case study” para analisar e servir de exemplo.
      Agora, está nas mãos dos eleitores concelhios.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro