Desaparecido no rio Mondego foi resgatado sem vida ao início da tarde (com vídeo)

O corpo de António Manuel Alves, de 52 anos residente em Fiais da Beira, que ao final do dia de ontem desapareceu nas águas do rio Mondego, junto à Ponte da Atalhada no concelho de Carregal do Sal, foi resgatado ao início da tarde pelos mergulhadores.

O corpo do homem que ontem, pelas 21h00, foi dado como desaparecido no rio Mondego na praia fluvial de Pé Rodrigo, no concelho de Carregal do Sal, foi localizado por volta das 14h00 pela equipa de mergulhadores que desde as 06h00 corria “a pente fino” o leito do rio, que em algumas zonas chega a ter profundidade na ordem dos 10 metros.

António Manuel Alves, de 52 anos e residente em Fiais da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital,  foi encontrado em zona próxima onde, ontem, ao cair do dia, deixou de ser visto pelos dois outros homens, um de 54 anos e outro com idade na casa dos 40, com quem se aventurou numa pescaria.

Até ao momento desconhecem-se as circunstâncias em que ocorreu o afogamento de António Manuel Alves, havendo porém suspeitas de que o homem terá entrado no rio para ajeitar a rede que, juntamente com os colegas, estaria a usar para pescar.

Um modo de pesca ilegal, mas que justifica a hora tardia escolhida pelos três homens para acorrerem à desativada praia fluvial, localizada no concelho de Carregal do Sal, mas em tempos ponto de paragem dos residentes das redondezas. A possibilidade de congestão está por esta altura a ser apontada como causa para o afogamento, já que momentos antes de ter entrado no rio, os três homens terão comido o farnel com que se faziam acompanhar.

Desde que foi dado o alerta, GNR e bombeiros não arredaram pé das margens do rio Mondego. As buscas no leito do rio ocorreram ao longo de toda a manhã tendo sido levadas a cabo por mergulhadores de Coimbra, Penacova e Viseu. Os trabalhos foram interrompidas junto às 13h00, tendo sido retomados uma hora depois, altura em que o corpo foi localizado.

Casado e pai de um filho, António Manuel Alves era pessoa querida na localidade de Fiais da Beira onde residia há mais de 30 anos. Desempregado, o homem vinha-se dedicando à prática da agricultura e, habitualmente, tinha na pesca um momento de convívio com os amigos. Nos últimos tempos, o homem evidenciou alguns problemas do foro psicológico, tendo mesmo incorrido em tentativas de suicídio.

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino acusa Governo de discriminação na ajuda pós-incêndios

O presidente da câmara de Oliveira do Hospital acusou o Governo de estar a discriminar …

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …