Desemprego em Oliveira do Hospital aumentou 15 por cento em comparação com 2011

 

Depois de em janeiro e fevereiro, o desemprego em Oliveira do hospital ter atingido picos nunca antes vistos (1001 e 1006 respetivamente), aquele que é considerado como o maior flagelo social deu nos dois meses seguintes algum sinal de abrandamento.

Em final de março, o concelho somava 929 oliveirenses inscritos no Centro de Emprego de Arganil e em abril 923. Números que, apesar de mais brandos, não são motivadores de maior tranquilidade, sendo até possível constatar que, em comparação com abril de 2011 (785), Oliveira do Hospital regista um aumento de 15 por cento no número de desempregados. As mulheres continuam a ser as mais afetadas, contando-se no final de abril 474 desempregados do sexo feminino e 449 do sexo masculino. Números que refletem um aumento do desemprego entre os homens, fruto da crise a que também não escapa o setor da construção civil e outras áreas de atividade.

Em comparação com o período homólogo de 2011, o desemprego entre os homens subiu na ordem dos 18 por cento. Do conjunto de 923 desempregados, 92 procuram o primeiro emprego e 831 procuram por novo posto de trabalho.

O desemprego tem feito baixas um pouco por todo o país. Dados recentes do Eurostat indicam que Portugal continua a registar uma subida da taxa de desemprego. Em abril, o desemprego entre os portugueses fixou-se nos 15,2 por cento, uma décima acima do mês anterior. O desemprego entre os jovens também aumentou para os 36,3 por cento, revela o Eurostat. De um modo geral, o desemprego mantém a trajetória ascendente em Portugal. Em outubro de 2011, a taxa era de 13,6 por cento, em novembro fixava-se nos 14,1 por cento, em dezembro nos 14,6 por cento, em janeiro nos 14,7, em fevereiro nos 14,8 e em março nos 15,1 por cento.

Na região, o concelho de Oliveira do Hospital só é ultrapassado pelo vizinho de Seia que fechou abril com 1444 desempregados. Gouveia surge logo a seguir com 848, Nelas com 798 e Tábua com 605. Arganil contava no final de abril com 574 desempregados inscritos, Santa Comba Dão com 562 e Carregal do Sal com 479. Números que decorrem da realidade de cada um dos concelhos, e dos quais não faz parte o conjunto de desempregados que se encontra a frequentar cursos de formação.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …