Desemprego já afeta um milhar de oliveirenses

 

O desemprego continua a fustigar a população de Oliveira do Hospital. Ainda que tenha saído de 2011 com um total de 939 desempregados, o concelho oliveirense inicia o novo ano com um dos piores números de sempre .

Dados disponibilizados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) indicam que o concelho encerrou o primeiro mês de 2012, com 1001 desempregados. As mulheres continuam a ser as mais afetadas (512), notando-se porém que também os homens (489) não conseguem passar incólumes à trágica realidade da perda do posto de trabalho.

Entre os 1001 desempregados, importa sublinhar que 902 se encontram à procura de novo emprego e 99 lutam pelo desejado primeiro emprego. A negra realidade reflete um aumento de menos de meio ponto percentual comparativamente com o mesmo período de 2011. Em janeiro do ano passado, o desemprego afetava 997 oliveirenses.

Uma realidade que, ao longo de 2011 se foi esbatendo, registando-se em fevereiro 881 desempregados e, em julho 784.

No segundo semestre de 2011 a tendência foi de nova subida do desemprego. Em setembro, o IEFP contava com 841 oliveirenses inscritos e em novembro, com 870. O ano de 2011 chegou mesmo a encerrar com 939 desempregados no concelho de Oliveira do Hospital.

A contribuir para o aumento do desemprego entre os oliveirenses tem estado o encerramento de empresas que, quase por contágio, tem afetado várias setores de produção. Destaque para o recente encerramento da antiga Iral, designada por Imporfabril, que lançou cerca de quatro dezenas de trabalhadores no desemprego, 20 dos quais já tinham optado pela via da rescisão dos contratos de trabalho no passado mês de setembro, por incumprimento salarial.

O encerramento de espaços comerciais e pequenas empresas de base familiar também têm sido uma constante, sendo também de registar o mau momento por que passam várias empresas de construção civil e obras públicas que sofrem as consequências da retração do investimento público e privado.

Entre os concelhos da região, Oliveira do Hospital só é ultrapassado nos números do desemprego por Seia com 1568 desempregados. Gouveia fechou janeiro com 911 inscritos no centro de emprego, Nelas com 695 e Tábua com 657. Em Arganil o desemprego atinge 617 habitantes, em Carregal do Sal o flagelo chega a 463 pessoas e, em Santa Comba Dão os números ficam-se pelos 492. Números que estão no entanto dependentes da realidade e condicionalismos próprios de cada concelho.

LEIA TAMBÉM

PSA anuncia produção de carros de lazer na fábrica de Mangualde

Depois de ameaçar encerrar a produção em Portugal, o grupo francês PSA aumenta a pressão …

Câmara da Guarda: Álvaro Amaro exige ser ouvido pelo Governo na estratégia nacional para o lítio

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), emitiu ontem um comunicado onde …