Desporto: “Guerra aberta” entre o FCOH e o treinador do Tabuense

Os minutos que antecederam o jogo, realizado ontem, entre o Futebol Clube de Oliveira do Hospital (FCOH) e o Grupo Desportivo Tabuense está a gerar polémica entre a direcção dos dois clubes.

A direcção do FCOH está “indignada” com o facto de, ontem, o treinador do Tabuense ter “impedido que os atletas e demais elementos do FCOH de entrar nas instalações do Estádio Municipal de Tábua, obrigando-os a aguardar durante mais de 30 minutos para que tal acontecesse”.

Isto mesmo consta da carta que o presidente Rui Monteiro endereçou hoje – com conhecimento à comunicação social – à direcção do Tabuense, à qual reclama de “forma expressa e pública” o repúdio e condenação da atitude do colaborador Vasco Costa.

A direcção do FCOH fala de uma situação “completamente despropositada e absurda” que – de acordo com a referida carta – “foi levada a efeito, inclusivamente, contra a vontade e recorrendo a coacção sobre o funcionário da autarquia responsável pela mencionada infra-estrutura”.

Rui Monteiro chega até a considerar ter-se tratado de “uma tentativa tão idiota e inútil, com ilegítima, de condicionamento dos atletas do FCOH”, lembrando ao mesmo tempo que os jogos “se ganham dentro das quatro linhas”.

Apontando o dia 27 de Novembro como a data limite para o repúdio público em carta enviada ao FCOH e publicada na imprensa de Tábua e Oliveira do Hospital, Rui Monteiro informa o Tabuense que caso não o faça, será entendido que aquela direcção “aceita e assume a postura aberrante e ignóbil do colaborador”. Caso tal situação se venha a verificar, o FCOH assegura cortar a relação institucional com o Tabuense.

Presidente do Tabuense desconhece situação

Contactado há instantes pelo correiodabeiraserra.com, o presidente do Grupo Desportivo Tabuense, Carlos Ferreira, disse não ter conhecimento da ocorrência daquele episódio.

“Não me chegou nenhuma informação”, referiu aquele dirigente que também ainda não recepcionou a carta endereçada por Rui Monteiro. Surpreendido com o caso com que foi confrontado por este diário digital, Carlos Ferreira referiu ainda que, ontem, esteve com presidente da Mesa da Assembleia do FCOH, Mário Brito, e que este não lhe tocou no assunto. ´

Sem condições para poder expressar uma posição sobre a situação, Carlos Ferreira remeteu esclarecimentos para mais tarde.

LEIA TAMBÉM

“Crónicas de Lisboa”: Cristiano Ronaldo e os Outros. Autor: Serafim Marques

Na gíria futebolística, poder-se-ia dizer; “Ronaldo e mais dez”, porque uma equipa que tem um …

“Oh Meu Deus!”, Seia recebe durante três dias maratonistas de todo mundo numa aventura pela Serra

A 8ª edição do “Oh Meu Deus – Ultra Trail Serra da Estrela” (OMD) realiza-se …