Emagrecer ou Mudar de vida? Autor: Luís Marques

DESPORTO PARA JOVENS OU ENTRETENIMENTO FÍSICO? Autor: Luís Marques

A oferta desportiva é cada vez maior e com ela uma maior afluência ao fenómeno desportivo, com milhares de participantes nas provas de atletismo e ciclismo, ginásios e piscinas cheias, e infindáveis corredores de caminheiros pelas diversas localidades. As mentalidades mudaram e com elas moldaram-se comportamentos, hábitos e estilos de vida saudável.

Esta transição é facilmente percetível desde o inicio do milénio, em que milhares de profissionais recém licenciados na área do desporto e da educação física invadem o mercado de trabalho com diferentes ofertas desportivas para os jovens atletas, algo que foi muito bem aceite pelos pais, investindo na formação desportiva dos filhos, incrementando rotinas que hoje são visíveis.

Claro está que quanto maior é a oferta menor é a qualidade!

Este é o ponto que quero abordar, a qualidade de ensino desportivo que vivemos. Se por um lado temos a veia “Mourinho”, em que os profissionais, recém licenciados ou mestrados, debruçam-se no estudo da modalidade através da análise detalhada do mesmo (física, técnica, tática, psicológica), por outro temos a debandada total, em que profissionais, recém licenciados ou mestrados, ou ex atletas, ou mesmo “expseudo” atletas, monitorizam todas e quaisquer modalidades sem orientação técnica mínima possível!

Este contexto complica-se quando falamos no deporto para jovens, para onde normalmente são direcionados os menos capazes e os menos experientes. Grupos de 20 e tal crianças orientados por um monitor, em que o trabalho, geralmente, é realizado no sistema de vagas ou individual, impondo muito tempo de espera na atividade, o que resulta em comportamentos desviantes. “O meu filho gosta do karaté, mas porta-se tão mal!!!”. Os pais são os grandes responsáveis deste tipo de situações acontecer, pois quando paga para o filho praticar uma modalidade desportiva, seja ela qual for, deve questionar todo o processo, ou será que os nossos filhos quando vão para a escola são ensinados por pedreiros? (muito respeito pela profissão de pedreiro, apenas utilizo como explicação de contexto)

Clubes e associações que descobriram a “galinha dos ovos de ouro”, propondo alguém, seja ele formado na área do desporto e da educação física ou não, com horários definidos em instalações municipais, com pagamentos de mensalidades e sem inscrições efetuadas nas associações específicas, reguladoras da modalidade em causa, algo que em si é muito grave, uma vez que não é acionado o seguro desportivo de atleta da federação portuguesa dessa modalidade.

Mais do que estes defeitos burocráticos e processuais do desporto para jovens, o mais grave, no meu ponto de vista, é o mau trabalho realizado. O trabalho para o sucesso, as rotinas específicas, a falta de conhecimento, o excesso de “youtube” e facebook”, a obrigação/paixão pela modalidade e o negócio a si implícito, faz com que quem monitoriza enfraqueça o desporto, a modalidade e infelizmente o praticante!

Ao exposto afirmo que se trabalha mais no entretenimento físico e muito pouco no desporto para jovens.

Emagrecer ou Mudar de vida? Autor: Luís MarquesAutor: Luís Marques

LEIA TAMBÉM

Batalha de Aljubarrota – A Real Batalha – 14 de Agosto de 1385 – Faz 632 Anos. Autor: João Dinis, Jano

Viva Portugal !  Livre, Soberano e Independente !!!  Viva ! Sim, a 14 de Agosto …

DE SEDENTÁRIO A ATLETA……..NUM AI !!! Autor: Luís Marques

Do 8 ao 80, é este o comportamento da maior parte das novas adesões ao …

  • Cobra

    A crónica do Avarento

    Era uma vez, um Lopes… não sei quando nasceu, mas já é velho
    porque tem cabelos brancos (da idade, não de sapiência).

    Consta que enriqueceu la pela Madeira, com a ajuda de um
    gorducho, avarento e currupto, da mesma laia portanto.

    Despois de escorraçado da Covilhã, onde “sangsugou” os
    clubes de futebol e umas quantas empresas e uns políticos, veio então parasitar
    para a Beira Serra… Ou será que veio fugido depois da estranha morte de um funcionário

    Pelo caminho encalhou dinheiro nuns sítios… se retorno. Bem
    disse que cabelos brancos não eram da sapiência.

    Voltando à Beira Serra, por lá andou a melgar, como quem faz
    oposição, quando o governo era D, quando o governo passou a S, e não lhe deram
    o prometido, decidiu então escrever a crónica pessoal “ A loucura do…”.

    Posto isto, ainda bem que a mãe se ficou pelo caminho.. ou
    não, umas palmadas ainda calhavam bem. Mas agora quem manda é a mulher e a
    filha, porque são elas que têm os poucos tostões que ainda sobram.

    O mal deste senhor é ser avarento e pouco inteligente, mal
    educado e rude. Um verdadeiro campónio com tostões. Alias, é insultuoso comparar
    tal figura a um campónio.

    O avarento cobiça o que é dos outros, mas não trabalha para
    fazer melhor… esperneia, berra e mexerica.

    Boa sorte avarento, adoro esse jornal onde se presta ao ridículo
    e se mostra que ter o carrinho e andar bem vestido, não dá bons modos a ninguém.

    (haverá desenvolvimentos ao longo da semana)

  • cobra

    Antonio Lopes que nao obtem o que quer do atual executivo, depois de ter andado a parasitar outras cidades, cria rebuliço.
    Não tens o que fazer, pah! dedica te ao voluntariado, ou mete o Albuquerque no Poço do gato