Polémica taxa da hora de almoço imposta pela Junta de Freguesia abolida no Centro Escolar de Nogueira do Cravo

Direito de Resposta à notícia: “Polémica taxa da hora de almoço imposta pela Junta de Freguesia abolida no Centro Escolar de Nogueira do Cravo”

Ao abrigo do Direito de Resposta, consignado na Lei de Imprensa, e porque a Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo é visada numa notícia, publicada nesse jornal, dia 2 de outubro, sob o título “Polémica taxa da hora de almoço imposta pela Junta de Freguesia abolida no Centro Escolar de Nogueira do Cravo”, solicito a Vª Exa a publicação do seguinte esclarecimento dos factos que na notícia em causa se encontram deturpados, tendo em vista a reposição da verdade que os leitores desse órgão de comunicação social merecem.

A Coordenação do Centro Escolar de Nogueira do Cravo, após o arranque do novo ano letivo, manifestou junto deste Executivo a necessidade de acompanhamento e vigilância dos alunos do 1.º Ciclo de Ensino Básico que não frequentam a CAF, durante o período da hora de almoço, mais precisamente após estes alunos terem terminado a sua refeição;

Os serviços prestados na sala da CAF são destinados a crianças que frequentam o 1º CEB no Centro Escolar de Nogueira do Cravo, nos períodos que vão para além da componente curricular e durante as atividades de interrupção letiva, mediante o pagamento de uma mensalidade;

Os alunos inscritos, desde o início do ano letivo na sala da CAF, além dos períodos de frequência selecionados pelos Encarregados de Educação aquando da inscrição dos seus educandos, usufruem também de vigilância e acompanhamento durante o período da hora de almoço, dentro e fora da sala de refeitório. Sempre foi assim.

Face ao exposto, e embora a Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo não tenha responsabilidade no acompanhamento e vigilância dos alunos, durante o período da hora de almoço, entendeu este Executivo aceder ao pedido de colaboração solicitado pela Coordenação do Centro Escolar;

Para o efeito, foi realizada uma reunião entre os Encarregados de Educação que apenas necessitam de acompanhamento e vigilância dos seus educandos durante o período da hora de almoço, a Coordenadora do Centro Escolar, o primeiro Diretor Adjunto do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital e dois membros do Executivo desta Junta (Presidente e Secretária).

Foram prestados aos Encarregados de Educação os devidos esclarecimentos por parte da Coordenação do Centro Escolar e do representante do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital.

A generalidade dos Encarregados de Educação presentes entendeu a posição da Junta na condução de todo este processo e aceitou os esclarecimentos prestados por este Executivo. Contudo, até a situação estar definitivamente resolvida alguns Encarregados de Educação solicitaram, de livre vontade, que os seus educandos continuassem a ser acompanhados pelas colaboradoras da Junta de Freguesia, mediante o pagamento do valor de seis euros e cinquenta cêntimos (6,50€) por mês (aproximadamente 0,32 cents por dia).

Assim, contrariamente à notícia publicada neste jornal online, nunca foi imposta qualquer obrigatoriedade pela Junta de Freguesia no pagamento deste valor, ficando ao critério de cada Encarregado de Educação a sua aceitação ou não.

Mais se esclarece que todos os Encarregados de Educação que estiveram presentes na referida reunião, assim como a Coordenadora do Centro Escolar e o primeiro Diretor Adjunto do Agrupamento são testemunhas de que não foi efetuada qualquer imposição por parte da Junta de Freguesia para o pagamento de qualquer tipo de serviço.

A gestão do Centro Escolar de Nogueira do Cravo não é da competência da Junta de Freguesia, e o que este Executivo está a procurar fazer é proporcionar a prestação de um serviço extraordinário a que não está obrigado.

Perante os factos expostos e estando a Assembleia de Freguesia (AF) agendada para o dia 30 de setembro, a Junta de Freguesia decidiu incluir no regulamento da CAF o valor extraordinário da hora de almoço, para que este fosse legitimado pela AF (salvaguardando que aquele montante apenas seria cobrado temporariamente, até que fossem colocados vigilantes naquele período de tempo).

O regulamento do espaço da CAF, como determina a alínea h) do n.º 1 do art.º 16 da Lei n.º 75 de 2013, foi submetido para efeitos de aprovação à AF, e após as devidas alterações aprovado por unanimidade em sua sessão ORDINÁRIA.

É portanto falsa a informação publicada, por esse jornal online, em 2 de outubro de 2014,   e onde é referido que teria sido convocada pelo Presidente da Junta uma Assembleia de Freguesia Extraordinária com a finalidade de aprovar o referido regulamento.

Aliás, a notícia em causa foi alterada, algumas horas depois de ter sido editada, no sítio de internet desse jornal pelo seu autor, o que demonstra a falta de cuidado e de rigor jornalístico que deveriam estar na base desta e de qualquer informação veiculada pela imprensa.

Mais se esclarece que o Presidente deste Executivo não prestou declarações telefonicamente a esse jornal online, quando confrontado para esse efeito, dado que não tem de pronunciar-se sobre assuntos que dizem respeito à Assembleia de Freguesia, um órgão autárquico autónomo, muito menos quando a Ata da sessão em causa ainda não é do conhecimento público.

Informamos que este Executivo continua disponível, como sempre, para discutir ideias e encontrar soluções para a resolução de quaisquer problemas que os Encarregados de Educação possam querer debater, não se encontrando disponível para colaborar com falsas polémicas e tentativas de números políticos baixos que em nada dignificam a Freguesia e diminuem cada vez mais, aqueles que disso se tentam desesperadamente aproveitar.

Mais acrescentamos que, não estaremos disponíveis para a falsidade, a maldade e a intriga, porque apenas nos move a seriedade dos nossos atos, a boa vontade, a sensibilidade social, a força de motivação e a capacidade de trabalho para cumprirmos o compromisso político sério e responsável, que assumimos com a nossa Grande Freguesia de Nogueira do Cravo e com as suas instituições e cidadãos que, de forma clara, inequívoca e amplamente expressiva, sufragaram o nosso projeto político.

Subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos.

O Executivo da Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo

 

Luís Filipe Nina Mendes

Marisa Isabel Rodrigues Costa

Armando Cortez Vicente

Nota da direcção editorial: O Correio da Beira Serra, como órgão de comunicação social isento que é, publica com igual destaque da notícia original este artigo como direito de resposta. Mantém, porém, tudo o que foi escrito na notícia original: 

http://correiodabeiraserra.com/polemica-taxa-da-hora-de-almoco-imposta-pela-junta-de-freguesia-abolida-no-centro-escolar-de-nogueira-do-cravo/

Manuel Mendes

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • Pelos alunos

    Sem polémica:
    -Acaso existe, de facto, um regulamento (interno) para o funcionamentos do Centro Escolar de Nogueira do Cravo? Ou não é necessário? – há quantos anos está este Centro em funcionamento?

  • Odorico Paraguaçú

    Falar em leis, em democracia e coisas similares, só pode ser para o “pessuau” se rir né..? Todo o Mundo já sabe o que se passa em Nogueira, a falta de sensibilidade , de parcimónia , os “joguinhos” etc. Também se sabe como o medo a, perseguição e o condicionamento voltou a este Concelho..! Felizmente que não vai ser por muito tempo. O que se lamenta é a falta de espinha do poder e de alguma oposição, pese o facto de a condicionarem, ou tentarem, até ao nível do emprego..! A mediocridade assumiu o poder. Não se pode esperar que a mediocridade gere boas e justas decisões..! Urge combater a mediocridade..!

    • Zeca Diabo

      Toda a razão Odorico. Onde andam os PSD’s Oliveirenses? Existem? O que tem a dizer o candidato derrotado à junta de Nogueira, o Engº Rui Fernandes?
      O que aqui se alega a das maiores mentiras e insensatez que um presidente de junta pode fazer, e pelos vistos aconselhado e assessorado juridicamente.
      Então, os encarregados de educação que de livre vontade paguem 6,50€ por mês garantem o acompanhamento dos filhos. E os que não pagam, é de livre vontade que aceitam que os seus filhos fiquem fechados sem acompanhamento todos os dias?
      Tenham vergonha, podem limpar o cu a esta resposta dada. Se já tinham feito m**da, agora ainda a vêm confirmar.
      Desapareçam, são uma vergonha para qualquer pai e mãe, e são um insulto para as crianças.

    • Guerra Junqueiro

      Não esperem atitudes nobres de pessoas pobres de espirito.
      Não adianta querer mais de uma pessoa do que aquilo que ela tem para oferecer…

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

  • Politicalex

    Mas qual direito de resposta? São uns pantomineiros..! Agora, diz-se fizeram um acta diferente do que se passou..! Esta gente não se enxerga.O que se faz para comer pão..! Vão trabalhar. Deixem-se de andar pendurados na mentira e no erário publico!!!

  • Pai informado

    Segundo consta tudo o a que está redigido nesta resposta é mentira, vamos ver a bomba rebentar dentro em breve.

  • José

    Sei que em breve vai haver nova assembleia onde irá ser
    aprovada ou não ata. Convido-vos a todos a irem assistir à referida assembleia.
    Assim já não terão de cingir-se ao “ diz que disse”. Pode ser (ou será mesmo) que
    a assembleia seja “quentinha”. Sé lamento é que todas as “baboseiras” que se
    inventam e para denegrir é que são verdade universal. O direito de resposta?
    Isso “não existe”. Acho graça, opinarem
    sobre o que não sabem. Tal como eu penso que não estiveram presentes na última
    assembleia para poderem falar de cor, Ou será que eu me engano e alguém que
    aqui escreve esteve presente? “Mas qual direito de resposta? São uns
    pantomineiros…” – diz o “Politicalex”. Por acaso esteve presente na assembleia?
    Sinceramente gostava mais quando escrevia como “Recoveiro de Carção” ou “Erasmo
    de Roterdão”.

  • Politicalex

    Efectivamente não estive na Assembleia. Nem sabia que havia. Li tudo no CBS. Até lí, por aqui, que tinha sido o Lopes que instruiu alguns PSs e a oposição..! O tal fantasma que agora apareceu. Pantomineiros são. E muito. Sei mais e muito mais.Comprometi-me com o GC a não escrever. Penso que em menos de 24 horas será do domínio publico. Eu que já sei, digo-te. Pantomineiros, é ofender aqueles aldravões que mentem e não prejudicam.Os chamados pantomineiros.Vocês prejudicam. A democracia, o Concelho,os pais e especialmente as crianças.Que fazia a vereadora da cultura na última reunião a que foi? Era parte? Alguém a chamou..? Que fazia o “motorista” que a esperava no carro”? Sabes quem era o “motorista”? Era um senhor que se especializou na prepotência e na mentira e que pelos vistos, agora, manda “os cachorros para o mato”, mesmo sem ninguém os convidar..! Imagina quem é..? Andais todos borradinhos e de cabeça perdida. E digo-te mais motivos não vos faltam. Eu o Erasmo e o Recoveiro? Por acaso apreciava. E o Guerra Junqueiro também. Altas prosas. Verifico que o Guerra Junqueiro tinha razão… Chama-me Lopes ..! O Lopes é que anda aí, atrás de vós, a ver o que fazeis… doidinhos..!

  • Adjunto de Ordens

    Da-lhe com direitos de resposta ..! Logo vês quem é que fica respondido..! A mentira tem a perna curta.

    • vitinho

      Lopes vai dormir que o teu mal é sono.

  • Secretária

    Sou a secretária da má língua aqui no blog e gosto muito de encomendas e de andar pela sombra a empurrar os outros, mas não perco pela demora, pois o pessoal da santa casa e mais alguém andam desejosos por me fazer umas perguntinhas!