Direito de resposta

Na sequência dos acontecimentos da última sessão da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital (AMOH), que conduziram à destituição do Sr. António dos Santos Lopes de Presidente da Mesa da Assembleia Municipal, o jornal Correio da Beira Serra (CBS) solicitou um conjunto de reacções às forças partidárias concelhias sobre o assunto em questão. Conforme é referido pelo próprio jornal, este “dá início ao conjunto de reacções que o correiodabeiraserra.com solicitou às forças partidárias concelhias” (sic). Registámos a intenção, contudo o jornal em causa ficou-se só pela intenção. Senão vejamos:

1. Passadas duas semanas sob o início da publicação dos vários depoimentos, e não tendo sido solicitada, até hoje, qualquer reacção ao Partido Socialista de Oliveira do Hospital (PS-OH) – não obstante a regularidade com que são feitas acusações ao PS no espaço daquele órgão de comunicação social – o PS-OH considera que não foi nem por desconhecimento das regras de igualdade de tratamento noticioso nem por esquecimento que, até ao momento, não foi consultado sobre um tema que ostensivamente o pretendia visar e diminuir. Mais:

2. Entende o PS-OH que, ou foi intencionalmente excluído ou então qualquer coisa de estranho – e de novo – se passou quanto à prática editorial desse jornal, razão pela qual o PS-OH manifesta a sua pública discordância e protesto perante tal opção do Correio da Beira Serra a qual visa exclusivamente silenciar a voz, a opinião, e as razões do Partido Socialista e dos seus representantes democraticamente eleitos.

3. Assim sendo, e considerando o DIREITO DE RESPOSTA que lhe assiste nos termos da lei, cumpre ao PS pronunciar-se sobre a realidade dos factos que conduziram à destituição do, até então, Presidente da Mesa da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, factos esses que foram objecto de vários depoimentos e reacções no jornal Correio da Beira Serra, os quais visaram única e exclusivamente deturpar ou iludir a verdade dos factos e atacar o PS de Oliveira do Hospital, os seus eleitos e o executivo municipal.

4. Em primeiro lugar, é importante referir que o processo de destituição do Presidente da Assembleia Municipal está previsto na Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro (Art. 46º, nº 2), segundo a qual; “A mesa é eleita pelo período do mandato, podendo os seus membros ser destituídos, em qualquer altura, por deliberação tomada pela maioria do número legal dos membros da assembleia”. Assim, todo o processo de destituição teve o devido enquadramento legal, ao contrário do que alguns, abusiva e oportunisticamente, quiseram fazer passar para a opinião pública tentando enganar os cidadãos.

5. Mas, importará ainda esclarecer os mesmos cidadãos sobre os verdadeiros FACTOS que levaram à destituição do Sr. António Lopes de Presidente da AMOH – que, relembre-se, tinha sido proposto para tal cargo pelo Partido Socialista através do respectivo Grupo na Assembleia Municipal – e que foi eleito, em Assembleia Municipal, pela totalidade dos membros eleitos nas listas do PS.

6. Recorde-se também que, sensivelmente dois meses depois de ter tomado posse como Presidente da Assembleia Municipal, concretamente no dia 28 de Dezembro de 2013, o Sr. António dos Santos Lopes anunciou publicamente na AMOH que se desvinculava do projecto político do PS, após tecer um conjunto de insinuações e de manifestar o seu desacordo com as opções do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, Prof. José Carlos Alexandrino, insinuações que o PS considerou injustas, incoerentes e inaceitáveis.

7. Ainda assim e tendo em conta que o Sr. António Lopes veio publicamente retratar-se e desmentir esse conjunto infundado de acusações (que tinha proferido anteriormente), chegando a afirmar sobre os responsáveis do PS que “eles são muito ponderados e muito moderados”, foi assumida e formalmente concretizada – isto é, ASSINADA pelo Sr. António Lopes – uma plataforma de entendimento concertada entre o Sr. António Lopes, o Sr. Presidente da Câmara Municipal e os responsáveis do PS, de forma a ultrapassar o referido diferendo. Acordo e compromisso este que o Sr. António Lopes violou logo de seguida.

8. Refira-se que o PS-OH tal como o Sr. Presidente da Câmara Municipal sempre agiram de boa fé, com total reserva publica, ponderação e equilíbrio, assumindo posturas dialogantes e construtivas com o Sr. António Lopes, procurando dar garantias de estabilidade e de responsabilidade política.

Porém, tal entendimento ESCRITO não só não foi cumprido da parte do Sr. António Lopes como foi pública e notória a permanente violação dos princípios básicos de entendimento e de confiança por parte do referido senhor, alimentando a insinuação, a intriga e a maledicência políticas.

9. A falta de solidariedade e de confiança que o Sr. António Lopes demonstrou pelo trabalho do Sr. Presidente da Câmara Municipal e do executivo do PS, a constante intriga e suspeição que foi sendo propalada na praça pública, as constantes acusações infundadas, as exigências e imposições tentadas, tornaram insustentável a sua permanência no cargo. Como é compreensível, o Município não podia continuar a viver neste ambiente inaceitável em que o presidente da Assembleia queria ser também líder da oposição e, ao mesmo tempo, presidente da própria Câmara num “três em um” inaceitável.

Vejamos então os FACTOS:

10. Um Presidente da Assembleia Municipal (AM) que, à revelia do Presidente da Câmara Municipal, num clima de total desconfiança, exige e recolhe um conjunto de documentos junto dos serviços camarários desrespeitando as mais elementares regras de convivência democrática;

– Um Presidente da AM que acusa o Presidente da Câmara e o executivo municipal de favorecimento político, e depois vem contradizer-se, e desculpar-se, afirmando que ” 5 ou 6 pessoas no contexto de 150 não se pode considerar favorecimento”;

– Um Presidente da AM que faz um conjunto de exageradíssimas exigências para que lhe seja destacado pessoal de apoio ao gabinete da Assembleia, para que possa fiscalizar a actividade da Câmara Municipal (nomeadamente 1 advogado, 1 Engenheiro Civil, 1 economista e 2 administrativos!…), pretendendo criar uma autêntica Câmara Municipal paralela;

– Um Presidente da AM que declarou publicamente que se ”recusa a ser presidente com o regimento agora aprovado”, regimento este do qual foi o principal responsável e que inicialmente tanto elogiou, não propôs qualquer alteração ao mesmo e, num volte-face incompreensível, abstém-se na sua votação;

– Um Presidente da AM que ataca os membros da própria Assembleia a que preside, afirmando; “assim que se distribui a senha de presença começa tudo a sair que até parece o peixe a saltar por cima da rede … o que é sinal de que estão aqui muito enfadados”;

– Um Presidente da AM que se compromete a comprar livros para oferecer às várias bancadas parlamentares “para ver se sabem quais são as funções aqui dentro da Assembleia. Porque a noção que eu tenho é que os Senhores sabem muito pouco do que aqui estão a fazer e de quais são as vossas responsabilidades”, passando, desta forma, um atestado de ignorância a todos os deputados municipais eleitos democraticamente;

– Um Presidente da AM que, eleito nas listas do PS, ostensivamente se reúne com a oposição e a instiga a tomar posição contra o Grupo Municipal de eleitos pelo PS na mesma AMOH;

– Um presidente da AM que frequentemente ultrapassava os seus poderes legais, tentando imiscuir-se nas atribuições e competências da Câmara Municipal;

– Um Presidente da AM que, durante 4 anos e durante a campanha eleitoral, percorreu todo o concelho, com informação clara e documentos comprovativos os quais utilizou para elogiar a prestação do Presidente da Câmara, do Executivo PS e da postura do Partido Socialista, vem, dois meses depois, pôr tudo em causa, preferindo a suspeição, a acusação, e a desconsideração, relativamente às mesmas pessoas que acabara de elogiar;

– Um Presidente da AM que, tudo fez para tentar ser ao mesmo tempo: Presidente da Assembleia, Presidente da Câmara Municipal “sombra”, deputado municipal e Oposição ao Presidente da Câmara Municipal;

11. Por todas estas razões DE FACTO e por todos estes e outros motivos, embora os muito «ponderados e muito moderados» quisessem acreditar, em Dezembro de 2013, que ainda haveria condições para a manutenção do Sr. António Lopes no cargo, constataram em Abril que a sua permanência na mesa e no cargo era incompatível com um são ambiente de paz e convivência democrática e de trabalho conjunto em prol do município.

12. Esta decisão foi reforçada quando a oposição apresentou uma Moção de Confiança ao Presidente da Assembleia Municipal, num evidente jogo de puro aproveitamento político – naquela que se tratou apenas da mais maquiavélica “golpada política” a que já assistimos. Note-se que a Moção de Confiança foi “chumbada” o que enfraqueceu ainda mais politicamente o presidente da mesa e forçou a destituição do Sr. António Lopes. Ainda assim e antes da destituição, o Partido Socialista deu a oportunidade ao Sr. António Lopes para tirar as devidas ilações e se demitir, perante o resultado das votações e a falta de confiança que a Assembleia nele manifestou. Negando tudo o que tinha dito antes, não o fez.

13. EM CONCLUSÃO: quem deu os motivos e escolheu este desfecho foi o Sr. António Lopes, que sabe que a vida política tem regras e princípios dos quais o PS-OH não abdicará nunca. Aliás, foi ele próprio – numa entrevista dada em Janeiro deste ano a um órgão de comunicação social local – quem reconheceu, e passamos a citar as suas palavras, “se o PS tem lá chegado e cumprido as regras regimentais para a minha demissão, politicamente acho isso corretíssimo”. Não tirou dali as devidas ilações, situação que – segundo afirmou também o próprio – “encararia como naturalíssima”. Aliás:

14. Foi neste contexto, e salvaguardando o princípio da estabilidade política em detrimento dos ambientes de “guerrilha” política, que o Grupo de eleitos do PS na Assembleia Municipal, em total CONCERTAÇÃO com a Comissão Política Concelhia do PS, COM O SR. PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL e restante executivo camarário, consideraram que a intriga constante, a chantagem, a ameaça e a traição política, não seriam mais toleráveis, razão pela qual se apresentou a proposta de destituição do Sr. António Lopes de Presidente da Assembleia Municipal, a qual foi aprovada pela larga maioria dos membros da Assembleia Municipal.

15. É por tudo isso e com este mesmo sentido de responsabilidade que o PS não está disponível para continuar a alimentar folhetins políticos que possam prejudicar a governação autárquica em tempos que exigem muito trabalho e concentração para resolver os problemas mais prementes do concelho de Oliveira do Hospital. E considera este assunto ENCERRADO após este esclarecimento, a menos que seja de novo provocado.

Conforme afirmou o Sr. António Lopes há cerca de seis meses “Não há tempo, nem lugar para discussões estéreis, nem partidarites agudas e muito menos para satisfação de egos”. O PS apenas espera agora que o Sr. António Lopes, como membro da assembleia municipal, faça um trabalho sério e honesto, evitando desta forma contribuir para tudo aquilo que combateu no passado; a mentira e a suspeição como forma de fazer política.

16. Quanto ao aproveitamento político que os principais partidos da oposição estão a fazer da situação, outro papel não seria de esperar. Perante esta postura da “crítica pela crítica” em forma de vazio de propostas, perante um Governo do qual somos vitimas – famílias, empresas, instituições e autarquias –, este assunto é uma espécie de entretém para distrair os cidadãos do que realmente os penaliza e lhes estraga a vida.

17. Ao Partido Socialista, aos eleitos nas listas do PS e ao Executivo liderado pelo Prof. José Carlos Alexandrino, move-nos apenas trabalhar dedicadamente em prol da nossa comunidade, apoiando as pessoas, as instituições e as empresas, em ambiente de absoluta tolerância e de total entrega pela causa pública.

O PS de Oliveira do Hospital manifesta assim, mais uma vez, a sua total solidariedade e reconhecida confiança no trabalho desenvolvido pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal e pelo seu executivo. A força, o humanismo, a determinação, o prestígio e a bondade do Prof. José Carlos Alexandrino são para o PS garantias de um bom desempenho como Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

O Secretariado da Comissão Politica Concelhia do Partido Socialista de Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

Autarcas avançam para tribunal para travar fecho dos CTT nas Beiras e Serra da Estrela

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que vai avançar …

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …

  • António Lopes

    Argumentando, diz-se, não há problemas que não se resolvam.É antiga a afirmação de que – a verdade é subjectiva.Porém. o difícil mesmo, é lidar com as meias verdades.E é em meias verdades que o PS e o Senhor .Presidente da Câmara se tornaram especialistas.Vezes sem conta e nos locais próprios tentou o presidente da AM que, os compromissos assumidos e a governação prometida, seguissem os normais trâmites democráticos.Só que os conhecidos e abusivos interesses partidários falaram sempre mais alto.E é disso que se trata.Se o PS estava, e está mesmo, interessado em discutir as verdadeiras razões, porque recusou, ILEGALMENTE, a normal discussão, impedindo um ponto na ordem de trabalhos? De que tinha medo? Se sabem mesmo o que estão a fazer na AM e se queriam uma discussão séria porque não pediram o agendamento de um ponto na ordem de trabalhos? Na trica andava e anda, quem faz da vida pessoal das pessoas, com mentira, o mote de todas as conversas. Na trica anda quem com dinheiros públicos arregimenta quem faça fretes.Veja-se o que se passa na Folha do Centro e Centro TV. Algum deles me deu o direito ao contraditório? A posição do PS não ficou muito clara na AM? Direito de resposta a quê? Cá a têm.Por aqui cultivam-se princípios e valores.Não se enche a boca com eles.O Presidente da AM alguma vez acusou alguém de insanidade? Alguma vez andou a apregoar a falência de alguém? Até hoje alguma vez ,o PS ou o Senhor presidente provaram da ilicitude das opiniões do presidente da AM? Estão disponíveis para uma discussão pública do problema? Nos tais “livrinhos” escritos pelos dois principais especialistas de direito autárquico, professores de direito em Universidades e um ex presidente do Tribunal Constitucional, está lá bem expressa a correcta interpretação dos direitos e deveres da AM.Sempre tive o cuidado de citar as leis em que me baseio.Estranhamente nunca ninguém me confrontou de igual modo..! Porque será? Então é o presidente da AM que vai interpretar as propostas a discussão?Mas a lei, diz que é responsável pela legalidade das mesmas. Foi ele que escreveu o artº29-3º da lei 75/2013? Está lá porquê? Fui eu que escrevi o artº239 da Constituição que diz que a Câmara responde perante a Assembleia? Fui eu que escrevi as competências de “acompanhamento e fiscalização” da Câmara Municipal? Fui eu que escrevi que a AM “participa e delibera sobre todos os assuntos de interesse do Município”? Eu e todos jurámos cumprir com lealdade.Cumprem? Estamos lá a fazer o quê? A dizer “AMén”? Algum acordo pode substituir a lei? O Senhor presidente mudou o “caras”? Deixaram de meter afilhados? O acordo era para comprar o meu silêncio? Quem não cumpriu? Pensava que já era conhecido.Pelos vistos não..! Se outras provas fossem necessárias para se avaliar a forma e a competência com que se está na Assembleia Municipal, na vida política e no Concelho, a última AM foi prova super esclarecedora de tudo isto.Não saberá o PS quantos são 2/3 da AM? Não saberá que eles são necessários para sustentar uma deliberação não incluída na ordem de trabalhos? Que tem a ver “o tudo pelas pessoas”, com a política eleitoralista cujos contornos todos os dias vou tomando conhecimento, pelas muitas promessas não cumpridas? É raro o dia em que não tenho uma associação a queixar-se que prometeram e nunca mais pagam. Sabe-se como começam a estar as finanças Municipais.Pelos vistos andam mais preocupados com as minhas.Será para disfarçar? Se andam preocupados com as minhas bem podiam ajudar, chegando-se “à frente”….As cartas já mandei…Então são meia dúzia os admitidos..? Também tenho vindo a tomar conhecimento do quanto andam espalhados… mesmo assim muita promessa está por cumprir.Queixosos tem muitos. Alguma vez me viram defender estas políticas? É sério usar as pessoas, para a seguir as violentar, com estas políticas de favoritismo e eleitoralismo?Era este o projecto? Lá estarei.Temos 3 anos e meio para pôr a nú esta falta de escrúpulos, o despesismo eleitoralista e a falta de princípios básicos, que diariamente se vai revelando.Seja nos locais próprios, seja pelo comentário seja pelo “direito de resposta” terão aqui, uma tribuna gratuita que lhes proporcionará os meios que os domesticados pelo dinheiro público me sonegam a mim.O vinagre e o azeite estão juntos na salada mas, não se misturam..! Vão-me respondendo que eu, aprecio.De preferência cumpram o Projecto de “TUDO PELAS PESSOAS”.Para esse, porque foi o meu compromisso, podem contar comigo.No que assim não for, contem comigo também.Já agora: sempre há boicote às Europeias..? E como é que estamos de baixas na “guerrilha”..? Valha-nos Deus…

    • Socialista genuíno

      Sr. António Lopes, sou socialista de gema. Votei PS nas ultimas autárquicas porque confiei em si no prof.José Carlos Alexandrino. Nunca confiei neste PS maçónico concelhio que nasceu para ser contra-poder. Não sabem ser poder, são uns déspotas sem preconceitos e sem educação. São uns gosmas que gastam o erário público e ao mesmo tempo vivem e enriquecem com o dinheiro de todos nós.
      São tão aldrabões que até nesta entrevista tentam confundir-nos trocando maioria por maioria mínima de dois terços, querem fazer de nós parvos.
      O presidente JCA em quem confiava, está pior do que eles, já se esqueceu dos favores que lhe deve. Já se esqueceu que sem o Sr. ainda andava lá por a Cordinha com meia dúzia de analfabetos. Já se esqueceu que foi o Sr que o ensinou a dizer câmara em vez de cambra. É como os outros, usa o poder para se promover.
      Para bem de todos os Oliveirenses, volte para o local de onde ilegalmente o tiraram à boa maneira dos socialistas maçónicos.

  • Sombra

    Ó Lopes, chega-lhes azeite. São todos uns escroques, querem roubar e enganar à vontade.
    Já viste o que dizem? Que querias “1 advogado, 1 engenheiro civil, 1 economista e 2 administrativos”. Não dizem que pediste para disponibilizarem quando a assembleia necessitasse estas pessoas, que estão na câmara também para isto. Por isso é que lhes pagamos.
    São uns merditas.

  • P.inóquio.S

    É a política das meias verdades, a que se usa chamar demagogia. Está provado. Eles (PS) desde que empreguem os Boys já estão satisfeitos.E vão conseguindo…É pelos Poc,s pelos estágios, pela ADESA, é pela BLC , vale tudo…

    • HRa-os

      Quando a Srª Drª Unha Pelo e Pintelho, chega a directora da comunicação da ESTGOH, vale tudo mas tudo.

      • Ouvido na barbearia

        -Então a companheira do presidente da CPC do PS de OH, 1ª Dama de Ervedal e Vila Franca, é a nova Directora de Comunicação da ESTGOH? Como chegou a tal posto?
        -Não foi fácil, teve pela frente um calista diplomado de origem Indiana, mais a neta da Rosete, com mestrado da famosa “Pérola Negra” business and comunication school of Oporto.
        Parece que foi fulcral para a atribuição do lugar, ter desencravado duas unhas ao Presidente da Câmara.
        Disseram também, que foi a única que conseguiu estar 10 horas seguidas a comunicar com amigos ao telemóvel. Mais-valia de excelência para o lugar em questão.

  • Contribuinte 188 546 987

    O P.S. no seu melhor… É uma vergonha… A seguir venha um Passos Coelho autárquico tirar a pele aos munícipes. Mas Alex vai embora e não fica a dever nada a ninguém.

    Quer mais dinheiro para festas! Venha lá o Cadastro Predial para actualizar valores e toma lá munícipe mais uma actualização da contribuição sobre prédios rústicos. A CM já está a usufruir da actualização dos urbanos mas como há tanta festa a guita não chega… Depois como fala para pessoas com o seu nível de educação e pároca cultura escuda-se no governo… Ai Oliveira, Oliveira…

  • Pritágoras

    A Socialista genuíno:
    – Interessante, o seu comentário…
    Contudo, (perdoe a curiosidade – contas são contas! – e, caso assim o entenda, e possa) seria bom que nos esclarecesse sobre essa diferença entre o ” PS de gema” e o “PS maçónico (?)” do concelho de Oliveira do Hospital….
    Então não é tudo igual a 1?
    Obrigado

    • Socialista genuíno

      Passo a explicar, o socialista genuíno não sabe o caminho para Côja, nem com GPS. O socialista maçónico, mais conhecido por xuxalista, não conhece outro caminho. Percebeste? Não te percas.

      • Pritágoras

        Coja, excelente localidade…mas não pertence ao concelho de Arganil?

        • Socialista genuíno

          Não me consta que tenha sido anexada a outro concelho?
          Foi lá que o falecido Dr. Fernando Valle ergueu colunas. Porquê? Estão proibidos de lá entrar os de Oliveira? Não foi isso que li na “casa das aranhas”.
          Pritágoras, estás muito longe do quadragésimo sétimo postulado de Euclides.

          • Pritágoras

            Só enigmas…como não sou do clube (?), como é se poderão decifrar tais propostas?

          • Socialista genuíno

            Quando recebes os “cheques”, não vem tudo decifrado?

          • Pritágoras

            “Cheques”?
            Não….não me Euclido, perdão, inclino, muito, para esse lado…
            Enfim, confesso…não sou lá muito para essas coisas do culto e do oculto…e, já agora, creio que nos estamos a afastar do propósito inicial e que era, se me permite, o de tentar perceber o seu comentário de fundo sobre o estado a que a casa de todos nós, a de todos os munícipes de OH – e que é a dos Paços do Concelho – chegou…e que o senhor retrata de uma maneira , deveras, preocupante.
            A levar. à letra, aquilo que afirma, era mais do que caso para muita especulação…afinal, quem é que por ali anda a “enriquecer”?

          • Socialista genuíno

            Os pobres e falidos, andam lá para comer.
            Os que já não dão mais do que aquilo na politica, andam lá para se encherem, pois sabem que mal acabe, não voltam ao tacho.

          • Pritágoras

            Já agora :com “1” , queria significar “unidade”…ou seja:então o PS de OH não é um só?

          • Socialista genuíno

            A Santíssima Trindade também é só um.

          • Pritágoras

            Pois….milagre!

          • Pritágoras

            Bem…levar com Euclides, é obra!
            Pois posso dizer-lhe que conheço gente , já reformada, aqui no concelho – e que não vai a Côja encostar-se “às colunas”! – que nunca andou na escola, e que conhece, de saber feito pela experiência da profissão, essa do 3,4,5…
            Prefiro, se me permite, ler a tradução do libreto da “Flauta Mágica”, de Mozart….ouvindo-a.

          • Socialista genuíno

            Ó Pritágoras; 3,4 e 5, assim como todos os seus multiplicadores são chamados de pitagóricos. Euclides já tinha postulado isso e muito mais, há muito tempo.
            Além de ouvir a “Flauta Mágica” que dava para estarmos horas e horas a debater, deve também ouvir as outras duas grandes obras de simbologia idêntica, a “Clemencia de Tito” e o “Requiem”.
            Mas em Côja, a musica é outra.

          • Pritágoras

            Pitágoras viveu primeiro, segundo creio….
            E que tal, também, correr algumas páginas da investigação jornalística feita à Cúria do Vaticano, a propósito do Banco Ambrosiano, ao tempo da morte de Paulo VI? – diz-se que cerca de 75% dos elementos que a constituíam, secretário geral incluído, eram membros da P2…se chegaram, tão alto, ali, onde chegaram, quão fácil se torna chegar a outros lados…e, de lá, obter, iluminadamente, os devidos proveitos…

          • Socialista genuíno

            E crês bem, só que esperava que deduzisses que Euclides foi o Senhor do Esquadro e do Compasso.
            Muito se fala da Loja P2, que se diz composta essencialmente por padres. O que sei é que Roberto Calvi apareceu enforcado debaixo da ponte Blackfriars (Frades Negros) sob o Tamisa em Londres em 1982, e que era administrador do banco católico Ambrosiano Veneto cujo principal parceiro era o Banco do Vaticano. Pensa-se que a razão de o terem assassinado e depois colocado enforcado com pedras nos bolsos e 15 Mil Dolars tenha sido por ter enganado a Máfia, a Maçonaria e a Igreja. Não sei. No entanto acho que o Papa que morreu, e que também se diz ter sido assassinado foi João Paulo I e não Paulo VI como afirmou.
            Outra coisa, estamos aqui para discutir politica local, para discutir história há outros locais.

          • Pritágoras

            Claro….mas , as investigações desses jornalistas reportam-se, sim, ao tempo da Paulo VI.

  • P.inóquio.S

    “Pitágoras”: O pessoal nunca esteve em Siracusa e desconhece a hipotenusa…Falar de catetos para quê..?

  • Caga tostões

    Ó Lopes és incrível. Será que não vês que a malta percebe que és tu que estás aqui a meter os comentários todos? Tens um ego do carago. Vai dormir homem…

    • Socialista genuíno

      Deve tostões;

      Vai chamar Lopes ao “cara d’alho”.
      Já agora, quem é a malta?

  • António Lopes

    O “Nick” de António Lopes é só um.O que tem a dizer diz, e assina.

    António Lopes

  • Caga Tostões

    Lopes, só tens um nick? O do Lopes quando assina? Vai vender essa à feira da ladra. Tu és um feijão de não sei quantas caras. És das coisas mais reles que eu até hoje conheci ao cimo da terra. Mas não sou eu que o digo. É a tua própria familia e são todos aqueles com que tu não cagaste à entrada mas cagaste à saída. Desculpa lá as questões pessoais, mas um verme como tu tem que ser desmascarado. Neste momento, isto aqui do onilaine é a feijões. Mas na rua, já sabes. Conta connosco. EM CADA ESQUINA UM AMIGO! Foste um novo rico, mas a cagança, a falta de berço e a pobreza de espirito cedo te transformaram numa coisa que eu até me abstenho de dizer.

    • Sombra

      Ó Lopes, então tens “um amigo em cada esquina”?
      Se queres um inimigo, empresta-lhe dinheiro. Olha os amigos que arranjas-te, em cada esquina um ou mais para te apunhalarem pelas costas.
      Caga Tostões, conhecias a família “minério” antes do Lopes chegar? Sabes o que faziam? Sabes o que fazem?
      Se eu tivesse a sorte de ter um tio que me ajudasse, como o Lopes ajudou os sobrinhos, que eu até o cu lhe beijava se fosse preciso.
      Ai, ai, ai que falta de pudor e sinceridade.

  • Galileu

    Diz o DONO deste jornal que “argumentando, diz-se, não há problemas que não se resolvam”. Disso sabe ele bem.
    Paleio tem muitos, como se sabe ele até é o “ARGUMENTADEIRO-MOR” deste online, com várias encarnações.
    Ele acusa, ele auto-defende-se, ele faz a notícia, comenta-a, aumenta-a, inventa-a.
    Deste trosso ele sabe-a toda.
    Aliás para quem aqui passa os dias a teclar, até parece intertem de reformado.

    • E pur si muove

      Ó Galileu, alguém te pediu para aqui vires?
      Estás preocupado? Porquê?
      Diz lá onde é que o Homem está a falhar.
      faz como a Terra, move-te, mexe-te. Mas para longe.

    • Pritágoras

      Vamos lá a moderar essa “órbita”: orbitas noutra, o problema é teu….Galileu

  • António Lopes

    “Galileu”: No próximo dia 26, a rotura, faz um mês .Para as eleições faltam 40.Não me digam que já estão cansados? O anterior executivo, perdeu, mas aguentou-se 4 anos.Efectivamente sou reformado.Também tenho um telefone que recebe e envia mails em qualquer parte.Qual é o espanto. E como é de qualidade, não ofende ninguém.Nem diz só meias verdades…Também não se mete na vida alheia. Chá…vale?