Doença do Nemátodo entrou a matar

Na última assembleia municipal de Oliveira do Hospital, dia 25, o deputado municipal dos independentes, que também preside à associação florestal Caule, alertou o executivo camarário para a dimensão do problema.

“No prazo de oito anos o Nemátodo vai dizimar 89 a 90 por cento do pinhal adulto deste concelho”, advertiu José Vasco de Campos.

Para aquele engenheiro florestal a praga do Nemátodo vai ter um “impacto grave na paisagem”, e é previsível que os proprietários rurais, face à morte do pinheiro bravo, comecem a plantar outras árvores de crescimento rápido, como o eucalipto, por exemplo, que já ocupa uma área substancial da mancha florestal da região.

Alegando que o problema “é impossível de resolver, mas pode ser atenuado”, Vasco de Campos desafiou o chefe do executivo oliveirense a discutir a problemática da doença com os responsáveis governamentais do setor.

Para o presidente da Câmara é estranho que a situação se mantenha como dantes, uma vez que houve “muitos milhões de euros que o governo deu para resolver este problema”.

José Carlos Alexandrino também se mostrou crítico quanto ao funcionamento de algumas zonas de intervenção florestal (ZIF) porque e deu o exemplo da ZIF da Cordinha. “Não vejo que haja nenhuma melhoria”, observou.

As perguntas e respostas sobre o Nemátodo

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

LEIA TAMBÉM

Uma insólita invasão de javalis na cidade de Viseu

Uma ‘praga’ de javalis tem invadido todas as noites a cidade de Viseu, revela o …

Identificados quatro suspeitos de incêndio após queimadas em Viseu

A GNR anunciou hoje que identificou quatro pessoas em Lordosa, no concelho de Viseu, na …