Dois médicos colocados em Oliveira do Hospital, garante o presidente da Câmara Municipal

Dois médicos já foram colocados em Oliveira do Hospital por via de concurso público, devendo iniciar funções em breve, noticia a rádio Boa Nova, adiantando que a informação foi avançada pelo presidente da Câmara Municipal. José Carlos Alexandrino, explica aquela rádio, confirmou na quinta-feira, a colocação de uma médica de Aveiro, em situação de licença de maternidade até Maio, mas que já veio a Oliveira do Hospital com o objectivo de arrendar habitação, bem como a colocação de um segundo clínico, “paraplégico”, mas “muito bom médico”. Este último, porém, não irá fazer serviço de SAP nocturno.

O autarca, continua a rádio Boa Nova, acredita que o número será alargado, apontado para que a curto prazo estejam colocados em Oliveira do Hospital cinco a seis médicos, um dos quais de Ervedal da Beira. José Carlos Alexandrino lamentou ainda que, devido aos problemas de acessibilidades, um clínico de Viseu tenha optado por ficar na Guarda em detrimento de Oliveira do Hospital.

José Carlos Alexandrino, segundo aquele órgão de comunicação social, deve apresentar esta semana um “projecto” ao secretário de Estado da Saúde, com vista à descentralização das competências na área da saúde no âmbito de um projecto que, segundo o autarca, já terá recebido o “OK” da Administração Regional de Saúde do Centro. “Tenho convicção de que vamos fazer uma coisa a sério”, referiu José Carlos Alexandrino, citado pela rádio Boa Nova.

LEIA TAMBÉM

José Carlos Alexandrino acusa Governo de discriminação na ajuda pós-incêndios

O presidente da câmara de Oliveira do Hospital acusou o Governo de estar a discriminar …

Presidente da CM de Oliveira do Hospital indignado por FPF esquecer Coimbra e quer jogo de solidariedade da selecção naquela cidade

O presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, criticou a Federação Portuguesa …

  • Politicalex

    “Tenho convicção que vamos fazer uma coisa a sério”..! Será que se enganou..? Às vezes acontece… as pessoas enganam-se e acertam…Só se for desta vez. O normal é cada cavadela sua minhoca…Para as contas da Expo foram três a enganarem-se. As da água não acertam uma. Nas camas é o que se sabe. No retorno dos eventos nem boas nem más…Onde se desenrascam bem é a fazer “números”..! A conta-los… parece que fugiram muito da escola, quando andavam a aprender…

  • Sonhador

    Enlouqueceu por completo, até já tem convicções que consegue fazer coisas a sério,
    Que tem andado a brincar ás festas e ás palhaçadas sabemos, mas daí até conseguir fazer coisas a sério, só em sonhos.

  • Politicalex

    o “nosso” Presidente é o máximo..! ” que é paraplégico mas muito bom médico”..! Comentários para quê…E foi este homem pedagogo e director de um agrupamento..!

    • Respeitoaopróximo

      É bom médico e basta.O que se querem cá é bons médicos. O Sr, Presidente devia ser mais astuto ter mais,perspicácia e inteligência quando fala de outrem. Falta-lhe tudo, até maneiras de estar.Mas que pedagogo!.Este também devia ir a fazer exame.São estes e outros que ensinam os nossos filhos.Valha-nos Deus.

  • Adjunto de Ordens

    O que está a fazer mesmo muita falta é um bom psiquiatra…considerando o “Sobral Cid” em que está transformado algumas instituições e pelas discussões na reuniões acho que é das coisas mais urgentes…Para Outubro, com o Governo do PS????? já se resolve tudo…

  • Volta Mário

    Agora dizem ao Lopes que não.Que trabalham para a ADESA num projecto de electricidade…VOLTA MÁRIO:::

    2.2.2.1 – PESSOAS CONTRATADAS PELA ADESA/MUNICÍPIO
    O vereador Mário Alves questionou o Presidente da Câmara sobre quantas pessoas é que estão contratadas através da ADESA mas que trabalham para o Município de Oliveira do Hospital e bem assim sobre quantas pessoas é que estão contratadas e pagas pela autarquia mas que trabalham para qualquer outra entidade que não o município.

    Sobre o assunto, o Presidente da Câmara respondeu que “todas as pessoas que estão
    contratadas pela ADESA trabalham para a Câmara Municipal”, ao que o vereador Mário Alves questionou se efetivamente eram mesmo todas porque tinha conhecimento de que uma delas não estava a trabalhar para a autarquia.
    O Presidente da Câmara garantiu que iria confirmar tal situação, assegurando ao vereador
    Mário Alves de que lhe faria chegar uma listagem contendo a informação pretendida. —

  • Volta Mário

    Agora é tudo a dizer amém..! Então quanto é que foi a dívida que o MA deixou? Ninguém lhe respondeu VOLTA MÁRIO. Estes, são uns aprendizes… gastadores..!

    2.1 – INTERVENÇÃO DO VEREADOR MÁRIO ALVES ———————————————
    2.1.1 – ANÁLISE AO MANDATO 2009/2013; ————————————————————-
    ——–O vereador Mário Alves iniciou a sua intervenção fazendo a seguinte declaração: “Está chegado o momento de fazer um balanço político, e, portanto, a minha intervenção de hoje naturalmente que é uma intervenção que diz respeito ao percurso de quatro anos, e, até por causa de
    MU N I C Í P I O D E O L I V E I R A D O H O S P I T A L
    REUNIÃO ORDINÁRIA PÚBLICA DE 6 DE AGOSTO DE 2013
    algo que li no Boletim Municipal. Começava por citar o ponto de partida deste executivo. Foi de um saldo no banco de 2 milhões de euros que estavam por utilizar de empréstimos e mais 1.538.825,00€ que entretanto recebeu de obra que estava feita e totalmente paga. Refiro-me concretamente à requalificação da estrada 504 entre Lagares da Beira e Meruge, cuja percentagem de comparticipação foi de 70% e passou para 85%, existindo aqui um benefício adicional para o município de 153.877,00€. Refiro-me, também, à requalificação urbanística do Largo Ribeiro do Amaral, cuja comparticipação tinha sido de 40% e passou para 85%, e, portanto, o município
    recebeu cerca de 943 mil euros. Refiro-me, igualmente, a uma candidatura que nós havíamos apresentado e que andaram a “enrolar” na CCDRC até à última hora, mas que depois das eleições desbloquearam imediatamente, que foi a candidatura da requalificação/adaptação da antiga Escola Primária de Penalva de Alva para a sede da Junta de Freguesia e Biblioteca, cuja comparticipação foi de 181.574,25€.” O Presidente da Câmara referiu que “está enganado, é do 2.º quadro comunitário de apoio.”O vereador Mário Alves continuou dizendo que “ou seja, o ponto de partida
    foi de 3.538.825,00€ de saldo positivo, porque a obra que estava feita estava toda paga, com exceção de casos menos relevantes em termos financeiro como é o caso do Polo Desportivo do Seixo da Beira, o valor da adjudicação foi de 93 mil ou 97 mil euros, não sei precisar.” O Senhor Presidente informou que “numa das próximas reuniões dar-lhe –ei esses dados todos.” O vereador Mário Alves prosseguiu dizendo que “tirando isso este foi o ponto de partida. É bom fazer este ponto de situação porque as pessoas em Oliveira do Hospital têm que perceber. Eu até estou numa posição em que, como não sou candidato a coisa nenhuma, não posso ser acusado de coisa
    nenhuma, estou a fazer aqui aquilo que acho que devo, é o balanço. Depois dizer o seguinte: Diga-me então hoje Senhor Presidente, de todas aquelas viagens a Lisboa, de todas as reuniões que teve com os tais Secretários de Estado, os Ministros responsáveis pelo POVT, etc., qual foi a mais valia que teve o concelho de Oliveira do Hospital? Ora, tanto quanto sei, e se não me falha a memória, 500 mil euros rececionados para instalar a famigerada BLC3, cujos resultados nós vemos, vão
    estando à vista, é um dos tais protetorados que eu já falei em duas reuniões anteriores. Apesar de muitos anúncios feitos pelo Senhor aqui neste executivo relativamente às matérias tratadas, estou a lembrar-me da ESTGOH, estou a lembrar-me das redes de água e saneamento, eventualmente, para Vila Franca, estou a lembrar-me de uma série de coisas. Em resumo, aquilo que interessa verdadeiramente é que de todas as diligências feitas, só as diligências feitas no domínio, eu chamar-lhe- ia, local, ou seja, na CCDRC é que tiveram algum proveito.

    O Presidente da Câmara referiu que “deixe-me só dar um exemplo que o Senhor omitiu, a limpeza das margens dos rios, de 500 mil euros, também se esqueceu, devia ter acrescentado, 300 para as 80 eletrificações rurais, “vieram do céu?” de Lisboa para cá, como a do POVT? da Moita/Formarigo/Carvalha, que em princípio iremos ter financiamento, também caíram do céu. Não
    Senhor vereador, foi preciso lutar por esses financiamentos.”

    -O vereador Mário Alves prosseguiu referindo que “dizer também que dessa herança do passado este executivo herdou uma carteira de projetos que estavam candidatados no Quadro Comunitário e vou referir os que lá se encontravam, qualificação e ampliação da Zona Industrial de Oliveira do Hospital, com um ninho de empresas e estava previsto um investimento de 700 mil euros, a Casa do Queijo que estava prevista no espaço onde funcionou a ARCIAL, com 1 milhão de euros, a Biblioteca Municipal, com 500 mil euros, a Estrada do Vale do Alva – 3ª fase, troço de Aldeia das Dez /Vale Maceira, com 872.500 euros e, finalmente, as Estradas 504 e 504-2, aliás, a retificação e pavimentação da EM-509 – Nogueira do Cravo/Aldeia de Nogueira/Oliveira do Hospital, com 1.172.500 euros, e a que já referenciei Lagares/Meruge que já estava executada quando o executivo tomou posse. Esta era a carteira. Disto o que é que foi feito que não estava
    aqui? O Centro Educativo de Nogueira do Cravo que sai por uma rubrica específica do Quadro…///…

    Leiam o resto na acta, que é muito interessante.Agora vêm dizer que deixou sete milhões e meio de dívida.Na frente dele engoliram os números verdadeiros…

    • Politicalex

      Pois…fizeram,fizeram, porque já lhe deixaram a cama feita e o dinheiro no banco..
      Nas festas, melhorou muito..! Isso, tem que ser reconhecido…

  • Politicalex

    É lá..! Isto , agora, é a sério..!

    • Chupistas

      Agora anda a trabalhar para o Costa e para o PS.
      Já se deu ás boas, lá tem que fazer o que lhe mandam, para se poder ir aguentando, consta-se que se não fossem os aventais do PS já tinham saído as sentenças do tribunal…
      Já está dominado, hoje lá foi fazer um sacrifício com o resto dos xuxalistas a Lagares, levaram a RTP (Sócratina) para ouvirem 50 pessoas que arregimentaram.
      Tivessem poupado e não deixassem roubar tudo no SNS, dêem graças a Deus em este ministro o ter salvo, se não, nem médico, nem bombeiros, nem enfermeiros, nem hospitais nem nada, já estava tudo comido.

  • Politicalex

    Afinal, depois de intenso treino, a “guerrilha” está a aparecer. Segundo o Alex vem aí um projecto “revolucionário” para a saúde e para a gestão da água..! Não se esqueceu de referir “revolucionariamente” a situação física dos médicos, nem de se colar ao ministro, afirmando a sua “independência”,relativamente ao PS, já que, este partido, está contra a reforma da água, do PSD..! POLITICALEX…

  • Volta Mário

    Tirado da “Boa Nova”:

    …///…Ainda que a escusar-se a avançar com os pormenores do projeto que diz ser “revolucionário”, o autarca oliveirense disse não ser possível ao município, por falta de mecanismos legais, assumir a gestão da saúde no concelho. No imediato, o que se pretende “é cobrir o total do concelho com médicos”, ficando para mais tarde a
    responsabilidade com as instalações dos serviços de saúde no concelho.

    Otimista, José Carlos Alexandrino não tem dúvidas de que” Oliveira do Hospital ficará com saúde de ponta”.

    Ainda bem…Que Deus nos livre que a saúde ficasse nas mãos da Câmara.No subsidio de natalidade reduziram 15 euros por mês e criança. No ensino superior reduziram a bagatela de 65 mil euros para 50 mil, no Concelho todo..A água foi o que se sabe.Entraram no bolso de toda a gente. Até para guardarem os miudos à hora de almoço tentaram sacar 6,5 euros. Com a saúde nas mãos deles, às tantas, nem aspirinas, havia.SE houvesse seria como nos demais apoios às famílias..! Deixá-los propagandear..! Se fosse bola…

  • António Lopes

    Principio de Peter: Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência.

    Lendo as notícias recentes, sobre as posições do Senhor Presidente da Câmara acerca dos problemas da saúde e da água, ocorreu-me o princípio de Peter.
    Todos os dias vamos sendo informados dos sucessos, dos concelhos vizinhos , no combate ao desemprego. Por todo o lado, salvo esporádicas excepções, nota-se um apoio efectivo das autarquias na resolução dos problemas mais sensíveis que afectam as populações.Por cá, com a saída de três dos mais experimentados autarcas que o Concelho teve,Mário Alves, Paulo Rocha e José Carlos Mendes, o nível de discussão dos problemas diminuiu quantitativamente e qualitativamente.A resolução dos mesmos seguiu o mesmo sentido.Sem falsa modéstia, contribui, até onde pude, para alguma moderação de situações, sem grande êxito, reconheço.Basta analisar as actas das reuniões de Câmara, ultimamente transformadas em autêntico “circo”, para se aquilatar do que acabo de afirmar.Para desencanto meu e prejuízo de todo o Concelho, privilegia-se uma irresponsável gestão, onde a festa, a diversão saloia e o desporto de competição são as prioridades da Governação.Pessoalmente, não vislumbro nem auguro nada que se possa comparar com as expectativas que pessoalmente criei quando os Oliveirenses, de forma tão expressiva, nos deram esmagadora confiança na resolução dos seus problemas e boa governação do Concelho.São conhecidas as pretensões dos sucessivos governos em transmitirem e sobrecarregarem as autarquias, com responsabilidades e despesas,operando a transferência de obrigações sem os respectivos meios financeiros que as possam suportar..Vivi na Ilha da Madeira , onde assisti a fenómenos idênticos,Na sede de mando e tudo controlar, o Governo Regional, chamou a si os portos , aeroportos, e outros serviços do Estado,estruturas que só lhe davam problemas e despesa.Sabemos todos, quais as verbas que o governo transfere para o sistema de ensino e sabemos, todos, a fatia importante suportada pelas autarquias.O comum do dia a dia, são os senhores presidente de Câmara queixarem-se destas realidades que acabo de enumerar. Descontando a infelicidade do dislate, sobre a forma como se anunciou a vinda de dois novos médicos, vem agora o Senhor Presidente reclamar a transferência de competências na área da saúde.Sabendo-se da exiguidade de meios financeiros, os cortes que foram operados, alguém cônscio das suas responsabilidades e da especificidade deste sector se mete numa aventura destas? Diz o Povo que: “com a saúde não se brinca”. Será que os responsáveis não têm disso consciência..? Já quanto ao problema da água, bem clamo, bem apresento as contas, bem provo que nos foram ao bolso. A grande preocupação do Senhor Presidente é anunciar como uma vitória um problema que anda a ser debatido, há anos, ,criando um sistema de solidariedade Nacional, que harmonize o custo da água, sabendo-se que a baixa densidade populacional do interior e a dispersão da mesma, comportam custos, cada vez menos compatíveis com as depauperadas, economias familiares. O senhor presidente, enfermando de um narcisismo confrangedor, não perde uma para se por em bicos e nos tornar alvo de chacota. Ele foi a “guerrilha, a dor e o sangue”pelo IC6,ele é o maior requeijão, desconhecendo que no seu concelho há quem produza , diariamente, três mil requeijões com um peso de seiscentos kilos, ele é a maior abóbora, ele é a maior feira do queijo, ao mesmo que tempo que desaparecem os rebanhos..! Acompanhado de um conjunto de “altifalantes e megafones”, cada vez mais, de diversas formas subsidiados pela câmara, ele é um sempre em festa permanente, e permanentemente propagandeada, qual D.Quixote, anunciando vitórias que só ele vê. Em simultâneo vai-se “empurrando com a barriga”, os verdadeiros problemas e “acalmando” consciências. Á custa do erário público, quase sempre em prejuízo das regras de transparência e das famílias mais carenciadas. Que estruturas e pessoal qualificado tem a Câmara para se meter no sector da saúde? Como dizia Peter, tem pessoas com pretensões de promoção até ao limite da incompetência… Para se fazerem notadas, tudo é pretexto.Espero que não tenham que vir, de novo, os presidentes das CIMs desdizer o nosso presidente, como tiveram que fazer com a “guerrilha”.É que, não estou a ver os Municípios a meterem-se numa destas..! Idoneidade e responsabilidade precisam-se…

    António Lopes

    • João Paulo Albuquerque

      Sr Lopes;

      Não se pode tirar onde não há. O Sr Presidente e a vereação, são pura e simplesmente incompetentes, incapazes de cumprir os desígnios dos respectivos lugares que ocupam. Os eleitos à Assembleia também ajudam à festa, e a oposição afina pelo mesmo diapasão. Se Mário, Rocha e Mendes eram fracos, estes nem aos calcanhares lhes chegam.
      Esta declaração de JCA sobre a saúde passar para a autarquia prova bem a limitação daquele cérebro e dos que aplaudem. Daqui, como tenho afirmado, só pode esperar uma governação 3F’s – Festas, Feiras e Futebol, com a agravante de tornarem as reuniões em autenticas palhaçadas.
      Estive e Vila Verde – Braga, onde conheci o euro deputado José Manuel Fernandes, antigo Presidente daquela autarquia que lançou recentemente em Bruxelas, para 2016, a Politica dos 3E’s – Emprego, Empresas e Empreendedorismo. Deixo este alerta, na expectativa que nosso edil leia este tema de JMF, tome conhecimento do que ele envolve e compare com a sua governação.

      João Paulo Albuquerque