Dois suspeitos de esfaqueamento em Sabugueiro já tinham sido condenados a penas de prisão

Em prisão preventiva desde a madrugada de ontem, o trio suspeito de ter esfaqueado e roubado o comerciante Francisco Patrão, de 50 anos, à porta da sua residência em Sabugueiro, é composto pelos dois indivíduos que no passado dia 11 de Janeiro tinham sido condenados pelo Tribunal de Oliveira do Hospital a penas de prisão pelo furto de automóvel.

Os dois indivíduos encontravam-se, contudo, em liberdade já que um, de 28 anos e residente em Gavinhos, tinha sido condenado a pena de prisão com pena suspensa e o outro, de 25 anos e residente em Loureiro, tinha recorrido da pena de prisão efectiva de dois anos e dez meses de que tinha sido condenado.

Em causa estava o furto de um veículo pelo indivíduo de 28 anos que, mais tarde convidou o segundo para com ele se deslocar a Coimbra. A viagem acabaria por terminar no final do IC6 onde o veículo foi interceptado pela GNR. Pelo facto de confessar a autoria do furto do veículo e de três telemóveis, o indivíduo de 28 anos acabou por beneficiar da suspensão da pena de prisão de dois anos e dez meses.

Pior sorte teve o colega que, negando sempre ter conhecimento que o carro em que seguiam era roubado, acabou por ser condenado a prisão efectiva. Já nesta altura, ambos os indivíduos tinham antecedentes criminais.

Volvidas menos de duas semanas após a leitura da sentença no Tribunal de Oliveira do Hospital, os dois indivíduos são agora suspeitos de participar no esfaqueamento e assalto de um comerciante no Sabugueiro, em que também terá estado envolvido um antigo empresário de lacticínios de Meruge, de 57 anos. O trio foi ouvido pelo Juiz do Tribunal de Seia e está sujeito a prisão preventiva no Estabelecimento Prisional da Guarda.

De acordo com informações avançadas por outros órgãos de comunicação social, o esfaqueamento terá sido perpetrado pelo indivíduo que gozava de suspensão da pena de prisão, mas o esquema do assalto terá sido delineado pelo ex-empresário que, alegadamente já era conhecido do comerciante devido ao anterior fornecimento de queijos.

O assalto ocorreu às 10h30 da passada sexta-feira, quando o indivíduo condenado a pena suspensa terá entrado no jipe do comerciante e lhe perguntou por uma pasta usada pela vítima para guardar dinheiro.

A resistência ao assalto terá valido “doze facadas” a Francisco Patrão que, depois de assistido no Hospital de Seia, foi encaminhado para os Hospitais da Universidade de Coimbra, de onde teve alta no sábado.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …