Duodécimos: Patrões concordam com medida, CGTP está contra

O governo quer estender a possibilidade de os trabalhadores do sector privado receberem parte dos subsídios de férias e de Natal em duodécimos ao longo do próximo ano.

A medida já fez surgir reações. “Não tem para nós grande sentindo obrigar as empresas a terem dois procedimentos. É preferível que se opte por um ou por outro”, disse à antena 1 o presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes.

Já a CGTP defende que a aplicação de duodécimos “é forma de tentar iludir opinião pública e dar ideia de que estão [o governo] preocupados com as famílias, quando aumentaram os impostos.”
O executivo de Passos Coelho vai apresentar hoje aos parceiros sociais a proposta que permite no setor privado a diluição de um valor equivalente a um subsídio de férias ao longo dos vários meses de 2014.

O Governo deverá manter possibilidade de escolha dos trabalhadores do setor privado, mas a proposta de lei do Orçamento de Estado para o próximo ano prevê que medida será aplicada para funcionários públicos e pensionistas.

A lei está em vigor até ao final deste ano, pelo que se o governo não avançasse com uma nova iniciativa, todos os trabalhadores do privado iriam sofrer o impacto de medidas como a sobretaxa de 3,5% do IRS nos ordenados.

ionline.pt

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …