“Em 2012 temos condições para inaugurar as novas instalações da ESTGOH”

 

“A muito curto prazo lançaremos a obra”. A afirmação foi proferida esta manhã pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, no âmbito da visita que o presidente da Federação do PS de Coimbra, Mário Ruivo, efectuou às actuais instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital.

José Carlos Alexandrino está decidido em avançar com a construção das novas instalações da ESTGOH – o projecto ronda os 3,5 milhões de Euros – e garante avançar com o lançamento da adjudicação ainda em 2011.

“É uma questão de justiça, para que os alunos tenham melhores condições”, afirmou o autarca, assegurando que a Câmara Municipal a que preside não recuará em caso de não financiamento ao nível do Quadro de Referência Estratégico Nacional.

Ainda que esteja informado de que, de momento, o “QREN não tem verbas disponíveis para o lançamento de escolas superiores”, o autarca oliveirense acredita que a “estratégia que está a ser seguida é a mais correta” e que “vai ser possível o apoio do QREN”.

Porque entende que a luta pelas novas instalações, “é um desígnio de todas as forças políticas de Oliveira do Hospital”, José Carlos Alexandrino promete não baixar os preços e mostra-se disponível para “passar barreiras”.

“Com esta força e solidariedade do governo acredito que isso vai ser possível”, continuou o autarca oliveirense, apontando o próximo ano como o marco de viragem na vida da ESTGOH.

“Em 2012 temos condições para inaugurar as novas instalações. Podem contar que vai ser”, garantiu Alexandrino, ao mesmo tempo que também clarificou a inexistência de qualquer ideia, no sentido tornar a escola autónoma. “Queremos que esta escola funcione dentro do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) como até agora”, asseverou o autarca, apelando contudo para que a ESTGOH “seja tratada como todas as escolas”.

“Sei que há quem sonhe com os alunos de Oliveira do Hospital e com as verbas que esta escola recebe, mas terá a nossa forte oposição”, avisou Alexandrino, garantindo que “a escola só deixará de funcionar se não tiver alunos”.

Numa acérrima luta pela continuidade da ESTGOH no concelho, o presidente da Câmara revelou ainda a sua intenção de propor junto do ministério do Ensino Superior a existência de uma “discriminação positiva” para com os alunos do interior.

De visita à ESTGOH para se inteirar da realidade da escola, o presidente da Federação do PS de Coimbra reconheceu a “importância” da ESTGOH na região onde está inserida e, revelou-se “solidário” no que respeita à continuidade da escola. “Estou com a autarquia e a ESTGOH, no sentido de manter a escola em Oliveira do Hospital”, afirmou Mário Ruivo, rejeitando contudo a existência de qualquer rumor que aponte em sentido contrário.

“Não há qualquer conflitualidade entre o IPC e a ESTGOH”, assegurou o dirigente socialista distrital.

Reiterando a pertinência de continuidade da escola e a necessidade de instalações condignas, o presidente Jorge Alexandre Almeida reconheceu o “empenho e determinação” de José Carlos Alexandrino em todo o processo. “O presidente da Câmara é um homem de dentro, que ajuda a abrir portas e a resolver problemas”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

Jovens cientistas da EPTOLIVA de Tábua desenvolvem Compósito Antisséptico e conquistam segundo lugar na XI Mostra Nacional de Ciência

Jovens estudantes da Eptoliva, na Tábua, no distrito de Coimbra, desenvolveram uma solução desinfectante a …

A escola ou a escolinha (?). Autor: António Ferro.

Durante várias décadas, fui assistindo às mudanças (algumas drásticas e escusadas) no sistema de ensino …