Em Montemor-o-Velho, 75% das habitações separam os seus resíduos de embalagem

Em Montemor-o-Velho, 75 por cento das habitações separam os seus resíduos de embalagem

Uma recolha de dados sobre reciclagem em 1.089 lares ( dos 5.447 que abriram a porta à  equipa da Missão Reciclar) do município de Montemor-o-Velho revelou que 75 por cento dos inquiridos faz a reciclagem de embalagens usadas. A Missão Reciclar, que realiza acções de sensibilização de lares da Sociedade Ponto Verde, entregou 1.057 conjuntos de ecobags, constituídos por três sacos das cores dos ecopontos para separação selectiva de embalagens, aos habitantes que não tinham o hábito de separação e também a quem já separava, mas não tinha um ecoponto doméstico.

Aqueles que não fazem a separação do lixo (25 por cento) apontaram como justificação várias razões. A falta de recipientes próprios para o efeito é a justificação de 17,1 por cento, enquanto a noção do excessivo trabalho pessoal e familiar implicado serve de desculpa a 20,1 por cento. A distância a percorrer até ao ecoponto é o factor impeditivo  apontado por 15,6 por cento. É sobre esta faixa da população que a  Missão Reciclar tem a sua principal acção, mas também converter todos os que ainda não reciclam em separadores totais (que separam todos os tipos de embalagens) e clarificar as regras de reciclagem a todos os que reciclam.

Esta acção decorre em parceria com os Municípios e os Sistemas Municipais e pretende continuar a criar condições para que um número cada vez maior de portugueses cumpra a sua missão cívica de separar os seus resíduos de embalagem e de colocá-los no ecoponto correcto, contribuindo para que estes sejam encaminhados para reciclagem. “As embalagens usadas nas nossas casas não são lixo. A grande maioria é feita de materiais recicláveis e, quando devidamente separadas e colocadas no ecoponto, podem ganhar novas utilizações e gerar valor. Por isso, a missão de reciclar deve ser de todos. Estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos até agora nos municípios, uma vez em que esta ação está a decorrer em locais dentro dos próprios concelhos onde ainda existe elevado potencial de crescimento, e agradecidos aos munícipes pelo seu contributo para esta tão importante causa ambiental”, salienta Luís Veiga Martins, Director-Geral da Sociedade Ponto Verde.

.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …