Numa altura em que continua fresca a discussão gerada em torno do facto de a Carta Educativa do município de Oliveira do Hospital não prever a construção de um novo edifício na cidade para acolher os alunos do 1º Ciclo de Ensino Básico, eis que se sucedem os anúncios de construção de modernos centros educativos em municípios vizinhos.

Em Oliveira do Hospital aproveitam-se espaços, em Seia e Cantanhede criam-se Centros Educativos

Imagem vazia padrãoTome-se o exemplo de Seia e Cantanhede, onde as Câmaras Municipais estão apostadas em criar espaços adequados às novas exigências educativas. Quer em sede de executivo, quer em Assembleia Municipal, a Carta Educativa de Oliveira do Hospital, elaborada para o horizonte de 2011, mereceu a contestação da oposição por o documento não contemplar qualquer alusão relativa à construção de uma nova escola do 1º ciclo na cidade, impedindo assim uma futura candidatura aos fundos europeus. Uma omissão que o presidente da Câmara Municipal justificou com a necessidade de “aproveitamento de instalações existentes”, ao mesmo tempo que equacionou a adaptação da EB 2,3 da cidade – que este ano lectivo já acolhe três turmas do quarto ano – a Escola Básica Integrada. A justificação não convenceu e a Carta Educativa recém elaborada chegou a ser remetida para o “século passado”. Num artigo de opinião publicado na edição impressa do Correio da Beira Serra, o ex eurodeputado António Campos confessou-se “perplexo” perante a “falta de visão da futura carta escolar do concelho”, por entender que “ a concentração dos jovens em escolas super apetrechadas e sedutoras é o remédio para o abandono e êxito escolar”.

Centros Educativos potenciam “condições de excelência para os alunos”
Há, no entanto, outros municípios onde as Câmaras Municipais não se deixam levar pela filosofia do aproveitamento de espaços. Numa das recentes reuniões do executivo do município de Seia foi aprovada a construção de um Centro Educativo na sede de concelho que passará a acolher os alunos do primeiro ciclo e do pré-escolar da cidade. Decidida ficou também a alienação dos edifícios antigos para ajudar a suportar os custos da nova obra.

Já no município de Cantanhede a previsão aponta para a construção de quatro centros educativos, com vista a acolherem alunos do primeiro ciclo e pré-escolar, nas freguesias de Ançã, Tocha, Cantanhede e Cadima, cujos projectos vão ser candidatados ao QREN. Esta reorganização deriva do que foi contemplado em Carta Educativa e tem por objectivo – segundo a autarquia – “criar condições de excelência para os alunos”. Em declarações prestadas ao Diário As Beiras, o vereador da Educação do município de Cantanhede frisou que esta requalificação surge da “reorganização que o município preconiza e que saiu de um diálogo com toda a comunidade”.

Em ambos os municípios, a expectativa é de que os novos espaços educativos entrem em funcionamento já em 2010.

LEIA TAMBÉM

Os pais da exclusão… Autor: Renato Nunes

Biblioteca Nacional de Lisboa, 29 de Setembro de 2017. Depois de mais um dia de …

Coligação liderada pelo CDS preocupada com empreitada da retirada do amianto das escolas de Oliveira do Hospital

A Coligação Construir o Futuro (CDS-PP / MPT / PPM) está “preocupada e apreensiva” com …