Em Agosto o “país entra em dormência” e eu fico um pouco indolente, confesso. Como desabafou o nosso olímpico Marco Fortes, “…cheguei à conclusão que de manhã só estou bem na caminha”, mas tenho de me fazer à vida com os cheiros e sabores de Verão, coisa que o Outono fará sumir rapidamente.

Emoções em Agosto

O melhor é seguir adiante, “realisticamente falando”, sem demoras nas palavras desta croniqueta para uma espécie de balanço pessoal de duas ou três coisas a que assisti, lendo, no finado mês.

Palavras tolas quando os “fortes de espírito” dizem que um homem não chora. Mentira – eu sou homem a caminho do termo de validade e sempre chorei, desde que as circunstâncias em que isso acontece façam parte de alguma das viagens que realizo, de dentro para fora de mim, com emoção e sentimento à flor da pele. 

A imagem do Nelson Évora no pódio, de ouro ao peito, perfilado, sorriso de felicidade e olhos postos na Bandeira Portuguesa, ”Heróis do mar, nobre Povo Nação valente…”, fez soltar umas quantas lágrimas… Com a imagem do “anjo” que emprestou a imagem à voz da pequena Lin Miaoke na abertura dos Jogos, na belíssima “Ode à Pátria” (chinesa), aconteceu (quase) o mesmo porque me emocionei com a candura do sorriso da menina. Fez ”playback”, soube-se mais tarde! Qual é o mal? Todos os cantores praticam o truque em algum momento especial; no caso, a Lin, infelizmente, por causa do marketing da estética do belo, limitou-se ao “travesti” da voz da jovem Yang Peiyi, que de facto gravou o tema ”Playback e travesti”, neste caso, são quase, quase a mesma coisa, mas…

Em Agosto, na Madeira, Alberto J.J. mostrou descontentamento com a política nacional pela milésima vez, e numa espécie de charada carnavalesca aventou a possibilidade de apadrinhar um novo partido político; sugiro, de forma inocente, que o baptize na Catedral do Funchal com o seguinte nome: união nacional! No concelho de Oliveira do Hospital imperou o sossego no poder, que esteve de férias, e até a oposição foi a banhos. Sem necessitar de “carta de alforria” o CBS.com (http://www.correiodabeiraserra.com) manteve-se no seu posto de forma virtual e foi dando conta do que de mais importante se foi passando em Agosto.

Leiam-se as últimas sobre esgotos, ETARs e fossas sépticas; por cá, os ventos não trazem a maresia do mar da Figueira da Foz … Como se vê, em Agosto, só emoções – até o casamento da Liliana, que é cá da casa.

À saída da Igreja, ela e o Bruno vinham “lindérrimos”, vaidosos e felizes. Parabéns ao casalinho.

LEIA TAMBÉM

Cid Teles, a cigarra do Triste Fado: Possíveis influências. Autor Renato Nunes

Não é fácil identificar as influências de um indivíduo. Ainda assim, o estudo dos seus …

Valorizar os sinais de sofrimento psicológico é o primeiro passo para evitar o suicídio. Autor: Joaquim Cerejeira

Uma pessoa em cada 40 segundos comete suicídio. É esta a estimativa que a Organização …