“Empreender +” volta a desafiar juventude à criação do próprio emprego

 

São 32.500 Euros que estão ao dispor dos projetos considerados mais inovadores.

“Suscetíveis de dar origem a novos produtos, processos ou sistemas, ou que introduzam melhorias significativas em produtos, processos ou sistemas já existentes”. Este é o tipo de projeto passível de ser premiado no âmbito da nova edição do Empreender + – as candidaturas decorrem de 1 de junho a 30 de setembro – apresentada, esta manhã, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH).

Um palco estrategicamente pensado com o objetivo de – para além de dar a conhecer as linhas gerais do concurso –  “valorizar a escola” que integra o grupo de entidades parceiras do “Empreender +” e à qual é reconhecido o seu potencial na formação de novos quadros e da “massa crítica” tão desejada para o concelho de Oliveira do Hospital.

Uma realidade que José Carlos Alexandrino não se cansa de associar à BLC3, defendendo até que esta estrutura sirva de “identidade” à escola afeta ao Instituto Politécnico de Coimbra. “O sucesso da escola passará muito por este modelo”, referiu José Carlos Alexandrino, revelando-se satisfeito pelo clima “de maior suavidade” que agora existe entre a a autarquia e o Instituto Politécnico de Coimbra, após um período conturbado em que o futuro da escola chegou a estar ameaçado, mas que não contou com a resignação do presidente. “Penso que estive à altura” sublinhou Alexandrino, numa oposição àqueles que defendiam que a Câmara se deveria ter posicionado de “cócoras” em relação ao IPC. O autarca aprecia agora o “clima de diálogo” que, refere, se foi conseguindo por via da nova direção da escola.

Falar de empreender é, para o presidente da Câmara, falar da importância da BLC3 que para além do apoio que dá a novos empresários e de potenciar o acolhimento dos projetos vencedores no concurso municipal de ideias de negócio, tem em marcha um conjunto de projetos financiados e com importância reconhecida a nível internacional. Um estrutura que “tem tido um custo residual” em matéria de orçamento municipal e na qual o autarca deposita total confiança “pela ideia que lhe está subjacente e pela diferenciação” que apresenta em relação a outras estruturas.

Certo do apoio que a BLC3 está em condições de prestar aos mentores de novas ideias de negócio candidatos ao “Empreender +”, o presidente da Câmara espera que o concurso venha a ser participado por um conjunto alargado de potenciais empresários, porque “quantos mais participantes houver, melhores ideias haverá”.

“Quanto mais malucas forem as ideias, melhores elas são”

Uma ideia partilhada pelo presidente do Conselho de Administração da BLC3 que também desafiou os candidatos a primarem pela inovação. “Quanto mais malucas forem as ideias, melhores elas são”, referiu João Nunes que, no seguimento da estratégia do município “para desenvolver o concelho”, considerou ser determinante fixar jovens com capacidade de inovação em Oliveira do Hospital. “ “É importante para esta região fixar massa crítica”, continuou o jovem investigador, certo de que da própria ESTGOH podem sair ideias de negócio”.

João Nunes não tem dúvidas de que a ESTGOH é frequentada por “excelentes alunos” e de que é importante fixá-los na região. Uma tarefa que, defendeu, pode ser facilitada por via do “Empreender +” que “é um ponto de partida de excelência” e que “tem as melhores condições em termos financeiros”.

Anfitrião na sessão pública de lançamento da nova edição do Empreender +, o presidente da ESTGOH sublinhou a satisfação por a escola ter sido escolhida como palco. “Este tipo de iniciativas reforça não só as potencialidades do município, mas também a ideia de que no interior também se fazem coisas de qualidade e de que tudo sai melhor se for em conjunto”.

Adepto do trabalho em parceria, Carlos Veiga não tem dúvidas de que o futuro passará por “reunir e congregar” , pelo que muito apreciou o envolvimento da ESTGOH no projeto “Empreender +” – “é muito competitivo e oferece condições que dificilmente se encontram noutros concursos”, frisou – e que considera ser de “enorme mais valia para o município”.

Aumentar o número de participantes no concurso que teve início em 2007 é também o objetivo do vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo, a quem coube a apresentação das linhas gerais do Empreender +, que reserva um total de 32.500 Euros aos três primeiros classificados: 15 mil para o primeiro, 10 mil para o segundo e 7.500 Euros para o terceiro classificado. Para além da atribuição do prémio pecuniário, libertado por fases de desenvolvimento do projeto, o município assegura a incubação de cada ideia na BLC3 e o acesso a cada um dos serviços ali disponibilizados. Os premiados ficam, contudo, obrigados a manter a atividade pelo período mínimo de cinco anos no concelho, sob pena de devolução integral do prémio.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …